ANÁLISE DO COMPORTAMENTO TÉRMICO E REOLÓGICO DO ABS APÓS EXTRUSÃO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v26i51.2442

Palavras-chave:

Termogravimetria, índice de fluidez, extrusora experimental.

Resumo

Atualmente, vários materiais são extrudados, entre eles o ABS (Acrilonitrila Butadieno Estireno), que é um termoplástico com grande aplicabilidade em vários setores da indústria, principalmente automotiva.  Entretanto, as etapas de aquecimentos do processo, bem como o tempo de exposição podem causar degradação do polímero. Estes defeitos podem gerar uma série de inconvenientes, que vão desde a perda da peça, até o risco de acidentes devido aos pontos de propagação de falhas. Em decorrência disto, são necessárias análises que comprovem a variação das características do material em função da temperatura, especialmente se o equipamento utilizado para o processo de extrusão for experimental. As análises que apresentam baixo custo e rapidez e que determinam a temperatura de degradação ou a diminuição do tamanho da molécula por quebra da mesma são feitas via TGA (Análise Termogravimétrica) ou pelo índice de fluidez. Sendo assim, o presente trabalho desenvolveu um estudo do comportamento de 3 diferentes tipos de ABS (acrilonitrila-butadieno-estireno) denominados AE800, de AG1000 MG94, extrudados a uma rotação de 60RPM, para avaliar o comportamento termo cinético por meio de ensaios de TGA e índice de fluidez. Os resultados demonstram que em alguns casos, o índice de fluidez se mostra mais eficaz que a termogravimetria para determinar esse parâmetro e que apesar das pequenas variações nas propriedades do ABS, é possível sua utilização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cirlene Fourquet Bandeira, UNESP -FEG Centro Universitário de Volta Redonda -UniFOA

Possui graduação em Engenharia Química pela UERJ - Universidade Estadual do Rio de Janeiro (2008), mestrado (2011) e doutorado (2015) em Engenharia Mecânica na área de Materiais pela UNESP-FEG (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho), com período de sanduíche de 9 meses na CWRU (Case Western Reserve University em Ohio-EUA). Durante 3 (três) anos foi especialista em Análise Térmica na PerkinElmer do Brasil, trabalhou também como especialista e responsável por desenvolvimento de novas metodologias e manutenção na Netzsch do Brasil (8 anos) e como especialista da METTLER do Brasil (1 ano) no mesmo seguimento. Atualmente ministras aulas de química, termodinâmica e estatística no UNIFOA (Centro Universitário de Volta Redonda) e aulas de tratamento térmico para o Mestrado Profissional de Materiais da mesma instituição. Tem experiência na área de Engenharia de Materiais, com ênfase em compósitos e análise térmica para o desenvolvimento de novas metodologias.

Paulo Estevão Quimas Quelho, UniFOA

Possui graduação em Engenharia de controle e Automação pela Universidade de Barra Mansa (UBM) (2013), mestrado Profissional em Materiais pela Universidade Oswaldo Aranha (UNIFOA) (2017). Atualmente é professor do colégio Batista americano e do sistema de ensino a distância Preply, Tem experiência na área de Engenharia de controle e Automação, com ênfase em Processos de controle embarcado, atuando principalmente nos seguintes temas: desenvolvimento de sistemas supervisionados por dispositivos autônomos, avaliação e desenvolvimento de sistemas de controle.

Rafael de Aquino Alvarenga, UniFOA

Formado em Eng Civil pelo UniFOA e mestrando em materiais na mesma instituição

Pâmela Nunes Meireles, UniFOA

Engenheira Ambiental formada pelo UniFOA

Alexandre Alvarenga Palmeira, UniFOA

Possui graduação em Engenharia Mecânica pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1995), mestrado em Engenharia Metalúrgica pela Universidade Federal Fluminense (1998) e doutorado em Engenharia de Materiais pela Universidade de São Paulo (2012) . Atualmente é professor adjunto da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, ocupou a cargo de Diretor da Faculdade de Tecnologia e Diretor do Campus Regional de Resende, atualmente é avaliador do basis/sinaes/inep do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, avaliador no PARES/ARCU-SUL e professor titular do Centro Universitário de Volta Redonda. Tem experiência na área de Engenharia Mecânica, com ênfase em Processos de Fabricação, Seleção Econômica, atuando principalmente nos seguintes temas: conformação mecânica, otimização, abaqus, elementos finitos e manutenção

Sergio Roberto Montoro, UniFOA

Possui graduação em Engenharia Química pela Escola de Engenharia de Lorena - Universidade de São Paulo (2002), mestrado em Engenharia de Materiais pela Escola de Engenharia de Lorena - Universidade de São Paulo (2005) e doutorado em Engenharia Mecânica pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - campus de Guaratinguetá (2014). Atualmente é Professor de Ensino Superior 3-C e Coordenador do Curso de Tecnologia em Gestão de Negócios e Inovação na FATEC de Pindamonhangaba, professor responsável doutor no Centro Universitário de Volta Redonda (UniFOA) e professor orientador de mestrado no programa de Mestrado Profissional em Materiais do Centro Universitário de Volta Redonda (MEMAT/UniFOA). Tem experiência na área de Engenharia Química e Engenharia de Materiais, com ênfase em Polímeros e Compósitos, atuando principalmente nos seguintes temas: Polihidroxialcanoatos (PHAs); modificação química de polímeros; processamento e caracterização de polímeros e compósitos reforçados com fibras de carbono, fibras naturais e cargas minerais, caracterização de materiais e Planejamento de Experimentos (DOE). Também orienta projetos de Iniciação Científica e de Trabalhos de Conclusão de Cursos em Materiais Metálicos, envolvendo tratamentos térmicos, caracterizações mecânicas e metalográficas.

Referências

ASTM E2550 - AMERICAN SOCIETY FOR TESTING AND MATERIALS. Standard Test Method for Thermal Stability by Thermogravimetry. United States: s.n., 2017.

BANDEIRA, C. F. Obtenção e caracterização de compósitos de benzoxazina/fibra de carbono. 2015. Dissertação (Doutorado na área de Materiais) - Universidade Estadual Paulista, Guaratinguetá, 2015.

CAMPBELL, D.; PETHRICK, R. A.; WHITE, J. R. Polymer Characterization: physical techniques. Boca Raton: CRC Press - Taylor & Francis Group, 2000.

CANEVAROLO JUNIOR, S. V. Técnicas de Caracterização de Polímeros. São Paulo: Artliber, v. 1, 2004.

CHEN, F. et al. Fabrication of novel resinous diamond composites with acrylonitrile butadiene styrene/polyvinyl chloride/dioctyl phthalate/diamond by hot pressing molding. Journal of Materials Research, Cambridge, v. 34, n.10, 2019.

CHOE, I. J. et al. Mechanical properties of acrylonitrile–butadiene–styrene copolymer/poly (l‐lactic acid) blends and their composites. Journal of Applied Polymer Science, Hoboken, v. 131, n.11, 2014.

COMISSÃO EUROPÉIA. Comunicação da Comissão ao parlamento europeu, ao conselho, ao comité econômico e social europeu e ao comité das regiões. Uma Estratégia Europeia para os Plásticos na Economia Circular. Estrasburgo, 2018.

CORDOBELLO, F. S. Polímeros do Futuro: tendências e oportunidades: palestras técnicas (II). Polímeros Journal, v. 13, n. 1, 2003.

DE BLASIO, C. A. Solução de Defeitos na Moldagem por Injeção de Termoplásticos. 2007. Dissertação (Mestrado acadêmico) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2007.

GALDÁMEZ, E. V. C. Aplicação das técnicas de planejamento e análise de experimentos na melhoria da qualidade de um processo de fabricação de produtos plásticos. 2002. Dissertação (Mestrado Profissional em Materiais) - Universidade de São Paulo, São Carlos, 2002.

GOMES, P. Curso de estatística experimental. ESALQ/USP. Piracicaba-SP: s.n.,

ISO 1133. INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION. Plastics - Determination of the melt mass-flow rate (MFR) and melt volume-flow rate (MVR) of thermoplastics. United States: s.n., 2011.

LI, Y.; SHIMIZU, H. Improvement in toughness of poly(l-lactide) (PLLA) through reactive blending with acrylonitrile–butadiene–styrene copolymer (ABS): Morphology and properties. European Polymer Journal, Oxford, v. 45, n. 3, 2009.

MAIS POLÍMEROS. Plastico ABS e suas principais características e aplicações. Disponível em: http://www.maispolimeros.com.br/2018/09/24/plastico-abs-e-suas-princi pais-caracteristicas-e-aplicacoes/. Acesso em: 15 out. 2019.

MARTINS, C. A. Estudo de comportamento de defeitos de superfície da matéria-prima em operações de extrusão a frio de aços baixo carbono. 2014. Dissertação (Mestrado em Engenharia Mecânica) - Universidade Federal de São João del-Rei, São João del-Rei, 2014.

QUELHO, P. E. Q. Desenvolvimento de extrusora experimental e software para controle e supervisão das variáveis de extrusão do ABD. 2018. Dissertação (Mestrado Profissional em Materiais) - Centro Universitário de Volta Redonda - UniFOA, Volta Redonda, 2018.

ROCHA, C. R. et al. Novel ABS-based binary and ternary polymer blends for material extrusion 3D printing. Journal of Materials Research, Cambridge, v. 29, n. 17, 2014.

YANG, R. Analytical methods for polymer characterization. New York: CRC Press, 2018.

Downloads

Publicado

2020-08-27

Como Citar

Bandeira, C. F., Quelho, P. E. Q., Alvarenga, R. de A., Meireles, P. N., Palmeira, A. A., & Montoro, S. R. (2020). ANÁLISE DO COMPORTAMENTO TÉRMICO E REOLÓGICO DO ABS APÓS EXTRUSÃO. Revista Univap, 26(51), 1–14. https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v26i51.2442