ANÁLISE DO COMPORTAMENTO TÉRMICO E REOLÓGICO DO ABS APÓS EXTRUSÃO

Cirlene Fourquet Bandeira, Paulo Estevão Quimas Quelho, Rafael de Aquino Alvarenga, Pâmela Nunes Meireles, Alexandre Alvarenga Palmeira, Sergio Roberto Montoro

Resumo


Atualmente, vários materiais são extrudados, entre eles o ABS (Acrilonitrila Butadieno Estireno), que é um termoplástico com grande aplicabilidade em vários setores da indústria, principalmente automotiva.  Entretanto, as etapas de aquecimentos do processo, bem como o tempo de exposição podem causar degradação do polímero. Estes defeitos podem gerar uma série de inconvenientes, que vão desde a perda da peça, até o risco de acidentes devido aos pontos de propagação de falhas. Em decorrência disto, são necessárias análises que comprovem a variação das características do material em função da temperatura, especialmente se o equipamento utilizado para o processo de extrusão for experimental. As análises que apresentam baixo custo e rapidez e que determinam a temperatura de degradação ou a diminuição do tamanho da molécula por quebra da mesma são feitas via TGA (Análise Termogravimétrica) ou pelo índice de fluidez. Sendo assim, o presente trabalho desenvolveu um estudo do comportamento de 3 diferentes tipos de ABS (acrilonitrila-butadieno-estireno) denominados AE800, de AG1000 MG94, extrudados a uma rotação de 60RPM, para avaliar o comportamento termo cinético por meio de ensaios de TGA e índice de fluidez. Os resultados demonstram que em alguns casos, o índice de fluidez se mostra mais eficaz que a termogravimetria para determinar esse parâmetro e que apesar das pequenas variações nas propriedades do ABS, é possível sua utilização.

Palavras-chave


Termogravimetria; índice de fluidez; extrusora experimental.

Texto completo:

PDF

Referências


ASTM E2550 - AMERICAN SOCIETY FOR TESTING AND MATERIALS. Standard Test Method for Thermal Stability by Thermogravimetry. United States: s.n., 2017.

BANDEIRA, C. F. Obtenção e caracterização de compósitos de benzoxazina/fibra de carbono. 2015. Dissertação (Doutorado na área de Materiais) - Universidade Estadual Paulista, Guaratinguetá, 2015.

CAMPBELL, D.; PETHRICK, R. A.; WHITE, J. R. Polymer Characterization: physical techniques. Boca Raton: CRC Press - Taylor & Francis Group, 2000.

CANEVAROLO JUNIOR, S. V. Técnicas de Caracterização de Polímeros. São Paulo: Artliber, v. 1, 2004.

CHEN, F. et al. Fabrication of novel resinous diamond composites with acrylonitrile butadiene styrene/polyvinyl chloride/dioctyl phthalate/diamond by hot pressing molding. Journal of Materials Research, Cambridge, v. 34, n.10, 2019.

CHOE, I. J. et al. Mechanical properties of acrylonitrile–butadiene–styrene copolymer/poly (l‐lactic acid) blends and their composites. Journal of Applied Polymer Science, Hoboken, v. 131, n.11, 2014.

COMISSÃO EUROPÉIA. Comunicação da Comissão ao parlamento europeu, ao conselho, ao comité econômico e social europeu e ao comité das regiões. Uma Estratégia Europeia para os Plásticos na Economia Circular. Estrasburgo, 2018.

CORDOBELLO, F. S. Polímeros do Futuro: tendências e oportunidades: palestras técnicas (II). Polímeros Journal, v. 13, n. 1, 2003.

DE BLASIO, C. A. Solução de Defeitos na Moldagem por Injeção de Termoplásticos. 2007. Dissertação (Mestrado acadêmico) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2007.

GALDÁMEZ, E. V. C. Aplicação das técnicas de planejamento e análise de experimentos na melhoria da qualidade de um processo de fabricação de produtos plásticos. 2002. Dissertação (Mestrado Profissional em Materiais) - Universidade de São Paulo, São Carlos, 2002.

GOMES, P. Curso de estatística experimental. ESALQ/USP. Piracicaba-SP: s.n.,

ISO 1133. INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION. Plastics - Determination of the melt mass-flow rate (MFR) and melt volume-flow rate (MVR) of thermoplastics. United States: s.n., 2011.

LI, Y.; SHIMIZU, H. Improvement in toughness of poly(l-lactide) (PLLA) through reactive blending with acrylonitrile–butadiene–styrene copolymer (ABS): Morphology and properties. European Polymer Journal, Oxford, v. 45, n. 3, 2009.

MAIS POLÍMEROS. Plastico ABS e suas principais características e aplicações. Disponível em: http://www.maispolimeros.com.br/2018/09/24/plastico-abs-e-suas-princi pais-caracteristicas-e-aplicacoes/. Acesso em: 15 out. 2019.

MARTINS, C. A. Estudo de comportamento de defeitos de superfície da matéria-prima em operações de extrusão a frio de aços baixo carbono. 2014. Dissertação (Mestrado em Engenharia Mecânica) - Universidade Federal de São João del-Rei, São João del-Rei, 2014.

QUELHO, P. E. Q. Desenvolvimento de extrusora experimental e software para controle e supervisão das variáveis de extrusão do ABD. 2018. Dissertação (Mestrado Profissional em Materiais) - Centro Universitário de Volta Redonda - UniFOA, Volta Redonda, 2018.

ROCHA, C. R. et al. Novel ABS-based binary and ternary polymer blends for material extrusion 3D printing. Journal of Materials Research, Cambridge, v. 29, n. 17, 2014.

YANG, R. Analytical methods for polymer characterization. New York: CRC Press, 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revistaunivap.v26i51.2442

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Univap

A Revista Univap informa que:

- Recebe submissões de artigos em fluxo contínuo;

- Não aceita trabalhos de revisões de literatura;

- Não há limite de autores. Em 2021 irá limitar a 5 autores por trabalhos;

- Consulte as Normas Gerais de Publicação <https://revista.univap.br/index.php/revistaunivap/about/editorialPolicies#custom-2> e o Template <http://www1.univap.br/revista/20200812_Template_Revista_Univap.doc> para formatação do trabalhos;

- Os autores deverão seguir rigorosamente as orientações do Template/Modelo e inserir o número de Orcid nos Metadados da submissão;

- Os autores deverão enviar uma Declaração de Conflito de Interesses que deve ser preenchida, assinada e enviada através do passo 4 do processo de submissão. Portanto, nenhum artigo será publicado na Revista Univap sem o preenchimento desses requisitos. <http://www1.univap.br/revista/Declara_Rev_Univap.docx>

- Recomendamos que inclua um documento suplementar indicando três avaliadores com experiência na área (nome, email, Lattes);

- O prazo médio de avaliação é de 6 meses.


Revista UniVap, e-ISSN 2237-1753, é uma publicação eletrônica (a partir da edição nº 29 passa a ser on-line) editada pela Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP), que tem o intuito de promover a divulgação de pesquisas e estudos, cumprindo a tríplice missão da universidade, de proporcionar ensino, pesquisa e extensão de modo indissociável. Esta publicação incentiva as pesquisas e procura o envolvimento de seus professores e alunos em pesquisas e cogitações de interesse social, educacional, científico ou tecnológico. Aceita artigos originais, não publicados anteriormente, de seus docentes, discentes, bem como de autores da comunidade científica nacional e internacional. Publica artigos, notas científicas, relatos de pesquisa, estudos teóricos, relatos de experiência profissional e resenhas.

- ACESSO ÀS NORMAS GERAIS PARA PUBLICAÇÃO DE TRABALHOS NA REVISTA UNIVAP

- FLUXOGRAMA DO PROCESSO EDITORIAL


O endereço da revista é http://revista.univap.br/index.php/revistaunivap

 

Atualmente, a Revista UNIVAP possui 7 indexadores e 1 diretório:

O Índice de Citações da Revista UNIVAP está disponível por intermédio do Google Acadêmico <https://scholar.google.com.br/citations?user=tmYYoVwAAAAJ&hl=pt-BR>.