CARACTERIZAÇÃO DO RESÍDUO DE CORTE DE MÁRMORE E GRANITO DE MARMORARIA E ANÁLISE DA VIABILIDADE DE SUBSTITUIÇÃO PARCIAL DO CIMENTO PORTLAND PARA PRODUÇÃO DE PAVERS

Andréa Cristina Félix da Cruz, Ricardo de Freitas Cabral, Cirlene Fourquet Bandeira, Sérgio Roberto Montoro

Resumo


O acondicionamento final dos resíduos de corte de mármore e granito de marmoraria no Brasil, geralmente é feito de forma incorreta. Dessa forma, novas práticas educativas devem ser estudadas em busca de propostas que ofereçam possibilidades de mudanças, tanto pela sociedade quanto pelas empresas geradoras de tais resíduos. Nesse entendimento, vale destacar que resíduos sólidos como estes tendem a crescer em grandes proporções, o que torna necessário minimizar os prejuízos que causam. O objetivo do presente estudo foi avaliar a possibilidade de reciclar e reutilizar resíduos de mármore e granito substituindo parcialmente o cimento Portland na produção de pavers - pisos intertravados, trazendo benefícios para o meio ambiente, além de produzir peças que garantam a permeabilidade do solo, em conformidade com as normas vigentes. Para tanto, foi utilizado como matérias-primas, o RCMG de marmoraria, cimento, areia e água para desenvolver esse estudo, e normas brasileiras – NBRs como fonte de orientação. Foram confeccionados corpos de prova para ensaios de resistência à compressão, absorção de água e microscopia eletrônica de varredura. Os ensaios foram realizados nos Laboratórios do UniFOA. Investigou-se a viabilidade técnica para fabricação de pavers com substituição parcial de 10% e 20% do cimento Portland por resíduos de mármore e granito. Os resultados obtidos demonstraram que foi viável a aplicação, pois apresentaram aumento da resistência mecânica com a substituição do cimento por RCMG - resíduo do corte de mármore e granito - na proporção de 10%.

Palavras-chave


Piso de concreto; marmoraria; reciclagem; sustentabilidade.

Texto completo:

PDF

Referências


ALIABDO, A. A.; ELMOATY, A. E. M. A.; AUDA, E. M. Re-use of waste marble dust in the production of cement and concrete. Construction and Building Materials. v. 50, p. 28-41, 2014.

ALVES, M. S. Estudo das características e da viabilidade do uso de resíduos gerados no polimento de rochas graníticas como adição em concretos. 2008. 131 f. Dissertação (Mestrado em Construção Civil) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.

ANDRADE, T.; HELENE, P. Concreto de cimento Portland. In: Materiais de Construção Civil e Princípios de Ciência e Engenharia de Materiais. São Paulo: IBRACON, 2007.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT. NBR 5738: Concreto - Procedimento para moldagem e cura de corpos de prova. Rio de Janeiro: ABNT, 2016.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT. NBR 7211: Agregado para concreto - Especificação. Rio de Janeiro: ABNT, 2009.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT. NBR 9778: Argamassa e concreto endurecidos - Determinação da absorção de água, índice de vazios e massa específica. Rio de Janeiro: ABNT, 2009.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT. NBR 12.655: Concreto de cimento Portland - Preparo, controle, recebimento e aceitação - Procedimento. Rio de Janeiro: ABNT, 2015.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT. NBR NM248: Agregado - Determinação da composição granulométrica. Rio de Janeiro: ABNT, 2003.

ABREU, U.A.; RUIZ, M.S.; CARUSO, L.G. Perfil 7- Rochas dimensionadas e aparelhadas. In: RUIZ, M.S.; NEVES, M.R. (Coord.). Mercado produtor mineral do estado de São Paulo. São Paulo: I.P.T., 1990. p.137-151.

BRANDÃO, W.; SARDOU FILHO, R.; QUEIROZ, E.T. Mármore e granito e outras rochas ornamentais no Brasil. In: SCHOBBENHAUS, C.; QUEIROZ, E.T.; COELHO, C.E.S. (Coord.). Principais depósitos minerais do Brasil. Brasília: D.N.P.M./C.P.R.M., 1991.

CEVIK, U.; DAMLA, N.; KOBYA, A.I.; CELIK, A.; KARA, A. Radiation dose estimation and mass attenuation coefficients of marble used in Turkey. Ann. Nucl. Energy, v. 37, n. 12, p.1705-1711, 2010.

CHIODI FILHO, C.; RODRIGUES, E. P. DE. Guia de Aplicação de Rochas em Revestimento: Projeto Brula. São Paulo: ABIROCHAS, 2009.

DNIT - DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTE. Manual de Pavimentos Rígidos. 2 ed. Rio de Janeiro, 2004.

FIORITI, Cesar F. Pavimentos intertravados de concreto utilizando resíduos de pneus como material alternativo. 2007. Tese (Doutorado em Ciências da Engenharia Ambiental) – Universidade de São Paulo, São Carlos, 2007.

GIACONI, W.J. Perfil atual da indústria de rochas ornamentais no município de Cachoeiro de Itapemirim (ES). Campinas, SP, 1998. 85 p. Dissertação (Mestrado na Área de Administração e Políticas de Recursos Minerais) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1998.

GONÇALVES, J.P. Utilização do resíduo de corte granito, como adição, em concretos. Dissertação de mestrado, NORIE, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre/RS, 2000. 135p.

HELENE, P. A Nova ABNT NBR 6118 e a Vida Útil das Estruturas de Concreto. In: Seminário de Patologia das Construções, 2, 2004, Porto Alegre. Proceedings. Porto Alegre: Novos Materiais e Tecnologias Emergentes, LEME, UFRGS, v. 1. p. 1-30, 2004.

IBRACON, Anais do 50⁰ Congresso Brasileiro do Concreto - CBC2008. Salvador, 2009.

KIHARA, Y; CENTURIONE, S. L. O Cimento Portland. In: Concreto: ensino, pesquisa e realizações. São Paulo: [s.n], 2005.

LLOPE, W.J. Activity concentrations and dose rates from decorative granite countertops. J. Environ. Radioact. v. 102, n. 6, p. 620–629, 2011.

LUCAS. D; BENATTI, C. T. Utilização de resíduos industriais para a produção de artefatos cimentícios e argilosos empregados na construção civil. Revista em Agronegócios e Meio Ambiente, v. 1, n.3, p. 405-418. 2008.

MATTA, V. R.P.; APOLINÁRIO, E. C. A.; SANTOS; G. R. S.; RIBEIRO; D. V. Efeitos da adição do resíduo de corte de mármore e granito (RCMG) no desempenho de argamassas de cimento Portland no estado endurecido. IX Fórum Ambiental da Alta Paulista, v. 9, n. 1, p. 87-104, 2013.

MEHTA, P. K.; MONTEIRO, P. J. M., Concreto: Estrutura, Propriedades, Materiais, São Paulo, Pini, 1994.

MENEZES R. R.; NEVES G.A.; SOUZA J.; MELO W. A.; FERREIRA H. S.; Atividade pozolânica dos resíduos do beneficiamento do caulim para uso em argamassas para alvenaria. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental. v.13, n.6, p.795–801, 2009.

NEVILLE, A. Propriedades do concreto. 2. ed. São Paulo, Pini, 1982.

NEOBLOCO. Piso intertravado de concreto. Disponível em: https://www.neoblocosp.com.br/produtos/piso-intertravado. Acesso em: 10 out. 2019.

PETRUCCI, ELADIO G. R., Materiais de construção., 9 ed., São Paulo, Globo, 2007.

RHINO PISOS. Instruções de colocação. Disponível em: http://www.rhinopisos.com.br/mobile/instrucoes_de_colocacao. Acesso em: 10 out. 2019.

RODRIGUES, M. R. P; FERREIRA, O.P. Caracterização de compósitos produzidos com borracha de pneus inservíveis e resina poliuretana. Revista Iberoamericana de Polímeros. São Paulo. v. 11 n. 5. p. 274-283. 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revistaunivap.v26i51.2444

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Univap

A Revista Univap informa que:

- Recebe submissões de artigos em fluxo contínuo;

- Não aceita trabalhos de revisões de literatura;

- Não há limite de autores. Em 2021 irá limitar a 5 autores por trabalhos;

- Consulte as Normas Gerais de Publicação <https://revista.univap.br/index.php/revistaunivap/about/editorialPolicies#custom-2> e o Template <http://www1.univap.br/revista/20200812_Template_Revista_Univap.doc> para formatação do trabalhos;

- Os autores deverão seguir rigorosamente as orientações do Template/Modelo e inserir o número de Orcid nos Metadados da submissão;

- Os autores deverão enviar uma Declaração de Conflito de Interesses que deve ser preenchida, assinada e enviada através do passo 4 do processo de submissão. Portanto, nenhum artigo será publicado na Revista Univap sem o preenchimento desses requisitos. <http://www1.univap.br/revista/Declara_Rev_Univap.docx>

- Recomendamos que inclua um documento suplementar indicando três avaliadores com experiência na área (nome, email, Lattes);

- O prazo médio de avaliação é de 6 meses.


Revista UniVap, e-ISSN 2237-1753, é uma publicação eletrônica (a partir da edição nº 29 passa a ser on-line) editada pela Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP), que tem o intuito de promover a divulgação de pesquisas e estudos, cumprindo a tríplice missão da universidade, de proporcionar ensino, pesquisa e extensão de modo indissociável. Esta publicação incentiva as pesquisas e procura o envolvimento de seus professores e alunos em pesquisas e cogitações de interesse social, educacional, científico ou tecnológico. Aceita artigos originais, não publicados anteriormente, de seus docentes, discentes, bem como de autores da comunidade científica nacional e internacional. Publica artigos, notas científicas, relatos de pesquisa, estudos teóricos, relatos de experiência profissional e resenhas.

- ACESSO ÀS NORMAS GERAIS PARA PUBLICAÇÃO DE TRABALHOS NA REVISTA UNIVAP

- FLUXOGRAMA DO PROCESSO EDITORIAL


O endereço da revista é http://revista.univap.br/index.php/revistaunivap

 

Atualmente, a Revista UNIVAP possui 7 indexadores e 1 diretório:

O Índice de Citações da Revista UNIVAP está disponível por intermédio do Google Acadêmico <https://scholar.google.com.br/citations?user=tmYYoVwAAAAJ&hl=pt-BR>.