DO LOCAL PARA A COMPREENSÃO DO GLOBAL: SAÚDE E AMBIENTE EM UMA PEQUENA CIDADE DA AMAZÔNIA

Viviana Mendes Lima, Sandra Maria Fonseca da Costa, Jobair Assis Rangel, Gustavo Rodrigo Milaré Montoia

Resumo


Os grandes avanços da humanidade, entre eles o meio técnico-cientifico, com descobertas importantes do século XXI, contribuíram para melhorias na saúde e mitigação ou cura de algumas enfermidades. As doenças permanecem grandes desafios nas sociedades contemporâneas que apresentam novas demandas e tempo de cura. Os avanços e velocidade que acompanham a globalização refletiu-se na tomada de decisões no processo saúde-doença. Este artigo propõe apresentar uma análise sobre a situação dos moradores de um pequeno município da Amazônia, Ponta de Pedras, Pará, investigando a existência de doenças comuns aos habitantes das grandes cidades. Como metodologia, o artigo embasou-se em pesquisa bibliográfica sobre a temática apresentada, combinada à pesquisa empírica realizada no Município de Ponta de Pedras, além das bases de dados do IBGE. Como resultado, nota-se uma mudança no padrão alimentar da população local em especial da população rural, justificada por escassez de pescados e falta de poder aquisitivo para a compra de outros alimentos. Esta mudança no padrão alimentar, com presença de fast-food, somada a outros aspectos, interfere na saúde da população e contribuiu para a emergência de fatores de risco e doenças comuns em grandes cidades e metrópoles, como stress, obesidade, colesterol alto, diabetes, hipertensão arterial.


Palavras-chave


Saúde global; açaí; pequena cidade; delta; Amazônia.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO-JORGE T, Matraca M. et al. Doenças negligenciadas, erradicação da pobreza e o plano Brasil sem Miséria. In: Campelo T, Falcão T, Costa P (orgs.). O Brasil sem Miséria. Brasília: MDS; 2014. p. 703-726. Disponível em: http://www.agencia.fiocruz.br/doen%C3%A7as-negligenciadas. Acesso em: 26 set. 2014.

AZEVEDO, James Ribeiro; KATO, Oswaldo Ryohei. Sistema de manejo de açaizais nativos praticado por ribeirinhos das ilhas de Paquetá e ilha grande, Belém: Embrapa, 2010.

BRASIL. Ministério da Saúde. (VIGITEL). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde. Vigitel Brasil 2016: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico: estimativas sobre frequência e distribuição sociodemográfica de fatores de risco e proteção para doenças crônicas nas capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal em 2016. Brasília: Ministério da Saúde, 2017. 160p.: il. Disponível em: http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2018/marco/02/vigitel-brasil-2016.pdf.

BECKER, Berta Koiffman. Geopolítica da Amazônia. Estud. av., São Paulo, v. 19, n. 53, p. 71-86, abr. 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142005000100005&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 29 jan. 2017.

BRONDIZIO, Eduardo S. et al. A conceptual framework for analyzing deltas as coupled social-ecological systems: an example from the Amazon River Delta. Sustain Sci., v. 11, n. 4, p. 1-19, 2016.

BROWN, P. The WHO strikes mid-life crisis. New scientist, v. 153, p. 12, 1997.

BROWDER, John O.; GODF Brian J. Cidades na Floresta: urbanização, desenvolvimento e globalização na Amazônia Brasileira. Manaus: EDUA, 2006.

CANCIAN, N.; LADEIRA, P. Em cinco anos, doenças por falta de saneamento custam R$ 1 bi ao SUS. Folha de São Paulo, 2019. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2019/10/em-cinco-anos-doencas-por-falta-de-saneamento-custam-r-1-bi-ao-sus.shtml. Acesso em: 20.jul. 2019.

COSTA, S. M. F. et al. A relação entre a economia do açaí e crescimento urbano em uma pequena cidade do estuário do rio Amazonas: uma reflexão. Revista Geográfica Venezolana, Mérida, v. 58, n. 1, p.10-25, 2017. Disponível em: http://www.saber.ula.ve/bitstream/123456789/43788/1/art%201.pdf. Acesso em: 22 out. 2017.

COSTA, Sandra Maria Fonseca da et al. Pequenas cidades do estuário do Rio Amazonas: fluxo econômico, crescimento urbano e as novas velhas urbanidades da pequena cidade de Ponta de Pedras. Redes (Santa Cruz do Sul. Online), v. 17, n. 2, 2012.

COSTA, Ellen A. C.; SCHOR, Tatiana. Redes Urbanas, Abastecimentos e o café da manhã de idosas na cidade de Tefé, Amazonas: Elementos para a análise da Geografia da Alimentação no Brasil. Hugeia, v. 9, n.17. p. 52-73, 2013.

FENZL, Norbert, ROBRINI, Maâmar. Projeto gestão integrada e sustentável dos recursos hídricos transfronteiriços na bacia do rio amazonas, considerando a variabilidade e mundança climática otca/gef/pnuma. Rio Branco: OTCA, 2012. Disponível em: http://otca.info/gef/uploads/documento/81609-ATIVID.III.2.3_MAAMAR.ROBRINI_RELATORIO_3.pdf. Acesso em: 20 fev 2019.

FORTES, Paulo Antônio de Carvalho, RIBEIRO, Helena. Saúde Global. Barueri., SP. Editora Manole, 2014.

GIATTI, Leandro Luiz. (org). Fundamentos das relações entre saúde e ambiente. In: GIATTI, Leandro Luiz. Fundamentos de Saúde Ambiental. Manaus: Editora UFAM, 2009.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo online. 2010. Disponível em: http://www.ibge.gov.br. Acesso em: 10 nov. 2010.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Panorama das cidades. 2018. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2019.

KRONEMBERGER, Denise. Análise dos Impactos na Saúde e no Sistema Único de Saúde Decorrentes de Agravos Relacionados a um Esgotamento Sanitário Inadequado dos 100 Maiores Municípios Brasileiros no Período 2008-2011. 2013. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2019.

KICKBUSCH, I.; BERGER, C. Diplomacia da Saúde Global. RECIIS – Rev. Eletr. de Com. Inf. Inov. Saúde, Rio de Janeiro, v. 4, n. 1, p. 148-164, mar. 2010.

LEMOS, A. L. F.; SILVA, J. A. Desmatamento na Amazônia Legal: Evolução, Causas, Monitoramento e Possibilidades de Mitigação Através do Fundo Amazônia. Floresta e Ambiente, Rio de Janeiro, p. 98-108, 2011. Disponível em: http://www.floram.org/files/v18n1/v18n1a11.pdf. Acesso em: 20 maio 2016.

LIMA, Viviana Mendes. Globalização e saúde na Amazônia um estudo de uma pequena cidade: Ponta de Pedra, Ilha do Marajó, Pará. 2017. 200f. Tese (Doutorado em Ciências Ambientais) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

LIMA, Viviana Mendes; COSTA, Sandra M. F.; RIBEIRO, Helena. Globalization and Health in a Small Town in the Amazon Region. In CLABORN, David. (org). Current Issues in Global Health. Londres: Editora. IntechOpen, 2018. p.1-19.

Disponível em: https://www.intechopen.com/books/current-issues-in-global-health. Acesso em: 20 jan. 2019.

MATTA, Gustavo Corrêa; MORENO, Arlinda Barbosa. Saúde global: uma análise sobre as relações entre os processos de globalização e o uso dos indicadores de saúde. Interface - Comunicação, Saúde, Educação [online], v. 18, n. 48, p. 09-22, 2014.

MURRIETA, R.; SIQUEIRA, A. D. Food consuption and substence in three populations on Marajó Island, Amazonia, Brazil. Human Ecology, v. 27, n. 3, p. 455-475, 1999.

OLIVEIRA, Aldemir de. A cultura nas (das) pequenas cidades da Amazônia Brasileira. In: CONGRESSO LUSO-AFRO-BRASILEIRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS, 8, Coimbra, 2004. Anais..., Coimbra, 2004. Disponível em: https://www.ces.uc.pt/lab2004/inscricao/pdfs/painel74/JoseAldemirdeOliveira.pdf. Acesso em: 27 jan. 2019.

OMS - ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Número de adultos com diabetes quadruplicou desde 1980, 2018. Disponível em: http://agenciabrasil.ebc.com.br/internacional/noticia/2016-04/oms-numero-de-adultos-com-diabetes-quadruplicou-desde-1980. Acesso em: 20 jan. 2019.

ONUBR. Organização das Nações Unidas. A ONU e a saúde. Disponível em https://nacoesunidas.org/acao/saude/. Acesso em: 10 nov. 2018.

PORTO, Marcelo Firpo de Souza. Uma ecologia política dos riscos: princípios para integrarmos o local e o global na promoção da saúde e de justiça ambiental. Rio de janeiro: Editora FIOCRUZ, 2012.

RIBEIRO, Helena. Saúde Global: olhares do presente. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2016. 106 p. (Coleção Temas em Saúde).

SACCARO JUNIOR, Nilo Luiz; MATION, Lucas Ferreira; SAKOWSKI, Patrícia Alessandra Morita. Impacto do desmatamento sobre a incidência de doenças na Amazônia. Rio de Janeiro: Ipea, 1990.

TRINDADE JÚNIOR, Saint-Clair Cordeiro da. Das “Cidades na Floresta” às “Cidades da Floresta”: Espaço, Ambiente e Urbanodiversidade na Amazônia Brasileira. NAEA - O Núcleo de Altos Estudos Amazônicos, n. 321, p. 1-22, 2013. Disponível em http://www.naea.ufpa.br/naea/novosite/index.php?action=Publicacao.arquivo&id=345. Acesso em: 10 abr. 2019.




DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revistaunivap.v25i48.2271

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Univap

Revista UniVap é uma publicação eletrônica (a partir da edição nº 29 passa a ser on-line) editada pela Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP), que tem o intuito de promover a divulgação de pesquisas e estudos, cumprindo a tríplice missão da universidade, de proporcionar ensino, pesquisa e extensão de modo indissociável. Esta publicação incentiva as pesquisas e procura o envolvimento de seus professores e alunos em pesquisas e cogitações de interesse social, educacional, científico ou tecnológico. Aceita artigos originais, não publicados anteriormente, de seus docentes, discentes, bem como de autores da comunidade científica nacional e internacional. Publica artigos, notas científicas, relatos de pesquisa, estudos teóricos, relatos de experiência profissional e resenhas.

- ACESSO ÀS NORMAS GERAIS PARA PUBLICAÇÃO DE TRABALHOS NA REVISTA UNIVAP

- FLUXOGRAMA DO PROCESSO EDITORIAL


O endereço da revista é http://revista.univap.br/index.php/revistaunivap

 

Atualmente, a Revista UNIVAP possui 9 indexadores:

O Índice de Citações da Revista UNIVAP está disponível por intermédio do Google Acadêmico <https://scholar.google.com.br/citations?user=tmYYoVwAAAAJ&hl=pt-BR>.