CARACTERIZAÇÃO QUÍMICA E ATIVIDADE MUTAGÊNICA DO ÓLEO ESSENCIAL DE Lippia alba

Autores

  • Thammyres de Assis Alves UFES - Universidade Federal do Espírito Santo - Centro de Ciências Agrárias e Engenharias. http://orcid.org/0000-0001-7697-4184
  • Carolaine dos Santos Ferreira Graduanda em Química Licenciatura/Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Ciências Agrárias e Engenharias
  • Rondinelle Giordane da Costa Mestrando em Genética e Melhoramento/Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Ciências Agrárias e Engenharias
  • Maikon Keoma da Cunha Henrique Graduando em Engenharia Florestal/ Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Ciências Agrárias e Engenharias
  • Milene Miranda Praça-Fontes Professora Adjunta/Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Ciências Exatas, Naturais e da Saúde – CCENS -UFES/Departamento de Biologia
  • Patrícia Fontes Pinheiro Professora Adjunta/Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Ciências Exatas, Naturais e da Saúde – CCENS -UFES/Departamento de Química

DOI:

https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.880

Resumo

Os óleos essenciais são substâncias voláteis que vêm despertando interesse no setor agrícola, devido o grande potencial que possuem no controle de pragas. Assim, objetivo deste trabalho foi determinar a composição química do óleo essencial de folhas de Lippia alba e avaliar o seu potencial mutagênico. Para isso, o óleo essencial foi obtido por hidrodestilação, utilizando um aparelho do tipo Clevenger, seus constituintes químicos foram analisados por meio da cromatografia em fase gasosa com detector de ionização de chama (CG-DIC) e de espectrometria de massas (CG-EM). Os compostos majoritários encontrados foram: geranial (29,83%), neral (20,71%) e óxido de cariofileno (19,26%). A toxicidade do óleo essencial de L. alba foi avaliado em sementes de Lactuca sativa. O óleo essencial de L. alba inibiu 100% o crescimento radicular das sementes de L. sativa nas concentrações de 0,720% e 0,360% (m v-1). Nas outras concentrações testadas (0,180%, 0,090%, 0,045%), o óleo essencial apresentou um decréscimo no efeito de inibição conforme diminuição de sua concentração. Logo, o óleo essencial de L. alba possui potencial a ser usado como bioherbicida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thammyres de Assis Alves, UFES - Universidade Federal do Espírito Santo - Centro de Ciências Agrárias e Engenharias.

É mestranda no programa de pós graduação em genética e melhoramento, trabalha com mutagenese e biologia molecular, tendo trabalhado na área de Fisiologia vegetal e educação durante a graduação.

Downloads

Publicado

2017-01-20

Como Citar

Alves, T. de A., Ferreira, C. dos S., Costa, R. G. da, Henrique, M. K. da C., Praça-Fontes, M. M., & Pinheiro, P. F. (2017). CARACTERIZAÇÃO QUÍMICA E ATIVIDADE MUTAGÊNICA DO ÓLEO ESSENCIAL DE Lippia alba. Revista Univap, 22(40), 376. https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.880