ANÀLISE BIOMECÂNICA COMPARATIVA DO PADRÃO DE MOVIMENTO ENTRE CORREDORES APÓS DOIS PROTOCOLOCOS DE TREINAMENTO DE ATRATOR

Maria Mesquita Portela, Mario Oliveira Lima, Leandro Pinto Silva, Paulo Roxo Barja, Rafael Fernandes Temoteo, Emilia Angela Lo Schiavo Arisawa

Resumo


A corrida é composta por quatro fases: reação, aceleração, velocidade máxima e desaceleração. O estudo da biomecânica nos atletas compreende, atualmente, a análise do padrão do movimento, sendo considerada uma técnica de relevância por captar os movimentos do atleta ao longo de todas as fases da corrida pela análise cinemática. Este estudo visou avaliar a eficácia da aplicação de dois protocolos de treinamento de trator para correção do padrão de movimento em corredores, utilizando a análise biomecânica. A amostra foi constituída por 21 corredores profissionais divididos em três grupos: G1- Controle - voluntários não submetidos a treinamento específico; G2- Habilidades Motoras - voluntários submetidos a exercícios de habilidades motoras e G3- composto por voluntários submetidos a exercícios de força. Os componentes dos grupos G2 e G3 foram submetidos a duas modalidades distintas de treino de atrator (3 vezes/semana, 4 semanas), para a análise biomecânica foi utilizado o software Tracker. Os resultados obtidos demonstraram que voluntários descalços apresentaram redução do ângulo de dorsiflexão, com consequente maior rapidez na força de reação do solo em contato com o pé. Os voluntários de ambos os grupos submetidos a distintos protocolos de treinamento mostraram resultados positivos. No entanto, G3 apresentou melhora em todos os parâmetros analisados, após curto período de treino, além de aumento da força máxima suportada pelo voluntário. A análise biomecânica permitiu observar ainda que um calçado adequado altera a biomecânica da corrida, resultando em resposta mais rápida e eficaz, bem como correção do padrão de movimento. Concluiu-se por meio da avaliação comparativa entre dois protocolos de treino de atrator, exercícios de força ou habilidades motoras, que ambos constituem recurso eficaz por atuar diretamente na correção do padrão de movimento adotado pelos corredores.


Palavras-chave


Analise biomecânica; treino; desempenho; corrida.

Texto completo:

PDF

Referências


BIANCO, R. et al. The influence of running shoes cumulative usage on the ground reaction forces and plantar pressure responses. Rev. Bras. Educ. Fís. Esporte, São Paulo, v. 25, n. 4, p. 583-91, out./dez. 2011.

CATELLI, D. S.; KURIKI, H. U.; NASCIMENTO, P. R. C. Lesão esportiva: Um estudo sobre a síndrome dolorosa femoropatelar. Motri., Ribeira de Pena, v. 8, n. 2, p. 62, 2012.

CLARK, K. P.; WEYAND, P. G. Are running speeds maximized with simple-spring stance mechanics? J. Appl. Physiol. (1985), Bethesda, MD, v. 117, n. 6, p. 604-615, 2014.

KASMER, M. E. et al. Foot-strike pattern and performance in a marathon. Int. J. Sports Physiol. Perform., Champaign, Ill. v. 8, n. 3, p. 286-292, 2013.

KENT, P.; LAIRD, R.; HAINES, T. The effect of changing movement and posture using motion-sensor biofeedback, versus guidelines-based care, on the clinical outcomes of people with sub-acute or chronic low back pain-a multicentre, cluster-randomised, placebo-controlled, pilot trial. BMC Musculoskelet. Disord., London, v. 16, n. 1, p. 131, 2015.

MAZEROLLE, S. M. et al. An assessment of burnout in graduate assistant certified athletic trainers. J Athl Train., Dallas, v. 47, n. 3, p. 320-328, 2012.

MILLER, A. F. et al. Athletic groin pain (part 2): a prospective cohort study on the biomechanical evaluation of change of direction identifies three clusters of movement Patterns. Br. J. Sports Med., Loughborough, v. 51, p. 460-468, 2017.

OLIVEIRA, N. T. B. et al. Análise biomecânica do tronco e pelve em exercícios do método pilates: revisão sistemática. Fisioter. Pesq., São Paulo, v. 22, n. 4, p. 443-55, 2015.

ONATE, J. A. et al. Real-time intersession and interrater reliability of the functional movement screen. J. Strength Cond. Res., Champaign, IL, v. 26, n. 2, p. 408-415, 2012.

ÖRER, G. E.; GÜZEL, N. A.; ARSLAN, E. Recovery levels after eccentric and concentric loading in maximal force. J. Phys. Ther. Sci., Moroyama v. 28, n. 6, p. 1743-1747, 2016.

RANE, L.; BULL, A. M. J. Functional electrical stimulation of gluteus medius reduces the medial joint reaction force of the knee during level walking. Arthritis Res. Ther., London, v. 18, n. 1, p. 255, 2016.

SOBHANI, S. et al. Biomechanics of running with rocker shoes. J. Sci. Med. Sport, Belconnen, v. 20, p. 38–44, 2017.

SOUZA, C. A. et al. Características do treinamento e associação de lesões em corredores dos 10 km tribuna FM-UNILUS. UNILUS Ensino e Pesquisa, Santos, v. 11, n. 23, p. 96-102, 2014

TARTARUGA, M. P. et al. Relação entre consumo máximo e submáximo de oxigênio em corredores e remadores de rendimento. Rev. Educ. Fís., Rio de Janeiro, v. 141, 22-33, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revistaunivap.v25i48.2196

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Univap

 Revista Univap informa que:

- Recebe submissões de artigos em fluxo contínuo;

- Não aceita trabalhos de revisões de literatura;

- Limite de 5 autores por trabalhos;

- Consulte as Normas Gerais de Publicação <https://revista.univap.br/index.php/revistaunivap/about/editorialPolicies#custom-2> e o Template <www1.univap.br/revista/20201215_Template_Revista_Univap.doc> para formatação do trabalhos;

- Os autores deverão seguir rigorosamente as orientações do Template/Modelo e inserir o número de Orcid nos Metadados da submissão;

Declarações a serem enviadas como documento suplementar:


Declaração de Conflito de Interesses que deve ser preenchida, assinada e enviada através do passo 4 do processo de submissão. Portanto, nenhum artigo será publicado na Revista Univap sem o preenchimento desses requisitos. <http://www1.univap.br/revista/Declara_Rev_Univap.doc>

- Declaração de Responsabilidade por tradução de língua inglesa/espanhola

Os autores deverão encaminhar Declaração de Responsabilidade de Tradução de língua inglesa/espanhola assinada por tradutor profissional.
<http://www1.univap.br/revista/Declaracao_traducao_profissional.doc>

Recomendamos os revisores abaixo entretanto, fica a critério do autor. 

Língua Inglesa - recomendamos o contato cpotraducao.
Língua Espanhola - recomendamos o contato traducao.

- Envio de documento suplementar com Indicação de Avaliadores (três) com experiência na área (nome, email, Lattes);

- O prazo médio de avaliação é de 6 meses.


Revista UniVap, e-ISSN 2237-1753, é uma publicação eletrônica editada pela Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP), que tem o intuito de promover a divulgação de pesquisas e estudos, cumprindo a tríplice missão da universidade, de proporcionar ensino, pesquisa e extensão de modo indissociável. Esta publicação incentiva as pesquisas e procura o envolvimento de seus professores e alunos em pesquisas e cogitações de interesse social, educacional, científico ou tecnológico. Aceita artigos originais, não publicados anteriormente, de seus docentes, discentes, bem como de autores da comunidade científica nacional e internacional. Publica artigos, notas científicas, relatos de pesquisa, estudos teóricos, relatos de experiência profissional e resenhas.

- ACESSO ÀS NORMAS GERAIS PARA PUBLICAÇÃO DE TRABALHOS NA REVISTA UNIVAP

- FLUXOGRAMA DO PROCESSO EDITORIAL


O endereço da revista é http://revista.univap.br/index.php/revistaunivap


Fontes de indexação da Revista UNIVAP:

 

 

O Índice de Citações da Revista UNIVAP está disponível por intermédio do Google Acadêmico <https://scholar.google.com.br/citations?user=tmYYoVwAAAAJ&hl=pt-BR>.

              


Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.