EFEITOS NEUROPROTETORES DA HIDROCORTISONA EM LINHAGEM DE NEUROBLASTOMA DE MURINO (NEURO-2A) SOB ESTRESSE OXIDATIVO

Rafaella Carvalho Rossato, Jéssica Cristina Pinto, Carlos Dailton Guedes de Oliveira Moraes, Jessica Tereza Guedes de Oliveira Moraes, Geisa Nogueira Salles, Cristina Pacheco Soares

Resumo


A Doença de Alzheimer é um tipo de demência que acomete milhões de pessoas, sendo responsável por 60% de todos os casos de doenças neurodegenerativas. Embora não tenha cura, diversas estratégias de estudo vêm sendo desenvolvidas a fim de elucidar os mecanismos da doença. Estudos recentes abordam os benefícios do cortisol em aspectos imunológicos, musculares, renais, respostas inflamatórias e até mesmo em patologias neurodegenerativas.  A hidrocortisona é um medicamento sintético utilizado para simular o cortisol. Deste modo, o estudo explora os efeitos da hidrocortisona na senescência neural, objetivando analisar seu efeito neuroprotetor. Assim, desenvolveu-se um modelo experimental in vitro de estresse oxidativo, induzido por peróxido de hidrogênio na linhagem celular Neuro-2a (Neuroblastoma de Murino) a fim de simular aspectos característicos da Doença de Alzheimer. Foram então realizados experimentos de viabilidade e morfologia celular. A hidrocortisona em baixa concentração promoveu aumento na viabilidade celular, enquanto que o peróxido de hidrogênio diminuiu a viabilidade celular, ocorrendo o efeito de estresse oxidativo. No aspecto morfológico, a hidrocortisona preservou os prolongamentos das células, já o peróxido de hidrogênio fez com que os prolongamentos retraíssem, assim perdendo as sinapses. Com os resultados obtidos, pode-se concluir que a hidrocortisona preservou a célula neural do efeito do estresse oxidativo.

Palavras-chave


Doença de Alzheimer; estresse oxidativo; hidrocortisona; neuroproteção.

Texto completo:

PDF

Referências


ABOELWAFA, Hanaa R.; YOUSEF, Hany N. The ameliorative effect of thymol against hydrocortisone-induced hepatic oxidative stress injury in adult male rats. Biochemistry and cell biology, v. 93, n. 4, p. 282-289, 2015.

BARBOSA, Lívea Fujita; MEDEIROS, Marisa H. G.; AUGUSTO, Ohara. Danos oxidativos e neurodegeneração: o que aprendemos com animais transgênicos e nocautes?. Química Nova, v. 29, n. 6, p. 1352, 2006.

BUENO, Juliano Ribeiro; GOUVÊA, Cibele Marli Cação Paiva. Cortisol e exercício: efeitos, secreção e metabolismo. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício (RBPFEX), v. 5, n. 29, p. 1-7, 2011.

CAYTON, Harry. Tudo sobre doença de Alzheimer. São Paulo: Editora Andrei, 2016.

CECCHI, Cristina et al. A protective role for lipid raft cholesterol against amyloid-induced membrane damage in human neuroblastoma cells. Biochimica et Biophysica Acta (BBA)-Biomembranes, v. 1788, n.10, p. 2204-2216, 2009.

CRUZAT, Vinicius Fernandes et al. Aspectos atuais sobre estresse oxidativo, exercícios físicos e suplementação. Rev Bras Med Esporte, v. 13, n. 5, p. 336-342, 2007.

DAMIANI, Durval et al. Corticoterapia e suas repercussões: a relação custo-benefício. Pediatria (São Paulo), v. 23, p. 71-82, 2001.

DOMÍNGUEZ-ÁLVARO, M. et al. 3D Electron Microscopy study of synaptic organization of the normal human transentorhinal cortex and its possible alterations in Alzheimer’s disease. eNeuro, v. 6, n. 4, 2019.

EBRAHIMI, Ali et al. How effective are alprostadil and hydrocortisone on reperfusion injury in kidney after distant organ ischemia? Journal of research in medical sciences: the official journal of Isfahan University of Medical Sciences, v. 18, n. 9 p. 755-758, 2013.

EVANGELISTI, Elisa et al. Plasma membrane injury depends on bilayer lipid composition in Alzheimer's disease. Journal of Alzheimer's Disease, v. 41, n. 1, p. 289-300, 2014.

FALCO, Anna et al. Alzheimer's disease: etiological hypotheses and treatment perspectives. Quimica Nova, v. 39, n. 1, p. 63-80, 2016.

FELIPPE, Lilian Assunção. Funções executivas, atividades de vida diária e habilidade motora de idosos com doenças neurodegenerativas. Campo Grande. 71f. Dissertação (Mestrado em Saúde e Desenvolvimento) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2013.

FLORIO, Salvatore et al. Hydrocortisone has a protective effect on CyclosporinA‐induced cardiotoxicity. Journal of cellular physiology, v. 195, n. 1, p. 21-26, 2003.

HAM, Sangwoo et al. Hydrocortisone-induced parkin prevents dopaminergic cell death via CREB pathway in Parkinson’s disease model. Scientific reports, v. 7, n. 525, p. 1-13, 2017.

LIAW, Kevin; ZHANG, Zhi; KANNAN, Sujatha. Neuronanotechnology for brain regeneration. Advanced Drug Delivery Reviews, v. 148, p. 3-18, 2019.

MAYES, Jennifer et al. β-amyloid fibrils in Alzheimer disease are not inert when bound to copper ions but can degrade hydrogen peroxide and generate reactive oxygen species. Journal of Biological Chemistry, v. 289, 17, p. 12052-12062, 2014.

MONTEIRO, Mariana Raquel; KANDRATAVICIUS, Ludmyla; LEITE, João Pereira. O papel das proteínas do citoesqueleto na fisiologia celular normal e em condições patológicas. J. epilepsy clin. neurophysiol, v. 17, n. 1, p. 17-23, 2011.

MORAES, Carlos Dailton Guedes de Oliveira et al. Genotoxic effects of photodynamic therapy in laryngeal cancer cells–An in vitro study. Experimental Biology and Medicine, v. 244, n. 3, p. 262-271, 2019.

MORALES, Inelia; FARÍAS, Gonzalo; MACCIONI, Ricardo B. La neuroinflamación como factor detonante del desarrollo de la enfermedad de Alzheimer. Revista chilena de neuro-psiquiatría, v. 48, n. 1, p. 49-57, 2010.

PRINCE, M.; JACKSON, J. Relatório sobre a Doença de Alzheimer no mundo. Londres (UK): Alzheimer's Disease International, 2010.

RABELO, Thallita Kelly. Caracterização redox-ativa do ácido úrico e seu efeito citotóxico em células SH-SY5Y. 2012. 50f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Sergipe, Aracaju, 2012.

ROSSATO, Rafaella Carvalho et al. Hydrocortisone cytorestores oxidative stress-induced neuroblastoma. Alzheimer's & Dementia: The Journal of the Alzheimer's Association, v. 15, n. 7, p. 642, 2019.

SALLES, Geisa Nogueira et al. A novel bioresorbable device as a controlled release system for protecting cells from oxidative stress from Alzheimer’s Disease. Molecular neurobiology, v. 54, n. 9, p. 6827-6838, 2017.

SALLES, Geisa Nogueira, et al. Prolonged Drug-Releasing Fibers Attenuate Alzheimer’s Disease-like Pathogenesis. ACS Applied materials & interfaces, v. 10, n. 43, p. 36693-36702, 2018.

SALLES, Geisa Nogueira et al. Neuroprotective and restorative properties of the GLP-1/GIP dual agonist DA-JC1 compared with a GLP-1 single agonist in Alzheimer's disease. Neuropharmacology, v. 162, 2020.

SOARES, António José de Almeida; ALVES, Maria da Graça Pereira. Cortisol como variável em psicologia da saúde. Psicologia, Saúde & Doenças, v. 7, n. 2, p. 165-177, 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revistaunivap.v26i52.2460

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Univap

A Revista Univap informa que:

- Recebe submissões de artigos em fluxo contínuo;

- Não aceita trabalhos de revisões de literatura;

- Limite de 5 autores por trabalhos;

- Consulte as Normas Gerais de Publicação <https://revista.univap.br/index.php/revistaunivap/about/editorialPolicies#custom-2> e o Template <www1.univap.br/revista/20201215_Template_Revista_Univap.doc> para formatação do trabalhos;

- Os autores deverão seguir rigorosamente as orientações do Template/Modelo e inserir o número de Orcid nos Metadados da submissão;

Declarações a serem enviadas como documento suplementar:


Declaração de Conflito de Interesses que deve ser preenchida, assinada e enviada através do passo 4 do processo de submissão. Portanto, nenhum artigo será publicado na Revista Univap sem o preenchimento desses requisitos. <http://www1.univap.br/revista/Declara_Rev_Univap.doc>

- Declaração de Responsabilidade por tradução de língua inglesa/espanhola

Os autores deverão encaminhar Declaração de Responsabilidade de Tradução de língua inglesa/espanhola assinada por tradutor profissional.
<http://www1.univap.br/revista/Declaracao_traducao_profissional.doc>

Recomendamos o contato cpotraducao. Entretanto, fica a critério do autor. 

- Envio de documento suplementar com Indicação de Avaliadores (três) com experiência na área (nome, email, Lattes);

- O prazo médio de avaliação é de 6 meses.


Revista UniVap, e-ISSN 2237-1753, é uma publicação eletrônica editada pela Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP), que tem o intuito de promover a divulgação de pesquisas e estudos, cumprindo a tríplice missão da universidade, de proporcionar ensino, pesquisa e extensão de modo indissociável. Esta publicação incentiva as pesquisas e procura o envolvimento de seus professores e alunos em pesquisas e cogitações de interesse social, educacional, científico ou tecnológico. Aceita artigos originais, não publicados anteriormente, de seus docentes, discentes, bem como de autores da comunidade científica nacional e internacional. Publica artigos, notas científicas, relatos de pesquisa, estudos teóricos, relatos de experiência profissional e resenhas.

- ACESSO ÀS NORMAS GERAIS PARA PUBLICAÇÃO DE TRABALHOS NA REVISTA UNIVAP

- FLUXOGRAMA DO PROCESSO EDITORIAL


O endereço da revista é http://revista.univap.br/index.php/revistaunivap

 

Fontes de indexação da Revista UNIVAP:

O Índice de Citações da Revista UNIVAP está disponível por intermédio do Google Acadêmico <https://scholar.google.com.br/citations?user=tmYYoVwAAAAJ&hl=pt-BR>.


Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.