DETERMINAÇÃO DA EFICÁCIA DE DIFERENTES SOLVENTES ORGÂNICOS NA DISSOLUÇÃO DOS CORANTES NATURAIS BIXINA E NORBIXINA

MARCO AURÉLIO DA SILVA COUTINHO, EZIEL CARDOSO DE LIMA, Marcio Magno Morgado Guimarães, Antonio Zilverlan Germano Matos, Abraão Leal Alves, Rondenely Brandão Da Silva, Vicente Galber Freitas Viana

Resumo


Resumo: Nos últimos anos, os pigmentos naturais de urucum têm sido substancialmente utilizados pelas indústrias de alimentos para dar cor a produtos tais como: massas alimentícias, cereais, produtos de panificação, gelados comestíveis, sobremesas, condimentos, etc. Dentre esses pigmentos destaca-se a bixina, um éster monometílico do ácido dicarbixílico alfa-norbixina pouco solúvel em óleo e anorbixina um caratenóide diácido carboxilico. Em virtude da crescente aplicação industrial  dos corantes naturais, este trabalho teve como objetivo determinar a solubilidade desses pigmentos em diferentes solventes, por meio de espectrofotometria UV-vis. Foram preparadas soluções sob as mesmas condições, utilizando-se os solventes: acetona, álcool etílico, álcool isopropílico, dimetilsulfóxido e clorofómio. A absorbância foi medida em função do comprimento de onda de cada solução por meio da análise dos espectros de UV-Vis, na região de 800 a 200 nm. Os dados obtidos referentes às análises no UV-Vis confirmaram a maior eficácia do Dimetilsulfóxido (DMSO) na dissolução da bixinae  e da acetona para o norbixina  em relação aos outros solventes.


Palavras-chave


Corante; Solubilidade; Uv-visível

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.934

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista Univap

Revista UniVap é uma publicação eletrônica (a partir da edição nº 29 passa a ser on-line) editada pela Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP), que tem o intuito de promover a divulgação de pesquisas e estudos, cumprindo a tríplice missão da universidade, de proporcionar ensino, pesquisa e extensão de modo indissociável. Esta publicação incentiva as pesquisas e procura o envolvimento de seus professores e alunos em pesquisas e cogitações de interesse social, educacional, científico ou tecnológico. Aceita artigos originais, não publicados anteriormente, de seus docentes, discentes, bem como de autores da comunidade científica nacional e internacional. Publica artigos, notas científicas, relatos de pesquisa, estudos teóricos, relatos de experiência profissional, resenhas e revisão de literatura nas diversas áreas do conhecimento científico, sempre a critério de sua Comissão Editorial e de acordo com o formato dos artigos publicados.

<Notas para trabalhos de revisão de literatura>

Recomenda-se que atendam aos requisitos:

- domínio sobre o tema abordado; base para o avanço do conhecimento na área de foco; finalidade de explicar com clareza o tema; respeitar aspectos básicos de construção: relevância e interesse; servir de base para descobrir lacunas e resolvê-las em modelo conceitual propondo encaminhamento de hipóteses ou proposições; focar na teoria e não somente em resultados; incluir nova pesquisa de referências mais recentes; não citar somente o que outros trabalhos fizeram anteriormente.

Itens dessa sessão não receberão DOI e não serão incluídos para indexação da revista.


- ACESSO ÀS NORMAS GERAIS PARA PUBLICAÇÃO DE TRABALHOS NA REVISTA UNIVAP

- FLUXOGRAMA DO PROCESSO EDITORIAL


O endereço da revista é http://revista.univap.br/index.php/revistaunivap

 

Atualmente, a Revista UNIVAP possui 9 indexadores:

O Índice de Citações da Revista UNIVAP está disponível por intermédio do Google Acadêmico <https://scholar.google.com.br/citations?user=tmYYoVwAAAAJ&hl=pt-BR>.