O EFEITO DO TRICLOSAN NO PROCESSO FIBROSANTE DE CÉLULAS HEPÁTICAS LX-2 MEDIANTE A AÇÃO NA SÍNTESE DE ÁCIDO GRAXO DE NOVO

Juliana Fabiani Miranda, Brenda Oliveira da Silva, Letícia Ferreira Ramos, Letícia Rocha Gonçalves, Karen Cristiane Martinez de Moraes

Resumo


A fibrose hepática é uma condição clínica presente na maioria das doenças hepáticas, caracterizada pelo aumento na síntese dos componentes da matriz extracelular na tentativa de cicatrização do tecido lesionado. A principal célula responsável pelo desenvolvimento da fibrose hepática é a célula estrelada hepática, localizada no espaço de Disse. Esta apresenta dois fenótipos: o quiescente e o ativado. O metabolismo de lipídeo na célula estrelada está relacionado com o fornecimento de energia para a iniciação e perpetuação do seu estado ativado. Dentro deste contexto a ácido graxo sintase (FASN), proteína chave da síntese de ácido graxo de novo torna-se alvo do estudo, uma vez que o metabolismo de lipídeos está intimamente relacionado ao processo fibrosante em células estreladas hepáticas. Sabe-se que o fármaco triclosan (TCS) é inibidor da proteína FASN na síntese de ácido graxo de novo, com potencial alteração do processo fibrosante em células estreladas hepáticas. Sendo assim, avaliamos os aspectos celulares e moleculares do efeito do fármaco TCS na modulação do metabolismo de lipídeo através da inibição da FASN em modelo de células estreladas hepáticas LX-2. Os resultados demonstraram que o TCS na concentração 50 µM em cultura celular LX-2 crescida em 10% de soro bovino fetal (SBF) – estado ativado- promove alterações morfofuncionais nas células; tanto pela despolimerização dos filamentos de actina quanto pela formação de estruturas globulares de actina no citoesqueleto celular. Desta maneira, o fármaco TCS apresentou características possivelmente citotóxicas em células LX-2 com 10% de SBF. Por outro lado, o estudo da inibição da proteína FASN demonstrou resultados que sugerem uma transdiferenciação celular correlacionada com a reversão do quadro pró-fibrosante hepático em células LX-2, com o aumento das gotículas de lipídeo no citoplasma e aumento da expressão dos genes relacionados ao metabolismo de lipídeos. Estes resultados requerem maiores investigações da modulação do fármaco TCS na patogenia investigada.

Palavras-chave


Fibrose hepática; LX-2; metabolismo de lipídeo; triclosan; FASN

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.1049

Apontamentos

  • Não há apontamentos.