ANÁLISE BIOMECÂNICA DOS EXTENSORES E FLEXORES DO JOELHO POR MEIO DO DINAMÔMETRO ISOCINÉTICO EM PRATICANTES DE ARTES MARCIAIS

Susane Moreira Machado, Leandra Monteiro Paiva, Fernanda Gonzaga Napoleone, Newton Soares Silva, Alderico Paula Lima, Rodrigo Lazo Osorio

Resumo


As artes marciais Taekwondo e Kick Boxing utilizam o chute durante a competição, sobrecarregando a articulação do joelho que é solicitada para dar mobilidade e estabilidade e está em constante movimento e stress. A análise biomecânica em praticantes de artes marciais busca a compreensão e quantificação da sobrecarga mecânica imposta ao aparelho locomotor; para isso, há a avaliação isocinética. Este estudo consiste na análise biomecânica dos músculos extensores e flexores do joelho, por meio do dinamômetro isocinético, para a verificação da relação agonista/antagonista do joelho, na produção de torque, utilizando-se a velocidade de 60°/s, e comparação do pico de torque, na potência muscular dos atletas, nas velocidades de 180°/s e 240°/s. Observou-se que, entre a musculatura agonista e antagonista do joelho, na velocidade de 60°/s, uma média de 51,02% para o joelho esquerdo e 53,43% para o direito, apresentou um equilíbrio entre os lados, sem diferença significativa. Para o pico de torque na potência muscular dos atletas, nas velocidades de 180°/s e 240°/s, houve diferença significativa para os extensor direito e esquerdo e no flexor direito, comparando-se bilateralmente. Portanto, os praticantes de artes marciais avaliados apresentam-se dentro do padrão, de torque e potência muscular, descrito na literatura, quando realizados os testes, mantendo, assim, o padrão extensor mais desenvolvido que o flexor, evitando, dessa forma, lesões músculo-esqueléticas.


Palavras-chave


acesso livre

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revunivap.v18i31.30

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais

Revista UniVap é uma publicação eletrônica (a partir da edição nº 29 passa a ser on-line) editada pela Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP), que tem o intuito de promover a divulgação de pesquisas e estudos, cumprindo a tríplice missão da universidade, de proporcionar ensino, pesquisa e extensão de modo indissociável. Esta publicação incentiva as pesquisas e procura o envolvimento de seus professores e alunos em pesquisas e cogitações de interesse social, educacional, científico ou tecnológico. Aceita artigos originais, não publicados anteriormente, de seus docentes, discentes, bem como de autores da comunidade científica nacional e internacional. Publica artigos, notas científicas, relatos de pesquisa, estudos teóricos, relatos de experiência profissional e resenhas.

- ACESSO ÀS NORMAS GERAIS PARA PUBLICAÇÃO DE TRABALHOS NA REVISTA UNIVAP

- FLUXOGRAMA DO PROCESSO EDITORIAL


O endereço da revista é http://revista.univap.br/index.php/revistaunivap

 

Atualmente, a Revista UNIVAP possui 9 indexadores:

O Índice de Citações da Revista UNIVAP está disponível por intermédio do Google Acadêmico <https://scholar.google.com.br/citations?user=tmYYoVwAAAAJ&hl=pt-BR>.