FATORES CONDICIONANTES NA EXPLORAÇÃO INDUSTRIAL DE GNAISSE PARA BRITA: CASO DE GNAISSES DE ANCHILO

António Gonçalves Fortes, Almerino da Conceição Munguambe

Resumo


A exploração industrial de rochas para uso na construção civil é condicionada por vários fatores, como as características físico-químicas e mineralógicas das rochas, os aspectos legais, socioeconômicos e ambientais. Este artigo analisa os principais fatores que condicionam a exploração industrial do gnaisse para produção de brita usada na construção civil, na pedreira João Baptista Eusébio–Anchilo, numa época de muita procura de produtos de brita (pedra, areia e pó) na cidade de Nampula e região. Para o estudo, efetuou-se a revisão bibliográfica, trabalho de campo e estudo petrográfico no laboratório de Geologia da Universidade Pedagógica – Nampula (UPN). Das análises, retiraram-se as seguintes conclusões: (I) os gnaisses de Anchilo são de excelente qualidade para uso como brita; (II) a pedreira João Baptista Eusébio tem uma localização geoestratégica privilegiada para extração e comercialização de grandes volumes de brita; (III) a atividade mineira na pedreira está de acordo com a atual lei mineira, mas é preciso adequá-la a lei de ambiente; (IV) as atividades da pedreira contribuem no desenvolvimento socioeconômico regional.

Palavras-chave


Brita de gnaisse; exploração industrial; fatores condicionantes; Anchilo.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSIS, L. G.; DIAS, F. M. Estudo da viabilidade da utilização da rocha dunito, proveniente de Catas Altas - MG, como agregado para concreto. In: SIMPÓSIO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO E TECNOLOGIA,4, 2007, Brasília. Anais...Brasília, DF: SEGeT, 2007.

CGS. Notícia Explicativa. Folhas: Alto Molócuè (1537), Murrupula (1538), Nampula (1539), Mogincual (1540), Errego (1637), Gilé (1638) e Angoche (1639). Direcção Nacional de Geologia, Maputo, 2006. p. 17-121.

DPRME. Programa de promoção da pesquisa e exploração dos recursos minerais incluindo hidrocarbonetos: Produção mineira. Direcção Provincial de Recursos Minerais e Energia. Nampula, 2018. p. 17-121.

GERALDI, J. L. P. O ABC das Escavações de Rocha. Rio de Janeiro, RJ: Editora Interciência, 2011.

LAMAGUTI, A. P. S. Resultados do projeto. In: LAMAGUTI, A. P. S. Manual de rochas ornamentais para arquitetos. São Paulo-SP: Universidade Estadual Paulista, 2011. p. 9-78.

MACEDO, A. B. Recursos minerais não-metálicos. Estudos Avançados, v. 12, n. 33, p. 67–87, 1998.

MARTINS, C. C. Utilização de métodos geoelétricos para auxílio do planejamento de lavra em pedreira de gnaisse. 2014. Dissertação (Mestrado em Geofísica) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

MECHI, A.; SANCHES, D. L. Impactos ambientais da mineração no Estado de São Paulo. Estudos Avançados, v. 24, n. 68, p. 209–220, 2010.

MOÇAMBIQUE. Lei 20/1997, de 1 de Outubro. Lei do Ambiente. República de Moçambique. Bolentim da República, 1997.

MOÇAMBIQUE. Decreto n°26/2004, de 20 de Agosto. Regulamento ambiental para a atividade mineira. República de Moçambique, Bolentim da República, 2004.

MOÇAMBIQUE. Lei de Mina. República de Moçambique, Bolentim da República, 2014a.

MOÇAMBIQUE. Nova Lei de Minas e nova Lei dos Petróleos. República de Moçambique, Bolentim da República, 2014b.

MOÇAMBIQUE. Decreto n.o 54/2015, de 31 de Dezembro. Regulamento sobre o Processo de Avaliação de Impacto Ambiental. República de Moçambique, Bolentim da República, 2015.

MOÇAMBIQUE. IV recenseamento geral da população e habitação 2017: resultados definitivos Moçambique. Maputo: Instituto Nacional de estatística, 2019.

PETRAKIS, G. H. et al. Geologia de jazidas de brita e areia artificial de qualidade especial: exemplos do álca sienito de Nova Iguaçu, RJ, e riolitos de Nova Prata, RS. Geociências, v. 29, n. 1, p. 21-32, 2010.

SILVA, M. A. P. DA. Influências das características morfologicas de britas graníticas e gnaíssicas na resistência à compressão do concreto. 2016. Dissertação (Mestrado em Engenharia Mineral) – Universidade Federa de Pernambuco, Recife, 2016.

VELHO, J. L. Parte I - Minerais Industriais: Agragados. In: VELHOS, J. L. Mineralogia Industrial: princípios e aplicações. Lisboa: LIDEL, 2005. p. 3-15.




DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revistaunivap.v26i52.2285

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Univap

A Revista Univap informa que:

- Recebe submissões de artigos em fluxo contínuo;

- Não aceita trabalhos de revisões de literatura;

- Limite de 5 autores por trabalhos;

- Consulte as Normas Gerais de Publicação <https://revista.univap.br/index.php/revistaunivap/about/editorialPolicies#custom-2> e o Template <www1.univap.br/revista/20201215_Template_Revista_Univap.doc> para formatação do trabalhos;

- Os autores deverão seguir rigorosamente as orientações do Template/Modelo e inserir o número de Orcid nos Metadados da submissão;

Declarações a serem enviadas como documento suplementar:


Declaração de Conflito de Interesses que deve ser preenchida, assinada e enviada através do passo 4 do processo de submissão. Portanto, nenhum artigo será publicado na Revista Univap sem o preenchimento desses requisitos. <http://www1.univap.br/revista/Declara_Rev_Univap.doc>

- Declaração de Responsabilidade por tradução de língua inglesa/espanhola

Os autores deverão encaminhar Declaração de Responsabilidade de Tradução de língua inglesa/espanhola assinada por tradutor profissional.
<http://www1.univap.br/revista/Declaracao_traducao_profissional.doc>

Recomendamos o contato cpotraducao. Entretanto, fica a critério do autor. 

- Envio de documento suplementar com Indicação de Avaliadores (três) com experiência na área (nome, email, Lattes);

- O prazo médio de avaliação é de 6 meses.


Revista UniVap, e-ISSN 2237-1753, é uma publicação eletrônica editada pela Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP), que tem o intuito de promover a divulgação de pesquisas e estudos, cumprindo a tríplice missão da universidade, de proporcionar ensino, pesquisa e extensão de modo indissociável. Esta publicação incentiva as pesquisas e procura o envolvimento de seus professores e alunos em pesquisas e cogitações de interesse social, educacional, científico ou tecnológico. Aceita artigos originais, não publicados anteriormente, de seus docentes, discentes, bem como de autores da comunidade científica nacional e internacional. Publica artigos, notas científicas, relatos de pesquisa, estudos teóricos, relatos de experiência profissional e resenhas.

- ACESSO ÀS NORMAS GERAIS PARA PUBLICAÇÃO DE TRABALHOS NA REVISTA UNIVAP

- FLUXOGRAMA DO PROCESSO EDITORIAL


O endereço da revista é http://revista.univap.br/index.php/revistaunivap

 

Fontes de indexação da Revista UNIVAP:

O Índice de Citações da Revista UNIVAP está disponível por intermédio do Google Acadêmico <https://scholar.google.com.br/citations?user=tmYYoVwAAAAJ&hl=pt-BR>.


Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.