APLICAÇÃO DO PROCESSO DE FITORREMEDIAÇÃO UTILIZANDO VETIVER (VETIVERIA ZIZANIOIDES (L.) NASH.) NA DESCONTAMINAÇÃO DE SOLOS TROPICAIS CONTAMINADOS POR CHORUME

Erica Aparecida dos Santos, Thais Luanne Mariano, Paulo Roxo Barja, Maria Regina Aquino-Silva

Resumo


Um dos contaminantes comuns, geralmente encontrado em áreas de aterro sanitário ou antigos lixões, é o chorume: resíduo líquido de cor escura e forte odor, composto pela degradação de matéria orgânica. Em alguns casos são encontrados metais pesados em sua composição e outros tipos de substâncias que causam contaminação direta do solo e corpos d’água próximos ou subterrâneos. O objetivo deste trabalho foi verificar a eficiência da gramínea Vetiver (Vetiveria zizanioides (L.) Nash.) no processo de fitorremediação em solos tropicais contaminados com chorume proveniente da degradação de resíduos sólidos. Foram realizados testes laboratoriais com o intuito de detectar a eficiência da Vetiver em tratar este solo contaminado e o quanto ela é capaz de absorver as substâncias contaminantes. Foram analisados os parâmetros de Zinco em amostras das raízes, folhagens, solo utilizado para o plantio das mudas de Vetiver e do líquido resultante do processo de lixiviação. Utilizou-se amostras contaminadas e sem contaminação para que obtivesse um comparativo entre os resultados, as quais foram também analisadas estatisticamente. A espécie em estudo, o capim Vetiver (Vetiveria zizanioides (L.) Nash.), ao longo de 45 dias, mostrou-se eficaz no tratamento de solo contaminado, em especial na remoção do metal pesado Zinco. Todavia, considerando que o efluente em questão é um material complexo, de composição altamente diversificada, novas avaliações utilizando o capim Vetiver devem ser estabelecidas a fim de elucidar melhor a utilização deste elemento no tratamento de chorume.


Palavras-chave


Vetiver; chorume; solos tropicais; fitorremediação.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, E. A. P. Avaliação do potencial da espécie Vetiveria zizanioides na fitorrremediação de metais-traço presentes em ambientes aquáticos. 2011. 79 f. Dissertação (Mestrado em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

BARRETO, A. S. Seleção de macrófitas aquáticas com potencial para remoção de metais-traço em fitorremediação. 2010. 81 f. Dissertação (Mestrado em Saneamento, Meio ambiente e Recursos Hídricos) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2010.

COUTINHO, P. W. R. et al. Alternative Soil Remediation: Bioremediation and Phytoremediation. Nucleus, v. 12, n. 1, p. 59–68, 2015. http://dx.doi.org/10.3738/1982.2278.1400

LAMEGO, Fabiane Pinto; VIDAL, Ribas Antonio. Fitorremediação: plantas como agentes de despoluição? Pesticidas: Revista de Ecotoxicologia e Meio Ambiente, [S.l.], v. 17, dez. 2007. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/pesticidas/article/view/10662. Acesso em: 10 fev. 2020.

LEAL, E. F. et al. Fitoremediação de chumbo pelas espécies Vetiver (Vetiveria zizanioides L), Feijão de porco (Canavalia ensiformis L.), e Singônio (Syngonium angustatum. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA DO SOLO, 36., 2013, Florianópolis. Anais. Florianópolis, 2013. p. 1 - 4. Disponível em: http://eventosolos.org.br/cbcs2013/anais/arquivos/2760.pdf. Acesso em: 28 abr. 2018.

MONTEIRO, M. T. Fitorremediação de rejeito contaminado proveniente do Canal do Fundão, na Baía de Guanabara-RJ. Rio de Janeiro, 2008. Tese (Doutorado em Engenharia Civil) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2008.

SANTOS, L. M. Avaliação do desenvolvimento e da eficiência do Capim Vetiver (Chrysopogon zizanioides) em sistemas híbridos de alagados construídos. 2012. 79 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil e Ambiental) - Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2012. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/98303/mirandasantos_l_me_bauru.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 24 out. 2018.

TAVARES, S. R. de L.; OLIVEIRA, Shirlei Aparecida de. Avaliação de espécies vegentais na fitorremediação de solos contaminados por metais pesados. In: HOLOS, 29., 2013, Rio de Janeiro. Proceedings. Rio de Janeiro: Holos, 2013. v. 5, p. 80 - 97. Disponível em: http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/view/1852/728. Acesso em: 15 out. 2018.

TRUONG, P.; VAN, T. T.; PINNERS, E. Sistema de aplicação Vetiver: manual de referência técnica. 2. ed. Pomerode: Rede Internacional de Vetiver., 2008. 116 p.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Org.). Manual de métodos: Disciplina: Química Inorgânica e Analítica. Piracicaba: Universidade de São Paulo, 2015. Disponível em: http://www.esalq.usp.br/departamentos/lce/arquivos/aulas/2015/LCE0108/marcos/Manual_de_Metodos-Aula_Pratica-LCE0108.pdf. Acesso em: 01 nov. 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revistaunivap.v26i51.2448

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Univap

A Revista Univap informa que:

- Recebe submissões de artigos em fluxo contínuo;

- Não aceita trabalhos de revisões de literatura;

- Não há limite de autores. Em 2021 irá limitar a 5 autores por trabalhos;

- Consulte as Normas Gerais de Publicação <https://revista.univap.br/index.php/revistaunivap/about/editorialPolicies#custom-2> e o Template <http://www1.univap.br/revista/20200812_Template_Revista_Univap.doc> para formatação do trabalhos;

- Os autores deverão seguir rigorosamente as orientações do Template/Modelo e inserir o número de Orcid nos Metadados da submissão;

- Os autores deverão enviar uma Declaração de Conflito de Interesses que deve ser preenchida, assinada e enviada através do passo 4 do processo de submissão. Portanto, nenhum artigo será publicado na Revista Univap sem o preenchimento desses requisitos. <http://www1.univap.br/revista/Declara_Rev_Univap.docx>

- Recomendamos que inclua um documento suplementar indicando três avaliadores com experiência na área (nome, email, Lattes);

- O prazo médio de avaliação é de 6 meses.


Revista UniVap, e-ISSN 2237-1753, é uma publicação eletrônica (a partir da edição nº 29 passa a ser on-line) editada pela Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP), que tem o intuito de promover a divulgação de pesquisas e estudos, cumprindo a tríplice missão da universidade, de proporcionar ensino, pesquisa e extensão de modo indissociável. Esta publicação incentiva as pesquisas e procura o envolvimento de seus professores e alunos em pesquisas e cogitações de interesse social, educacional, científico ou tecnológico. Aceita artigos originais, não publicados anteriormente, de seus docentes, discentes, bem como de autores da comunidade científica nacional e internacional. Publica artigos, notas científicas, relatos de pesquisa, estudos teóricos, relatos de experiência profissional e resenhas.

- ACESSO ÀS NORMAS GERAIS PARA PUBLICAÇÃO DE TRABALHOS NA REVISTA UNIVAP

- FLUXOGRAMA DO PROCESSO EDITORIAL


O endereço da revista é http://revista.univap.br/index.php/revistaunivap

 

Atualmente, a Revista UNIVAP possui 7 indexadores e 1 diretório:

O Índice de Citações da Revista UNIVAP está disponível por intermédio do Google Acadêmico <https://scholar.google.com.br/citations?user=tmYYoVwAAAAJ&hl=pt-BR>.