TESTE COLORIMÉTRICO EM GRÃOS DE PÓLEN DE Passiflora caerulea, P. foetida, P. miniata e P. mucronata

Kalia Dável Grecco, Katiuss Ferreira Borges, Milene Miranda Praça-Fontes

Resumo


A análise de viabilidade polínica de espécies de Passiflora L. é importante para cruzamentos em melhoramento genético, pois obtêm-se a taxa de fertilidade masculina. Nesse sentido, o presente trabalho teve como objetivo caracterizar a taxa de viabilidade polínica de quatro espécies de Passiflora: P. caerulea, P. foetida, P. miniata e P. mucronata. Para as análises de viabilidade foi utilizado técnica de coloração citoquímica, utilizando os corantes: Lugol, Orceína e solução de Alexander. Os botões florais foram coletados e fixados em solução de metanol: acido acético (3:1) e mantidos sob refrigeração. Foram preparadas lâminas e analisadas ao microscópio óptico, considerando grãos de pólen viáveis e não viáveis, através da diferenciação colorimétrica e de tamanho. A contagem foi de 1000 grãos de pólen por lâmina. P. mucronata foi a espécie que apresentou os melhores resultados de viabilidade de pólen, diferindo estatisticamente de P. foetida, P. miniata e P. caerulea, quando os corantes Lugol e Orceína foram utilizados. Quando a solução de Alexander foi utilizada P. mucronata diferiu de P. foetida e P. miniata. Os menores valores de viabilidade dos pólens foram observados para P. foetida.  


Palavras-chave


Maracujás; Passiflora L.; Orceína acética; Lugol; Viabilidade do pólen

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.1366

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista Univap

Revista UniVap é uma publicação eletrônica (a partir da edição nº 29 passa a ser on-line) editada pela Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP), que tem o intuito de promover a divulgação de pesquisas e estudos, cumprindo a tríplice missão da universidade, de proporcionar ensino, pesquisa e extensão de modo indissociável. Esta publicação incentiva as pesquisas e procura o envolvimento de seus professores e alunos em pesquisas e cogitações de interesse social, educacional, científico ou tecnológico. Aceita artigos originais, não publicados anteriormente, de seus docentes, discentes, bem como de autores da comunidade científica nacional e internacional. Publica artigos, notas científicas, relatos de pesquisa, estudos teóricos, relatos de experiência profissional e resenhas.

- ACESSO ÀS NORMAS GERAIS PARA PUBLICAÇÃO DE TRABALHOS NA REVISTA UNIVAP

- FLUXOGRAMA DO PROCESSO EDITORIAL


O endereço da revista é http://revista.univap.br/index.php/revistaunivap

 

Atualmente, a Revista UNIVAP possui 9 indexadores:

O Índice de Citações da Revista UNIVAP está disponível por intermédio do Google Acadêmico <https://scholar.google.com.br/citations?user=tmYYoVwAAAAJ&hl=pt-BR>.