PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DE POLICIAIS MILITARES DE UM GRANDE COMANDO DE POLICIAMENTO DO INTERIOR

Autores

  • Edivaldo Ferreira dos Santos Universidade do Vale do Paraíba http://orcid.org/0000-0001-7966-0332
  • Orlando Soares Gomes Neto UNIVAP
  • Emilia Angela Lo Schiavo Arisawa UNIVAP
  • Alessandra Conceição da Silva UNIVAP

DOI:

https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i39.359

Palavras-chave:

Policial Militar, epidemiologia, riscos.

Resumo

A profissão de policial militar (PM) está no topo daquelas suscetíveis a doenças físicas e psíquicas, pela exposição contínua em seu exercício a riscos psíquicos e físicos, com queda acentuada da qualidade de vida e riscos à saúde da função. Este estudo objetivou realizar retrato da prevalência de doenças que acometeram os policiais militares de um grande batalhão da Polícia Militar, entre Janeiro a Dezembro de 2014. A pesquisa é descritiva, quantitativa e retrospectiva, analisando dados estatísticos compilados a partir do banco de dados da Unidade do Comando de Policiamento do Interior Um, no período citado. Compuseram a amostra militares de três Batalhões que apresentam, aproximadamente, 1050 integrantes. Os dados, fornecidos pela Unidade Integrada de Saúde (UIS), basearam-se em levantamento interno, enviados em planilha mensal que discrimina doenças prevalentes em cada batalhão estudado. Os dados foram compilados de acordo com a Unidade Operacional, permitindo análises de cada batalhão e a comparativa entre os mesmos. Todos os dados foram submetidos à análise estatística descritiva, utilizando as medidas de tendência central (média, mediana e desvio padrão). As análises se concentraram nas doenças ortopédicas, psiquiátricas, cardiorrespiratórias, gastrointestinais, dermatológicas e renais que acometeram os PMs, no ano de 2014. Observou-se que as doenças ortopédicas prevaleceram nos três batalhões analisados (45%), seguidas de doenças psiquiátricas (16%) e doenças cardiorrespiratórias (16%). Os resultados permitiram realizar um retrato da prevalência de doenças que acometeram os policiais militares de um batalhão, no período de Janeiro a Dezembro de 2014, observando-se as doenças ortopédicas como prevalentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edivaldo Ferreira dos Santos, Universidade do Vale do Paraíba

Fisioterapeuta - A. Educacional. Pós-graduação em Fisioterapia Traumato-ortopedica - A. Educacional,  mestrando em Bioengenharia - UNIVAP. 

 

Orlando Soares Gomes Neto, UNIVAP

Fisioterapeuta - Faculdade Diferencial - FACID/DEVRY. Educador físico - UFPI, mestrando em Bioengenharia - UNIVAP.

Emilia Angela Lo Schiavo Arisawa, UNIVAP

Graduada em Ciências Biológicas, Modalidade Médica, pela Universidade de São Paulo (Campus Ribeirão Preto), Mestre em Farmacologia pela mesma Instituição e Doutora em Biopatologia Bucal pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Campus São José dos Campos). Diretora da Faculdade de Ciências da Saúde (FCS) - UNIVAP e Vice-Presidente da Fundação Valeparaibana de Ensino (FVE)

Alessandra Conceição da Silva, UNIVAP

Graduada em Enfermagem pela Universidade Estácio de Sá. Mestrado em Bioengenharia – Universidade do Vale do Paraíba – UNIVAP, Brasil.

Downloads

Publicado

2016-08-09

Como Citar

Santos, E. F. dos, Gomes Neto, O. S., Arisawa, E. A. L. S., & Silva, A. C. da. (2016). PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DE POLICIAIS MILITARES DE UM GRANDE COMANDO DE POLICIAMENTO DO INTERIOR. Revista Univap, 22(39), 40–48. https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i39.359