AVALIAÇÃO DO CONSUMO DE PRODUTOS NATURAIS POR USUÁRIOS DE ESTRATÉGIAS DE SAÚDE DA FAMÍLIA DO MUNICÍPIO DE RONDONÓPOLIS – MT

Autores

  • Ana Caroline de Lara Hospital Universitário Júlio Muller / Universidade Federal de Mato Grosso / Cuiaba-MT
  • Cristiane Melo Oliveira Universidade Federal de Mato Grosso/ Enfermagem / ICEN / Rondonópolis
  • Vanessa Alves Mendes Universidade Federal de Rondônia (UNIR), Departamento de Enfermagem
  • Patrícia Stocco UNIC, Campus Primavera do Leste, Departamento de Biomedicina
  • Milene Moreno Ferro Hein Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Rondonópolis / Departamento de Enfermagem
  • Helen Cristina Fávero Lisboa Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Instituto de Cieêcias Exatas e Naturais Campus Rondonópolis

DOI:

https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v25i47.2071

Palavras-chave:

Plantas medicinais, fitoterápicos, produtos naturais.

Resumo

A utilização de plantas em práticas populares é conhecida desde a pré-história, e, atualmente, tem sido denominada como medicina complementar de saúde. Na última década, foi observado um aumento no uso de práticas terapêuticas alternativas apoiadas por políticas no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS); em particular, o uso de plantas medicinais e de fitoterápicos.  Neste contexto, o presente trabalho teve como objetivo avaliar o consumo de plantas medicinais e fitoterápicos por usuários cadastrados nas Estratégias de Saúde da Família do município de Rondonópolis, MT. Trata-se de uma pesquisa de caráter quantitativo, com delineamento transversal, exploratória, não experimental em que foram realizadas entrevistas por meio de questionários. Do total de 71 pessoas entrevistadas, 63% não sabem a diferença entre fitoterápicos e plantas medicinais, 58% conhecem as diferentes formas de uso das plantas, 45% utilizam o chá e a parte da planta preferida pelos consumidores são as folhas (59%).  Aproximadamente 44% não realizaram nenhum tipo de consulta antes do consumo e 48 pessoas fizeram uso concomitante aos medicamentos sintéticos. Considerando os resultados obtidos, verifica-se que pode haver aumento dos riscos de intoxicação e reações adversas e demonstram a necessidade de orientação correta e precisa a respeito do uso dos produtos naturais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Caroline de Lara, Hospital Universitário Júlio Muller / Universidade Federal de Mato Grosso / Cuiaba-MT

Especialista em UTI pelo Centro Goiano de Ensino Pesquisa e Pós graduação. Graduada em Enfermagem pela Universidade Federal de Mato Grosso/Campus Universitário de Rondonópolis. Enfermeira Assistencial no Hospital Universitário Júlio Muller com vínculo pela EBSERH.

Cristiane Melo Oliveira, Universidade Federal de Mato Grosso/ Enfermagem / ICEN / Rondonópolis

Enfermeira Pela Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Rondonópolis/MT

Vanessa Alves Mendes, Universidade Federal de Rondônia (UNIR), Departamento de Enfermagem

Mestranda em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente pela Fundação Universidade Federal de Rondônia. Enfermeira pela Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Rondonópolis. Professora Auxiliar  no Departamento de Enfermagem da Fundação Universidade Federal de Rondônia.

Patrícia Stocco, UNIC, Campus Primavera do Leste, Departamento de Biomedicina

Especialista em urgência/emergência e UTI pela FBCBRASIL Faculdade Brasil Central- Cgesp Ensino, Goiânia, GO. Especialista em estética corporal e facial pela Faculdade Delta, Goiânia, GO. Graduada em enfermagem pela Universidade Federal de Mato Grosso, Rondonopolis, Mt. Professora no curso de Biomedicina e no curso de Estética e Cosmética  da Faculdade de Ciências Sociais   e Aplicadas- UNIC,  Campus Primavera do Leste. 

Milene Moreno Ferro Hein, Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Rondonópolis / Departamento de Enfermagem

Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Rondonópolis, Especialização em Gestão e Tecnologia Ambiental pela Universidade Federal de Mato Grosso, Campus de Ronsonópolis. Técnica Administrativa em Educação do Curso de Enfermagem da Universidade Federal de Mato Grosso, Campus de Rondonópolis. Área de Atuação: Educação, Microbiologia e Tecnologia Ambiental.

Helen Cristina Fávero Lisboa, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Instituto de Cieêcias Exatas e Naturais Campus Rondonópolis

Doutora e Mestre em Biotecnologia pelo Instituto de Química, UNESP, Araraquara. Graduada em Farmácia Bioquímica pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas, UNESP, Araraquara. Professora Adjunta no curso de Enfermagem da Universidade Federal De Mato Grosso, Campus de Rondonópolis. Area de atuação: Microbiologia, Bioquimica e Saúde Pública

Downloads

Publicado

2019-06-27

Como Citar

de Lara, A. C., Oliveira, C. M., Mendes, V. A., Stocco, P., Hein, M. M. F., & Lisboa, H. C. F. (2019). AVALIAÇÃO DO CONSUMO DE PRODUTOS NATURAIS POR USUÁRIOS DE ESTRATÉGIAS DE SAÚDE DA FAMÍLIA DO MUNICÍPIO DE RONDONÓPOLIS – MT. Revista Univap, 25(47), 98–109. https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v25i47.2071