USO DE COMPOSTO DE RESTOS DE ALIMENTOS DE UAN (UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO) NA PRODUÇÃO DE ALFACE

Autores

  • Cleicimar Gomes Costa Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Minas Gerais - Campus São João Evangelista - MG
  • Kátia Cristina Silva Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Minas Gerais - Campus São João Evangelista - MG
  • Vínicius Faúla Aguiar Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Minas Gerais - Campus São João Evangelista - MG
  • Luiz Carlos Gomes Azevedo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Minas Gerais - Campus São João Evangelista - MG
  • Alba Nise Rocha Santos Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Minas Gerais - Campus São João Evangelista - MG
  • Alisson José Eufrásio Carvalho Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Minas Gerais - Campus São João Evangelista - MG

DOI:

https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.787

Palavras-chave:

resto ingesta, adubação, olericultura

Resumo

É considerável a quantidade de alimentos devolvida no prato/bandeja, que será destinado ao aterro sanitário, não se dispondo de uma forma conveniente de reaproveitamento. Promover o tratamento de tais resíduos é uma prática relevante para a sociedade, em contrapartida, promove a geração de insumos orgânicos para a agricultura. Doses de composto orgânico a partir do resto ingesta da UAN do IFMG - São João Evangelista foram avaliadas na produtividade da alface americana. O delineamento utilizado foi em blocos casualizados com quatro repetições, sendo os tratamentos constituídos por cinco doses de composto orgânico (0,0; 15,15; 30,3; 60,6 e 120 t.ha-1 de matéria seca). Houve aumento significativo no número de folhas, massa seca e fresca da parte aérea que respondeu acentuadamente ao aumento das doses de composto utilizado. A massa fresca comercial total evidenciou aumento com as doses de composto, na qual a produtividade máxima de 1350 g planta-1, foi obtida com a dose de 112,5 t.ha-1 do composto orgânico. Para massa seca, a máxima produtividade 97 g planta-1, foi obtida com a dose de 116,4 t.ha-1. Através dos resultados obtidos pode-se concluir que o uso de 120 t.ha-1 de composto orgânico aplicado na produção da alface proporciona incrementos na produtividade, sendo viável sua utilização, além de uma forma sustentável trazendo benefícios para o solo e meio ambiente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-11-01

Como Citar

Costa, C. G., Silva, K. C., Aguiar, V. F., Azevedo, L. C. G., Santos, A. N. R., & Carvalho, A. J. E. (2016). USO DE COMPOSTO DE RESTOS DE ALIMENTOS DE UAN (UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO) NA PRODUÇÃO DE ALFACE. Revista Univap, 22(40), 86. https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.787