ESTUDO BIOQUÍMICO DO POTENCIAL DA MEMBRANA AMNIÓTICA NA FIBROSE HEPÁTICA INDUZIDA EM RATOS

Shaine Silva Maciel, Luciana Barros Sant'Anna

Resumo


A fibrose hepática causada por obstrução do ducto biliar induz alterações tanto na estrutura como na função do fígado, e pode levar a cirrose e insuficiência hepática, quando não tradada. A membrana amniótica humana (MA) devido às suas propriedades anti-inflamatórias e anti-fibróticas pode ser uma terapia alternativa. A proposta desse trabalho é analisar as alterações nos níveis séricos das principais enzimas celulares e da albumina, na fibrose hepática induzida pela ligadura do ducto biliar (LDB) e após o tratamento com a MA. Dez ratos foram divididos nos grupos LDB e LDB+MA, e eutanasiados após 9 semanas da LDB. As amostras de sangue foram processadas bioquimicamente para análise da albumina (ALB), fosfatase alcalina (FA) e transaminases (TGP e TGO).  Comparando os grupos experimentais verificou-se que no grupo LDB+MA houve a diminuição da ALB e TGP e no grupo LDB houve a diminuição da FA e TGO, entretanto sem apresentar diferença significante entre os grupos. Conclui-se que a MA, quando aplicada ao fígado no mesmo momento da indução da fibrose, parece não ter exercido efeito significativo na função hepática.


Palavras-chave


Bioquímica; Colestase; Fibrose Hepática; Membrana Amniótica.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.1190

Apontamentos

  • Não há apontamentos.