ANÁLISE CELULAR E MOLECULAR DO PROCESSO APOPTÓTICO EM CÉLULAS ESTRELADAS HEPÁTICAS TRATADAS COM O PEPTÍDEO ANGIOTENSINA-(1-7).

Letícia Ferreira Ramos, Brenda de Oliveira da Silva, Letícia Rocha Gonçalves, Karen Cristiane Martinez de Moraes

Resumo


O fígado possui funções importantes e danos excessivos neste órgão acarretam em alterações metabólicas que podem induzir o aparecimento da fibrose do órgão. Dependendo da intensidade e persistência do estímulo indutor da fibrose, estes podem levar à cirrose e até mesmo ao hepatocarcinoma. Sabe-se que a necrose e a apoptose podem ocorrer em resposta a danos crônicos, mas também podem reverter o quadro fibrosante. Além disso, durante estímulos negativos, o estresse oxidativo também contribui para o estabelecimento da fibrose.  Uma das células relacionadas com a fibrogênese do órgão são as células estreladas hepáticas. Estas se apresentam quiescentes em fígados saudáveis e ativadas em fígados doentes. Atualmente terapias inovadoras são objetivadas e a Angiotensina-(1-7) [Ang-(1-7)], desponta-se como um possível elemento modulador da fibrose. Neste estudo observou-se a atuação da Ang-(1-7) no controle de mecanismos negativos no equilíbrio dessas células.


Palavras-chave


células estreladas hepáticas; estresse oxidativo; fibrose hepática; morte e equilíbrio celular.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.1379

Apontamentos

  • Não há apontamentos.