INCIDÊNCIA DE DISTÚRBIOS MUSCULOESQUELÉTICOS EM POLICIAIS MILITARES PELO IMPACTO DO USO DE COLETE BALÍSTICO

Autores

  • Diego Rodrigues Pessoa Universidade do Vale do Paraíba
  • Aureny da Gama Dionísio Bacharelado em Fisioterapia/Faculdade Maurício de Nassau, Teresina/PI
  • Lívia Danyelle Viana Lima Bacharelado em Fisioterapia/Faculdade Maurício de Nassau, Teresina/PI
  • Rosana Maria Nogueira Gonçalves Soares Bacharelado em Fisioterapia, Faculdade Santo Agostinho (FSA)
  • Janaína de Moraes Silva Centro de Ciências da Saúde-CCS, Universidade Estadual do Piauí

DOI:

https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.702

Palavras-chave:

Policiais Militares, Colete Balístico, Colete à Prova de Bala, Distúrbio Osteomusculares.

Resumo

Resumo: As lesões por esforço repetitivo (LER) representam um grande problema para a saúde pública. Este trabalho tem como objetivo, analisar a prevalência de distúrbios osteomusculares em policiais militares. O estudo trata-se de uma pesquisa do tipo observacional, transversal de caráter descritivo, participaram da pesquisa 26 policiais militares do sexo masculino, foram submetidos à aplicação dos questionários Nórdico de Sintomas Osteomusculares e do índice de Oswestry para Avaliação da Dor. Os resultados apontam que os maiores índices de dor musculoesquelética prevaleceram na região da coluna dorsal e lombar e na região do pescoço, já em relação ao índice de Oswestry foi constatado que 30% da amostra sentiram dor em nível moderado. O uso diário do colete balístico por policiais militares pode ocasionar distúrbios osteomusculares, bem como desencadear dor, mesmo não sendo fator de limitação funcional grave para desempenho das atividades diárias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-01-10

Como Citar

Pessoa, D. R., Dionísio, A. da G., Lima, L. D. V., Soares, R. M. N. G., & Silva, J. de M. (2017). INCIDÊNCIA DE DISTÚRBIOS MUSCULOESQUELÉTICOS EM POLICIAIS MILITARES PELO IMPACTO DO USO DE COLETE BALÍSTICO. Revista Univap, 22(40), 269. https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.702

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.