RELAÇÃO DO ÍNDICE DE MASSA CORPÓREA E SOMATÓRIO DE DOBRAS CUTÂNEAS COM O NÍVEL DE ATIVIDADE FÍSICA DE ESCOLARES

Renato Canevari Dutra da Silva, Débora Bernardes Peixoto, Laís Zanutim Pereira, Mônica Maciel Guimarães, Marcelo Gomes Judice, Fernando Duarte Cabral

Resumo


O objetivo do estudo foi verificar possíveis relações entre o índice de massa corpórea (IMC), o somatório de dobras cutâneas (SDC) e o nível de atividade física de estudantes com idade entre 15 e 17 anos. Foi avaliado o nível de atividade física por meio do Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ) de 1229 adolescentes escolares com média de idade de 15,9 anos (DP = + 0,81), além do IMC e o SDC (tricipital e subescapular). Por intermédio do IPAQ, foi encontrado um percentual de 77,7% de adolescentes ativos e 22,3% de adolescentes insuficientemente ativos. Quanto à avaliação do IMC, a amostra obteve uma média de 21,77 kg/m2, com desvio padrão de +3,63. A rede privada de ensino apresentou uma média maior, estatisticamente significativa (p = 0,011) em relação à rede pública de ensino, no entanto, ambas apresentam-se dentro dos parâmetros de normalidade, em relação à média de idade, conforme os percentis do CDC (2000). Quanto ao SDC, observou-se que a amostra obteve uma média de 31,83 mm, com desvio padrão de ± 12,30, com relação às redes de ensino, nota-se que não houve diferença estatisticamente significativa entre as médias, porém ambas apresentam-se elevadas, de acordo com a classificação de Lohman (1992). Não foi observada relação estatisticamente significativa entre o IMC dos adolescentes e nível de atividade física, no entanto, o SDC é maior nos adolescentes escolares com menor nível de atividade física.


Palavras-chave


Adiposidade corporal; adolescentes; composição corporal; exercício físico; medidas antropométricas.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revistaunivap.v23i42.415

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista Univap

Revista UniVap é uma publicação eletrônica (a partir da edição nº 29 passa a ser on-line) editada pela Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP), que tem o intuito de promover a divulgação de pesquisas e estudos, cumprindo a tríplice missão da universidade, de proporcionar ensino, pesquisa e extensão de modo indissociável. Esta publicação incentiva as pesquisas e procura o envolvimento de seus professores e alunos em pesquisas e cogitações de interesse social, educacional, científico ou tecnológico. Aceita artigos originais, não publicados anteriormente, de seus docentes, discentes, bem como de autores da comunidade científica nacional e internacional. Publica artigos, notas científicas, relatos de pesquisa, estudos teóricos, relatos de experiência profissional, resenhas e revisão de literatura nas diversas áreas do conhecimento científico, sempre a critério de sua Comissão Editorial e de acordo com o formato dos artigos publicados.

<Notas para trabalhos de revisão de literatura>

Recomenda-se que atendam aos requisitos:

- domínio sobre o tema abordado; base para o avanço do conhecimento na área de foco; finalidade de explicar com clareza o tema; respeitar aspectos básicos de construção: relevância e interesse; servir de base para descobrir lacunas e resolvê-las em modelo conceitual propondo encaminhamento de hipóteses ou proposições; focar na teoria e não somente em resultados; incluir nova pesquisa de referências mais recentes; não citar somente o que outros trabalhos fizeram anteriormente.

Itens dessa sessão não receberão DOI e não serão incluídos para indexação da revista.


- ACESSO ÀS NORMAS GERAIS PARA PUBLICAÇÃO DE TRABALHOS NA REVISTA UNIVAP

- FLUXOGRAMA DO PROCESSO EDITORIAL


O endereço da revista é http://revista.univap.br/index.php/revistaunivap

 

Atualmente, a Revista UNIVAP possui 9 indexadores:

O Índice de Citações da Revista UNIVAP está disponível por intermédio do Google Acadêmico <https://scholar.google.com.br/citations?user=tmYYoVwAAAAJ&hl=pt-BR>.