REDE DE AÇÕES PARA IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA PLANTIO DIRETO NA PALHA NA REGIÃO CENTRO-SERRANA DO ESPÍRITO SANTO

Autores

  • Douglas Vianna Bahiense Universidade Estadual Norte Fluminense Darcy Ribeiro
  • Lucinéia Laurett Sindicato dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares de Santa Maria de Jetibá -ES
  • Jacimar Luis de Souza Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural/Pesquisador
  • Evelson Sanche Muniz Sindicato dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares de Santa Maria de Jetibá -ES
  • Horácio Vicente Caetano Gonçalves Escola Família Agrícola de São João do Garrafão
  • Tálita Vieira Fideles Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural/Extensionista
  • Juliana Schumacher Sindicato dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares de Santa Maria de Jetibá -ES
  • Luiz Fernando Favarato Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural/Pesquisador
  • Maria da Penha Angeletti Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural/Pesquisadora

DOI:

https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.1583

Palavras-chave:

sistema plantio direto na agricultura familiar, fomento tecnológico por organização social, pesquisa aplicada, formação de conhecimentos, sindicato de trabalhadores rurais.

Resumo

O sistema plantio direto na palha – SPD ou SPDP pode representar um diferencial tecnológico na diminuição da dependência de insumos externos. Na realidade agrícola da Região Serrana do Espírito Santo, os agrossistemas produtores de hortaliças e grãos estão em estabelecimentos familiares que, em sua maioria, adotam as práticas convencionais de agricultura. Neste contexto foi criada uma Rede de ações na aplicação dos princípios do SPD. O presente trabalho relata a constituição e o funcionamento desta rede no período 2014-2016. Na metodologia, deu-se a formação a partir da necessidade de juntar os agricultores familiares, técnicos e pesquisa a partir da necessidade de expansão do projeto. A Rede tem sido um importante instrumento de fomento ao SPD, com tecnologia e sementes, porém ainda incipiente, na troca entre os participantes, para se ouvir os ouvir os agricultores, assistência técnica e pesquisa, também para projetos de fomento de sementes, de roçadeiras e consolidação das práticas. Viu-se a necessidade de acompanhamento/visitas regulares periódicas às áreas da Rede, e de capacitação continuada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Douglas Vianna Bahiense, Universidade Estadual Norte Fluminense Darcy Ribeiro

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) (2011). Mestre em Produção Vegetal pela Universidade Estadual Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF) (2014) com ênfase em Economia Rural/Política Agrícola. Atualmente é Bolsista de Apoio Técnico no Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural do ES (INCAPER) pelo Projeto do Fundo de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (FAPES) intitulado "Desenvolvimento integrado de tecnologias e indicadores agroambientais para a produção de alimentos orgânicos no Espírito Santo" (2014-) sob a área de atuação na Agricultura Orgânica.

Jacimar Luis de Souza, Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural/Pesquisador

Bolsista de produtividade em Desenvolvimento Tecnológico do CNPq. Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal do Espírito Santo (1982), mestrado em Agronomia (Fitotecnia) pela Universidade Federal de Lavras (1985) e doutorado em Fitotecnia (Produção Vegetal) pela Universidade Federal de Viçosa (2006), concentração em Agroecologia. Atualmente é pesquisador do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Agroecologia, atuando principalmente nos seguintes temas: Avaliação de cultivares de hortaliças, sistemas de ciclagem de matéria orgânica, compostagem orgânica, manejo orgânico de culturas, estudos de solos em sistema orgânico, avaliações econômicas e energéticas de cultivos orgânicos. Publicação total de 256 trabalhos técnico-científicos. Autor dos livros: Agricultura Orgânica - tecnologias para a produção de alimentos saudáveis, vol. 1 (1998), vol. 2 (2005) e vol. 3 (2015); 5 video-cursos sobre cultivo orgânico de hortaliças (1999 a 2002); Autor dos Livros: Manual de Horticultura orgânica, 1ª ed. (2003), 2ª ed. (2006) e 3ª ed. (2014), livro este de destaque nacional sendo utilizado como livro texto na maioria das escolas técnicas agrícolas de segundo grau e profissionalizante, e em muitas universidades de agronomia do país. Autor do livro (Documento técnico) sobre "Conhecimentos tecnológicos para o cultivo orgânico de hortaliças, milho e feijão: 20 anos de investigação científica", publicado em 2011. Autor da Cartilha: "Agroecologia e Agricultura orgânica - princípios, técnicas e práticas" publicada em janeiro de 2012. Ganhador do Prêmio Tião Sá de pesquisa ecológica 1996; Prêmio Ecologia 2006 (2º lugar), Prêmio Ecologia 2007 (1º lugar); Prêmio Tião Sá 2008 (3º lugar); Prêmio ABH 2009; Prêmio Tião Sá 2010 (2º lugar); Distinção de 2 trabalhos entre os 12 destaques nacionais publicados no 50º Congresso Brasileiro de Olericultura em 2010; Ganhador do Prêmio Celso Furtado, edição 2014, concedido pelo Ministério da integração Nacional, na categoria 'Projetos Inovadores', com o projeto de pesquisa da Unidade de Referência em Agroecologia do Incaper Centro-Serrano. Tem contribuído com conferências e palestras, além de atuar como instrutor, ministrando cursos na área de agroecologia em todo o Brasil, com foco em sistemas orgânicos de produção de hortaliças e frutas. Têm relevante contribuição na formação de recursos humanos neste setor, tendo capacitado até o ano de 2015, por meio dos 83 cursos ministrados, aproximadamente: 1.630 técnicos (extensionistas, pesquisadores das instituições estaduais e Embrapa, professores de nível médio e superior, gestores do Sebrae, entre outros), 1.700 agricultores e 900 alunos do ensino médio e superior, em diversos estados brasileiros e no Uruguai. Por meio de suas 86 conferências e palestras já divulgou o tema da agroecologia, agricultura orgânica e técnicas correlatas para mais de 7.000 profissionais e estudantes. O desenvolvimento tecnológico e o crescimento da agricultura orgânica brasileira está significativamente influenciada pelos trabalhos deste pesquisador.

Horácio Vicente Caetano Gonçalves, Escola Família Agrícola de São João do Garrafão

Possui graduação em agronomia pela Universidade Federal do Espírito Santo (2004). Atualmente é professor da Escola Família Agrícola São João do Garrafão. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Agricultura Orgânica, Fruticultura, Pedagogia da Alternância e Ciência do Solo

Luiz Fernando Favarato, Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural/Pesquisador

Possui graduação em ENGENHARIA AGRONÔMICA pela Universidade Federal de Viçosa (2010). MESTRE EM FITOTECNIA pela Universidade Federal de Viçosa (2012). DOUTOR EM FITOTECNIA pela Universidade Federal de Viçosa (2015). Atualmente é Pesquisador do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural - INCAPER, atuando na área de Manejo de Olerícolas. Possui experiência na área de Agronomia, com ênfase em Mecanização Agrícola, Manejo e Conservação de Água e Solo, Sistema de Plantio Direto na Palha, Olericultura e Cultura do Milho.

Maria da Penha Angeletti, Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural/Pesquisadora

Possui graduação em Agronomia pela UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO(1980) e mestrado pela UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ, em Agronomia, área de concentração Fitotecnia - Olericultura, com a tese de Mestrado: "Influência de Sistemas de Manejo de Solo na cultura da Cenoura (Daucus carota L.) na Serra de Baturité, Ceará", avaliando mulch vegetal de bagana de carnaúba, casca de arroz e mulch com plástico brancO e a influência destes materiais, em combinação com herbicidas, na ocorrência de mato. Com experiência de trabalho com olerícolas no semi-árido nordestino, na Amazônia ( Rondônia), nos tabuleiros costeiros do Bioma Mata Atlântica (Espírito Santo), e na Serra do Mar ( Região Serrana do Rio de Janeiro), sempre com o foco em tecnologias de processo, redução da utilização de insumos industrializados e estímulo a processos naturais nos agroecossistemas. Atuou no período de 1985 a 1996 como pesquisadora da EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA - EMBRAPA, desenvolvendo pesquisas em Olericultura, na Área de Manejo e Tratos Culturais, com introdução de espécies para diversificação de culturas com: tomate para mesa e tomate rasteiro, cebola, alface, pimentão, etc. Atua como pesquisadora do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural - INCAPER, na Área de Fitotecnia / Manejo e Diversificação de Agroecossistemas Produtores de Hortaliças e Grãos / Agroecologia. Uma característica presente no trabalho é a geração e adaptação local de tecnologias, utilizando metodologias em rede, ocorrendo paralelamente ações de pesquisa científica e ações de desenvolvimento tecnológico e social, envolvendo extensionistas, organização social e escola família agrícola. Iniciou em 2006 um processo de trabalho pioneiro, para introdução dos princípios do Sistema Plantio Direto em municípios da Região Centro-Serrana do Espírito Santo, especialmente Santa Maria de Jetibá e Laranja da Terra, uma linha de trabalho que se mantém contínua até o presente, passando por estudos de introdução e adaptação de plantas de cobertura, estudos de rotações de cultura com hortaliças, grãos e plantas de cobertura, em SPDP, visando a sustentabilidade da produção de olerícolas. O trabalho cria oportunidades de formação de novos conceitos que podem influenciar positivamente a mudança das normas/práticas de manejo adotadas pelas famílias rurais e passadas para futuras gerações. Uma segunda linha de trabalho em Diversificação de culturas para agrossistemas familiares, também iniciada em 2006, resultou na introdução em rede, da cultura do Yacon no Estado do Espírito Santo, em municípios da Região Central Serrana, como produto diferenciado de elevado valor como alimento nutracêutico, com potencial crescente para comercialização e uso pelas famílias rurais. Os agricultores orgãnicose convencionais, especialmente de Santa Maria de Jetibá, se apropriaram das tecnologias geradas e hoje o yacon compõe o mix de produtos olerícolas comercializados em feiras da região metropolitana de Vitória, além de estar em processo de difusão para todo o ES, no segmento de produtos para feiras. Continuando a linha de pesquisa em Diversificação de culturas, foram iniciados em 2014, trabalhos de pesquisa para viabilizar a produção de hortaliças "baby leaf" em bandejas, utilizando substratos orgânicos artesanais produzidos por agricultores familiares produtores de olerícolas, e pela Unidade de Referência em Agroecologia do Incaper, onde os substratos são coletados anualmente e caracterizados, através de metodologia de trabalho em rede, onde os substratos podem ser otimizados a partir dos resultados obtidos.

Downloads

Publicado

2017-04-19

Como Citar

Vianna Bahiense, D., Laurett, L., de Souza, J. L., Sanche Muniz, E., Caetano Gonçalves, H. V., Vieira Fideles, T., Schumacher, J., Favarato, L. F., & Angeletti, M. da P. (2017). REDE DE AÇÕES PARA IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA PLANTIO DIRETO NA PALHA NA REGIÃO CENTRO-SERRANA DO ESPÍRITO SANTO. Revista Univap, 22(40), 780. https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.1583