ACESSIBILIDADE DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA EM UMA UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO NA CIDADE DE SÃO PAULO

Autores

  • Jhenevieve Cruvinel Universidade Paulista - UNIP
  • Mônica Glória Neumann Spinelli Universidade Paulista - UNIP
  • Hellen Daniela Sousa Coelho Universidade Paulista - UNIP

DOI:

https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v27i56.2541

Palavras-chave:

Acessibilidade, pessoas com deficiência, nutrição, serviço de alimentação.

Resumo

O principal objetivo das Unidades de Alimentação e Nutrição é o fornecimento de refeições seguras, nutricionalmente equilibradas, adequadas ao contexto sócio cultural a que está inserida. No que tange a estes princípios, é possível observar diversos estudos, metodologias e processos que visam garantir a qualidade da alimentação. No entanto, as UANs são pontos importantes de socialização: o alimentar se envolve também com questões emocionais de pertencimento a um grupo e a uma sociedade. O propósito deste artigo foi refletir sobre as variáveis que tangem a questão da acessibilidade em uma Unidade de Alimentação e Nutrição. Observacional e descritivo. Usou-se como ferramenta avaliativa a aplicação de check-list adaptado do roteiro de acessibilidade do Ministério Público e as normas da ABNT 9050 atualizada. As dificuldades e limitações enfrentadas por pessoas com deficiência são ampliadas em situações em que sua acessibilidade não é garantida, tornando a realização das tarefas cotidianas empecilho maior do que a característica de sua deficiência. As empresas devem pensar não somente na acessibilidade do seu colaborador ao trabalho, mas também ao momento da refeição. Faz-se necessária reflexão sobre o conceito de acessibilidade em seu contexto amplo, promovendo inclusão e destacando as UANs como ambientes que promovem inclusão e responsabilidade social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jhenevieve Cruvinel, Universidade Paulista - UNIP

Nutricionista graduada pela Universidade Paulista - UNIP

Mônica Glória Neumann Spinelli, Universidade Paulista - UNIP

Nutricionista, mestre e doutora em Saúde Pública (área de concentração -nutrição) pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP), docente titular do curso de nutrição da Universidade Paulista UNIP

Hellen Daniela Sousa Coelho, Universidade Paulista - UNIP

Nutricionista, mestre e doutora em Saúde Pública (área de concentração -nutrição) pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP). Docente do curso de Nutrição da Universidade Paulista - UNIP

Referências

ABNT NBR9050: 2015. Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. Rio de Janeiro: ABNT, 2015. 148 p.

ABREU, E. S.; SPINELLI, M. G. N.; PINTO, A. M. S. Gestão de Unidades de Alimentação e nutrição: um modo de fazer. 7 ed. rev. ampl. São Paulo: Metha; 2019.

ANDRADE, M.S.A ; PACHECO, M. L.; FARIAS, S. S. P. Pessoas com deficiência rumo ao processo de inclusão na educação superior. Rev. Digit. Pesq. CONQUER, Barreiras, v.1, p. 1-5, 2007.

ARAÚJO, C. D. de.; CÂNDIDO, D. R. C.; LEITE, M. F. L. Espaços públicos de lazer: um olhar sobre a acessibilidade para portadores de necessidades especiais. Licere, Belo Horizonte, v. 12, n. 4, dez. 2009. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/licere/article/view/835/634. Acesso em: 15 maio 2019.

BAHIA, M. S.; SCHOMMER, P. C. Inserção Profissional de Pessoas com Deficiência em uma Experiência no Brasil e outra em Portugal: Desafios Comuns, Caminhos Diferentes. Pesquisas e Práticas Psicossociais, São João del Rei. v. 6, n.1, p.62-77, 2011. Disponível em: https://www.ufsj.edu.br/portal2-repositorio/File/revistalapip/volume6_n1/Bahia_%26_Schommer.pdf. Acesso em: 22 maio 2019.

BAHIA, M. S. Responsabilidade social e Diversidade nas Organizações: Contratando pessoas com deficiência. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2006.

BARCELLOS, A. P. de.; CAMPANTE, R. R. A acessibilidade como instrumento de promoção de direitos fundamentais. In: FERRAZ, Carolina Valença. et al. (Coord.). Manual dos direitos da pessoa com deficiência. São Paulo: Ed. Saraiva, 2012.

BEZERRA, R. M. A acessibilidade como condição de cidadania. In: GUGEL, M.A.; MACIEIRA, W.; RIBEIRO, L. (Org.). Deficiência no Brasil: uma abordagem integral dos direitos das pessoas com deficiência. Florianópolis: Ed. Obra Jurídica, 2007.

BRASIL. Cartilha do Censo 2010: Pessoas com Deficiência. Brasília: SDH-R/SNPD, 2012. 32p.

BRASIL. Lei n. 8234, de 17 de setembro de 1991. Regulamenta a profissão de nutricionista e determina outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 1991.

BRASIL. Lei n, 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Brasília, DF: Presidência da República, 2015. Disponível em: http//www.planalto.gov.br/ccivil _03/_ato2015-2018/2015/lei/113146.htm. Acesso em: 22 maio 2019.

BRASIL. Projeto de Lei n° 1550, de 2019. Altera a Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015 (Estatuto da Pessoa com Deficiência), para estabelecer a obrigatoriedade da disponibilização de cardápio em Braille por bares, lanchonetes e restaurantes. Brasília, DF: Senado Federal, 2019. Disponível em: https://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/135798. Acesso em 22 maio 2019.

CARDOSO, V.M.; ARAUJO, J.N.G. Dificultadores e facilitadores no processo de inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL; SOCIEDADE INCLUSIVA: PROPOSTAS E AÇOES: IMPASSES E AVANÇOS, 4., 2006, Belo Horizonte. Anais [...]. Minas Gerais: Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, 2006.

CFN – CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS. Resolução CFN nº 600, de 25 de fevereiro de 2018. Dispõe sobre a definição das áreas de atuação do nutricionista e suas atribuições, indica parâmetros numéricos mínimos de referência, por área de atuação, para a efetividade dos serviços prestados à sociedade e dá outras providências. Disponível em: https://www.cfn.org.br/wp-content/uploads/resolucoes/Res_600_2018.htm. Acesso em: 15 maio 2019.

HONNETH, A. Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. Trad. Luiz Repa. São Paulo: editora 34, 2003.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA. Perfil dos estados e dos municípios brasileiros: 2012 / IBGE, Coordenação de População e Indicadores Sociais. - Rio de Janeiro: IBGE, 2013. 226 p.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA. Perfil dos estados e dos municípios brasileiros: 2014 / IBGE, Coordenação de População e Indicadores Sociais. - Rio de Janeiro: IBGE, 2015. 126 p.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA. Perfil dos estados e dos municípios brasileiros: 2018/ IBGE, Coordenação de População e Indicadores Sociais. Rio de Janeiro: IBGE, 2019. 127 p.

LAQUALE, A. A pessoa com deficiência e o direito à acessibilidade. JusBrasil. 2017. Disponível em: https://adonislaquale.jusbrasil.com.br/artigos/469572573/a-pessoa-com-deficiencia-e-o-direito-a-acessibilidade. Acesso em: 15 fev. 2020.

NOBRE, A. P. Avaliação da satisfação da clientela em restaurantes do tipo self-service de Brasília. 2009. Monografia (Especialização em Qualidade dos Alimentos) Alimentos, Universidade de Brasilia, Centro de Excelência em Turismo, Brasilia, 2009.

OLIVEIRA, S. I.; OLIVEIRA, K. S. Novas perspectivas em educação alimentar e nutricional. Psicol. USP, São Paulo, v. 19, n. 4, Dec. 2008.

PEIXOTO, J.; CARVALHO R.M. A noção moderna de autonomia e o papel do aluno na educação a distância. Educativa, Goiânia, v.13,n.2, p.252-284, 2010. Disponível em: http://seer.pucgoias.edu.br/index.php/educativa/article/viewFile/1418/934. Acesso em: 23 maio 2019.

PESCHUTI, M. Q.; LIMA, R. C. D. S. A inclusão da pessoa com deficiência no mercado de trabalho. Pedagogia em Foco, Iturama, MG, v. 12, n. 7, p. 102-116, 2017.

RIBEIRO, D.C. Autonomia: viver a própria vida e morrer a própria morte. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 22, n. 8, p. 1749-1754, 2006. Disponível em; https://www.scielosp.org/pdf/csp/2006.v22n8/1749-1754 Acesso em: 22 maio 2019.

RIBEIRO, M. A.; CARNEIRO, R. A inclusão indesejada: as empresas brasileiras face à lei de cotas para pessoas com deficiência no mercado de trabalho. Organ. Soc. Salvador, v. 16, n. 50, p. 545-564, 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-92302009000300008&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 20 dez. 2020.

SA, M. Pessoas com Deficiência: um retrato dos problemas que elas enfrentam nos restaurantes. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso (Jornalismo), IESB, Brasília, 2010.

SANT’ANA, M. H. P. Planejamento físico funcional de Unidades de Alimentação e Nutrição. Rio de Janeiro: Rubio, 2012.

SANTOS, J. V. M.; SANTANA, A. C.; ARRUDA, G. D. Diversidade nas organizações: inclusão social ou estratégia competitiva? Psicologia.pt., 2018. Disponível em: https://www.psicologia.pt/artigos/textos/A1170.pdf. Acesso em: 03 mar. 2021.

SANTOS, W. R. Pessoas com deficiência: nossa maior minoria. Physis (Rio J.)., v.18, n.3, p.501-519, 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-73312008000300008&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 22 maio 2019.

SÃO PAULO. Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida. SMPED. Manual de instruções técnicas de acessibilidade para apoio ao projeto arquitetônico. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2017. 114 p.

SEBRAE. Acessibilidade das empresas de alimentação. Recife, Pe: Sebrae, p. 2015. (Cartilha Sebrae). Disponível em: https://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/UFs/PE/Anexos/cartilha_acessibilidade_alimenta%C3%A7%C3%A3o.pdf. Acesso em: 22 maio 2019.

SHIMONO, S.O. Educação e trabalho: caminhos da inclusão na perspectiva da pessoa com deficiência. 2008. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil, 2008.

SIMONELLI, A. P., JACKSON FILHO, J. M. Análise da inclusão de pessoas com deficiência no trabalho após 25 anos da lei de cotas: uma revisão da literatura. Cad. Bras. Ter. Ocup., São Carlos, v. 25, n. 4, 855-867, 2017. Disponível em: http://www.cadernosdeterapiaocupacional.ufscar.br/index.php/cadernos/article/view/1842/920. Acesso em: 02 mar. 2020.

TEIXEIRA, S. M. F. G. et al. Administração Aplicada às Unidades de Alimentação e Nutrição. São Paulo: Atheneu, 2010.

TORRES, E.F.; MAZZONI, A.A.; ALVES, J.B.M. A acessibilidade à informação no espaço digital. Ci. Inf., Brasília, v. 31, n. 3, p. 83-91, set./dez. 2002.. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-19652002000300009&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 22 maio 2019.

VIANA, C. O. R. et al. Marketing de relacionamento: análise do nível de satisfação do cliente-consumidor da empresa puro sabor. Rev. adm. contab., [s.l.], v. 1, n. 2, 2014. Disponível em: http://revistasfap.com/ojs3/index.php/rac/article/view/134. Acesso em: 22 maio 2019.

WINNICOTT, C. Conversando com os pais. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

ZANELLI, J. C. Pesquisa qualitativa em estudos da gestão de pessoas. Estud. psicol., Natal, v. 7, p. 79 - 88, 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-294X2002000300009&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 17 maio 2019.

Downloads

Publicado

2021-10-26

Como Citar

Cruvinel, J., Spinelli, M. G. N., & Sousa Coelho, H. D. (2021). ACESSIBILIDADE DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA EM UMA UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO NA CIDADE DE SÃO PAULO. Revista Univap, 27(56). https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v27i56.2541