USO DE REGULADORES DE CRESCIMENTO NA GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE MARACUJÁ AMARELO SUBMETIDAS AO ESTRESSE HÍDRICO

Autores

  • Paula Aparecida Muniz de Lima Universidade Federal do Espírito Santo
  • Khétrin Silva Maciel Universidade Federal do Espírito Santo
  • Rodrigo Sobreira Alexandre Universidade Federal do Espírito Santo
  • José Carlos Lopes Universidade Federal do Espírito Santo

DOI:

https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.1293

Palavras-chave:

potenciais osmóticos, qualidade fisiológica, vigor

Resumo

Objetivou-se com o presente trabalho estudar a germinação de sementes de maracujá amarelo tratadas com reguladores de crescimento e submetidas ao estresse hídrico. A germinação das sementes foi feita em rolos de papel germitest, colocados em câmaras de germinação tipo BOD, à temperatura de 20-30 ºC. Foram utilizados os reguladores de crescimento: poliamina, ácido giberélico, 6-benzilamina 6-purina e ácido 4-(3-indolil) butírico nas soluções de manitol com potencial osmótico 0,0 e -0,4 MPa. Foram avaliados: germinação, índice de velocidade de germinação, comprimento da parte aérea e raiz e massa seca de plântulas. O delineamento experimental foi inteiramente ao acaso, com esquema fatorial 5 x 2 (cinco reguladores de crescimento x dois agentes osmóticos). Os reguladores de crescimento atenuam os efeitos do estresse hídrico. As sementes de maracujá amarelo tratadas com reguladores de crescimento não foram eficientes para germinação e IVG.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paula Aparecida Muniz de Lima, Universidade Federal do Espírito Santo

Engenharia Agronômica

Downloads

Publicado

2017-03-13

Como Citar

Lima, P. A. M. de, Maciel, K. S., Alexandre, R. S., & Lopes, J. C. (2017). USO DE REGULADORES DE CRESCIMENTO NA GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE MARACUJÁ AMARELO SUBMETIDAS AO ESTRESSE HÍDRICO. Revista Univap, 22(40), 624. https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.1293