DETERMINAÇÃO DOS ATRIBUTOS MECÂNICOS E CARACTERIZAÇÃO POR FTIR DO SOLO DA FAZENDA DO POÇO “JACAREÍ UNIVAP CAMPUS URBANOVA”: UMA AVALIAÇÃO INTEGRADA DA RECUPERAÇÃO AMBIENTAL

Douglas Cubas Pereira, Reinaldo José dos Santos, Maria Regina de Aquino-Silva, Kumiko Koibuchi Sakane

Resumo


O solo é tridimensional e dinâmico formado por partes sólidas, líquidas e gasosas de origem mineral e orgânica que estão ligados a diversos processos ecossistêmicos. A mineração de areia causa inúmeros impactos no solo cuja recuperação necessita de manejo monitoramento dos indicadores de qualidade do solo. No presente trabalho, realizou-se o levantamento dos atributos mecânicos densidade do solo e de partículas, macro, micro e porosidade total de três áreas de manejo na Fazenda do Poço para estabelecer a eficiência do processo de recuperação por meio de avaliação estatística por análise de variância (ANOVA), teste T de Student (p < 0,05), correlação de Pearson e avaliação e atribuição aproximada das bandas da estrutura das amostras por espectroscopia no infravermelho médio com Transformada de Fourier com processamento por análise multivariada. O fragmento florestal (A4) apresentou os melhores indicadores físicos, a área A1 apresentou melhores condições que A2, similares à A4. Condições adversas impediram coleta em A3. A macroporosidade e densidade do solo foram os melhores indicadores de degradação. Foi possível atribuir aproximadamente as principais bandas no FTIR e a análise multivariada demonstra a homogeneidade do solo da área. Para reduzir o impacto da compactação é necessário complementar a presença de matéria orgânica, facilitando a ação da biota do solo com enriquecimento de espécies arbóreas com raízes agressivas para mitigar a compactação do solo principalmente em A2.


Palavras-chave


Mineração de areia; atributos mecânicos do solo; recuperação ambiental; indicadores de qualidade do solo; avaliação estatística.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, R. O. P. O.; SÁNCHEZ L. E. Indicadores da qualidade do substrato para monitoramento de áreas de mineração revegetadas. Floresta e Ambiente, v. 22, n. 2, p. 153-163, 2015.

ANDRADE, R. da S.; STONE, L. F. Índice S como indicador da qualidade física de solos do cerrado brasileiro. R. Bras. Eng. Agríc. Ambiental., v. 13, n. 4, p. 382-388, 2009.

BEUTELSPACHER, H.; VAN DER MAREL. H. W. Atlas of infrared spectroscopy of clay minerals and their admixtures. Amsterdam: Elsevier, 1976. 379 p.

BEUTLER, A. N. et al. Densidade relativa ótima de Latossolos Vermelhos para a produtividade de soja. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 29, p. 843-849, 2005.

BITTAR, I. M. B. et al. Influência da Textura do Solo na Atividade Microbiana, Decomposição e Mineralização do Carbono de Serapilheira de Sítios do Bioma Cerrado sob Condições de Incubação. Biosci. J., v. 29, n. 6, p. 1952-1960, 2013.

BOSKEY, A.; CAMACHO, N. P. FT-IR imaging of native and tissue-engineered bone and cartilage. Biomaterials, v. 28, n. 15, p. 2465-2478, 2007.

BRASIL. Departamento Nacional de Produção Mineral. Sumário Mineral. Brasília: DNPM, 2016. 135 p.

CALDERÓN, F. et al. Diffuse-reflectance Fourier-transform mid-infrared spectroscopy as a method of characterizing changes in soil organic matter. Soil Science Society of America Journal, v. 77, n. 5, p. 1591-1600, 2013.

CARMONA, I. N. et al. Caracterização Química e Mineral de Feições de Solos tipo TPA da Região do Salobo (Província Mineral de Carajás, Pará). In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA DO SOLO, 35., 2015, Natal. Anais...Natal: UFOPA, 2015. Disponível em: https://www.sbcs.org.br/cbcs2015/arearestrita/arquivos/711.pdf. Acesso em: 01 out. 2019.

DICK, D. P.; SANTOS, J. H. Z.; FERRANTI, E. M. Chemical characterization and infrared spectroscopy of soil organic matter from two southern Brazilian soils. Revista Brasileira de Ciência do Solo., v. 27, n. 1, p. 29-39, jan./fev. 2003.

DONAGEMA, G. K. et al. Manual de métodos de análise de solos. 2. ed. Rio de Janeiro. Embrapa Solos, 2011. 230 p.

DU, C. et al. Characterization of soils using photoacoustic mid-infrared spectroscopy. Applied spectroscopy., v. 61, n. 10, p. 1063-1067, 2007.

HILLEL, D. Environmental soil physics. San Diego: Academic Press, 1998. 771p.

LAL, R. Métodos para avaliação do uso sustentável dos recursos solo e água nos trópicos. Jaguariúna: Embrapa Meio Ambiente, 1999. 97 p.

LARSON, R.; FABER, B. Estatística aplicada. São Paulo: Prentice Hall, 2010. 672 p.

MARGENOT, Andrew J. et al. IR Spectroscopy, soil analysis applications. In: Encyclopedia of Spectroscopy and Spectrometry. Elsevier Inc., p. 448-454, 2017.

NAYAK, P. S.; SINGH, B. K. Instrumental characterization of clay by XRF, XRD and FTIR. Bulletin of Materials Science, v. 30, n. 3, p. 235-238, 2007.

PEREIRA, D. C. et al. Aplicação da Espectroscopia no Infravermelho na Análise Granulométrica (75 µm e 125 µm) de Salvinia auriculata. In: ENCONTRO LATINO AMERICANO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 21., 2017, São José dos Campos. Anais eletrônicos... São José dos Campos: UNIVAP, 2017.

PIMENTEL-GOMES, F. Curso de estatística experimental. São Paulo: Nobel, 1990.

REICHARDT, K.; TIMM, L. C. Solo, planta e atmosfera: conceitos, processos e aplicações. Barueri: Manole, 2008. 524 p.

SANTOS, R. D. et al. Manual de descrição e coleta de solo no campo. 5. ed. Viçosa: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 2005. 92 p.

SILVA, A. O. da.; HERDJANIA, V. de L. Mesa de tensão com areia: Procedimentos para montagem e validação. R. Bras. Ci. Solo. n. 32, p. 2209-2114, 2008.

SILVA, M. A. A. Avaliação da qualidade ambiental de áreas degradadas em recuperação: Fazenda do Poço (Jacareí/SP): um estudo de caso. 2016. 71f. Dissertação (Mestrado Profissional) – Universidade do Vale do Paraíba, São José dos Campos, 2016.

SMIDT, E.; MEISSL, K. The applicability of Fourier transform infrared (FT-IR) spectroscopy in waste management. Waste management., v. 27, n. 2, p. 268-276, 2007.

TAVARES, S. R. de L. et al. Curso de recuperação de áreas degradadas. Rio de Janeiro. Embrapa Solos, 2008. 238 p.

VEIGA, M. Metodologia para coleta de amostras e análises físicas do solo. Florianópolis: Epagri, 2011. 52 p.




DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revistaunivap.v26i51.2426

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Univap

A Revista Univap informa que:

- Recebe submissões de artigos em fluxo contínuo;

- Não aceita trabalhos de revisões de literatura;

- Não há limite de autores. Em 2021 irá limitar a 5 autores por trabalhos;

- Consulte as Normas Gerais de Publicação <https://revista.univap.br/index.php/revistaunivap/about/editorialPolicies#custom-2> e o Template <http://www1.univap.br/revista/20200812_Template_Revista_Univap.doc> para formatação do trabalhos;

- Os autores deverão seguir rigorosamente as orientações do Template/Modelo e inserir o número de Orcid nos Metadados da submissão;

- Os autores deverão enviar uma Declaração de Conflito de Interesses que deve ser preenchida, assinada e enviada através do passo 4 do processo de submissão. Portanto, nenhum artigo será publicado na Revista Univap sem o preenchimento desses requisitos. <http://www1.univap.br/revista/Declara_Rev_Univap.docx>

- Recomendamos que inclua um documento suplementar indicando três avaliadores com experiência na área (nome, email, Lattes);

- O prazo médio de avaliação é de 6 meses.


Revista UniVap, e-ISSN 2237-1753, é uma publicação eletrônica (a partir da edição nº 29 passa a ser on-line) editada pela Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP), que tem o intuito de promover a divulgação de pesquisas e estudos, cumprindo a tríplice missão da universidade, de proporcionar ensino, pesquisa e extensão de modo indissociável. Esta publicação incentiva as pesquisas e procura o envolvimento de seus professores e alunos em pesquisas e cogitações de interesse social, educacional, científico ou tecnológico. Aceita artigos originais, não publicados anteriormente, de seus docentes, discentes, bem como de autores da comunidade científica nacional e internacional. Publica artigos, notas científicas, relatos de pesquisa, estudos teóricos, relatos de experiência profissional e resenhas.

- ACESSO ÀS NORMAS GERAIS PARA PUBLICAÇÃO DE TRABALHOS NA REVISTA UNIVAP

- FLUXOGRAMA DO PROCESSO EDITORIAL


O endereço da revista é http://revista.univap.br/index.php/revistaunivap

 

Atualmente, a Revista UNIVAP possui 7 indexadores e 1 diretório:

O Índice de Citações da Revista UNIVAP está disponível por intermédio do Google Acadêmico <https://scholar.google.com.br/citations?user=tmYYoVwAAAAJ&hl=pt-BR>.