ETILENODIAMINA COMO INIBIDOR DE CORROSÃO DOS AÇOS INOXIDÁVEIS AUSTENÍTICOS 304 E 316 EM MEIO ÁCIDO

Krishna Alcantara Da Silva, Larissa de Souza Vieira da Silva, Maurício dos Santos Vasconcellos, Shirleny Fontes Santos, Ana Isabel de Carvalho Santana

Resumo


Os aços inoxidáveis austeníticos são amplamente utilizados no meio industrial em virtude de suas boas propriedades mecânicas e da sua resistência a corrosão. Entretanto, em meios de elevada corrosividade, tais como em presença de íons cloreto, esses aços apresentam uma susceptibilidade a alguns processos corrosivos, como por exemplo a corrosão por pite e intergranular.  Os inibidores de corrosão são geralmente utilizados como forma de reduzir ou inibir os processos corrosivos. Compostos orgânicos contendo grupamento amino, dupla ligação, anel aromático ou átomos de N, O e S comumente apresentam capacidade inibidora da corrosão. Neste trabalho, foi avaliada a aplicação da etilenodiamina como inibidor da corrosão dos aços 304 e 316 em meio ácido. Observou-se que o composto apresentou inibição da corrosão em todas as concentrações estudadas. Entretanto, a maior eficiência de corrosão foi observada para as maiores concentrações.

Palavras-chave


Aços inoxidáveis austeníticos; inibidor de corrosão; etilenodiamina, meio ácido; polarização.

Texto completo:

PDF

Referências


ATKINS, P.; JONES, L. Princípios de química: questionando a vida moderna e o meio ambiente. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

CHIAVERINNI, V. Aços e Ferros Fundidos. 7. ed. São Paulo: Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração, 2015.

DENG, S.; LI, X.; HUI, F. Nitrotetrazolium blue chloride as a novel corrosion inhibitor of steel in sulfuric acid solution. Corrosion Science, China, v. 52, n. 11, p. 3840-3846, November 2010.

EL HALEEM, S. M. A.; EL WANEES, S. A.; BAHGAT, A. Environmental factors affecting the corrosion behaviour of reinforcing steel. VI. Benzotriazole and its derivatives as corrosion inhibitors of steel. Corrosion Science, Egypt, v. 87, p. 321-333, October 2014.

ERAMI, R. et al. Carboxamide derivatives as new corrosion inhibitors for mild steel protection in hydrochloric acid solution. Corrosion Science, Iran, v. 151, p. 190-197, May 2019.

FINSGAR, M.; JACKSON, J. Application of corrosion inhibitors for steels in acidic media for the oil and gas industry: A review. Corrosion Science, Slovenia, v. 86, p. 17-41, September 2014.

FOUDA, A. et al. Evaluation of N-(3-(dimethyl hexadecyl ammonio)propyl) palmitamide bromide as cationic surfactant corrosion inhibitor for API N80 steel in acidic environment. Egyptian Journal of Petroleum, Egypt, v. 27, n. 4, p. 683-694, December 2018.

GENTIL, V. Corrosão. 3. ed. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos Editora S.A, 1996.

GAO, G.; LIANG, C.; WANG, H. Synthesis of tertiary amines and their inhibitive performance on carbon steel corrosion. Corrosion Science, China, v. 49, n. 4, p. 1833-1846, April 2007.

HE, X. et al.. Inhibition properties and adsorption behavior of imidazole and 2-phenyl-2-imidazoline on AA5052 in 1.0 M HCl solution. Corrosion Science, China, v. 83, p. 124-136, June 2014.

HEGAZY, M. A.; AIAD, I. 1-Dodecyl-4-(((3-morpholinopropyl)imino)methyl)pyridin-1-ium bromide as a novel corrosion inhibitor for carbon steel during phosphoric acid production. Journal of Industrial and Engineering Chemistry, Egypt, v. 31, p. 91-99, November 2015.

LI, X.; DENG, S.; HUI F. Triazolyl blue tetrazolium bromide as a novel corrosion inhibitor for steel in HCl and H2SO4 solutions. Corrosion Science, China, v. 53, n. 1, p. 302-309, January 2011.

MUTHUKUMAR, N. et al. 1-Aminoanthraquinone derivatives as a novel corrosion inhibitor for carbon steel API 5L-X60 in white petrol-water mixtures. Materials Chemistry and Physics, India, v. 115, n. 1, p. 444-452, May 2009.

OBOT, I. B. et al. Theoretical prediction and electrochemical evaluation of vinylimidazole and allylimidazole as corrosion inhibitors for mild steel in 1M HCl. Journal of Industrial and Engineering Chemistry, Saudi Arabia, v. 21, p. 1328-1339, January 2015.

POURNAZARI, Sh.; MOAYED, M. H.; RAHIMIZADEH, M. In situ inhibitor synthesis from admixture of benzaldehyde and benzene-1,2-diamine along with FeCl3 catalyst as a new corrosion inhibitor for mild steel in 0.5 M sulphuric acid. Corrosion Science, Iran, v. 71, p. 20-31, June 2013.

SILVA, K. et al. Aplicação da Trietilamina como Inibidor de Corrosão do Aço API em meio de Cloreto. Acta Scientiae & Technicae, Rio de Janeiro, v. 6, n. 1, p. 63-73, Junho 2018.

TAN, Y. J.; BAILEY, S.; KINSELLA, B. An investigation of the formation and destruction of corrosion inhibitor flims using electrochemical impedance spectroscopy (EIS). Corrosion Science, Austrália, v. 38, n. 9, p. 1545-1561, September 1996.

ZHANG, Z. et al. A study of the inhibition of iron corrosion by imidazole and its derivatives self-assembled films. Corrosion Science, China, v. 51, n. 2, p. 291-300, February 2009.

ZHOU, L. et al. Experimental and theoretical investigations of 1,3,5-tris(4-aminophenoxy) benzene as an effective corrosion inhibitor for mild steel in 1 M HCl. Journal of Molecular Liquids, China, v. 249, p. 179-187, January 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revistaunivap.v26i51.2434

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Univap

A Revista Univap informa que:

- Recebe submissões de artigos em fluxo contínuo;

- Não aceita trabalhos de revisões de literatura;

- Não há limite de autores. Em 2021 irá limitar a 5 autores por trabalhos;

- Consulte as Normas Gerais de Publicação <https://revista.univap.br/index.php/revistaunivap/about/editorialPolicies#custom-2> e o Template <http://www1.univap.br/revista/20200812_Template_Revista_Univap.doc> para formatação do trabalhos;

- Os autores deverão seguir rigorosamente as orientações do Template/Modelo e inserir o número de Orcid nos Metadados da submissão;

- Os autores deverão enviar uma Declaração de Conflito de Interesses que deve ser preenchida, assinada e enviada através do passo 4 do processo de submissão. Portanto, nenhum artigo será publicado na Revista Univap sem o preenchimento desses requisitos. <http://www1.univap.br/revista/Declara_Rev_Univap.docx>

- Recomendamos que inclua um documento suplementar indicando três avaliadores com experiência na área (nome, email, Lattes);

- O prazo médio de avaliação é de 6 meses.


Revista UniVap, e-ISSN 2237-1753, é uma publicação eletrônica (a partir da edição nº 29 passa a ser on-line) editada pela Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP), que tem o intuito de promover a divulgação de pesquisas e estudos, cumprindo a tríplice missão da universidade, de proporcionar ensino, pesquisa e extensão de modo indissociável. Esta publicação incentiva as pesquisas e procura o envolvimento de seus professores e alunos em pesquisas e cogitações de interesse social, educacional, científico ou tecnológico. Aceita artigos originais, não publicados anteriormente, de seus docentes, discentes, bem como de autores da comunidade científica nacional e internacional. Publica artigos, notas científicas, relatos de pesquisa, estudos teóricos, relatos de experiência profissional e resenhas.

- ACESSO ÀS NORMAS GERAIS PARA PUBLICAÇÃO DE TRABALHOS NA REVISTA UNIVAP

- FLUXOGRAMA DO PROCESSO EDITORIAL


O endereço da revista é http://revista.univap.br/index.php/revistaunivap

 

Atualmente, a Revista UNIVAP possui 7 indexadores e 1 diretório:

O Índice de Citações da Revista UNIVAP está disponível por intermédio do Google Acadêmico <https://scholar.google.com.br/citations?user=tmYYoVwAAAAJ&hl=pt-BR>.