DÚVIDAS MATERNAS NA ALTA HOSPITALAR DO RECÉM-NASCIDO

Gláucia Maria Nóbrega Rocha, Marielle Ribeiro Feitosa, Rhanna Emanuela Fontenele Lima de Carvalho, Regina Claúdia Melo Dodt, Maria Veraci de Oliveira Queiroz, Edna Maria Camelo Chaves

Resumo


Alta hospitalar é um momento importante para a mãe do recém-nascido prematuro, que irá assumir os cuidados com o filho.   Objetivo: identificar as dúvidas apresentadas pelas mães de recém-nascidos prematuros em relação aos cuidados domiciliares no preparo para alta hospitalar. Métodos: Trata-se de um estudo descritivo, realizado com 30 mães que estavam com seus filhos com alta hospitalar programada, em uma unidade neonatal de um hospital público. O estudo se desenvolveu de maio a outubro de 2015. Os dados foram coletados por meio de um roteiro de entrevista semiestruturada. Resultados: A maioria das mães participantes da pesquisa informou não estar preparadas para cuidar do filho (60,1%). As dúvidas mais relatadas foram o banho (60%) e amamentação (56,7%). Conclusão: As mães não se sentiam seguras para prestar os cuidados de higienização e alimentação do bebê ao chegar ao domicilio.


Palavras-chave


Alta hospitalar; Enfermagem neonatal; Recém-nascido; Unidade de terapia intensiva neonatal.

Texto completo:

PDF

Referências


BAPTISTA, S. S. et al. Manejo clínico da amamentação: atuação do enfermeiro na unidade de terapia intensiva neonatal. Revista de Enfermagem UFSM, v. 5, n. 1, p. 23-31, 2015.

BOTÊLHO, S. M. et al. O cuidar materno diante do filho prematuro: um estudo das representações sociais. Revista da Escola de Enfermagem USP, v. 46, n. 4, p. 929-934, 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde, 2010. Disponível em: http://www.datasus.gov.br. Acesso em: 14 mar. 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Atenção à Saúde do Recém-Nascido. Guia para os Profissionais de Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2011 (Série A. Normas e Manuais Técnicos).

BRASIL. Secretaria de Políticas para as Mulheres. Relatório Anual Socioeconômico da Mulher. Brasília: Secretaria de Políticas para as Mulheres, mar. 2015. 181 p. Disponível em: http://www.spm.gov.br/central-de-conteudos/publicacoes/publicacoes/2015/livro-raseam_completo.pdf. Acesso em: 3 jan. 2017.

BROCCHI, B. S.; LEME, M. I. S. A relação entre a interação mãe-criança no desenvolvimento da linguagem oral de recém-nascidos prematuros. Audiology - Communication Research, v. 18, n.4, p.321-31, 2013.

COSSUL, M. U. et al. Crenças e práticas parentais no cuidado domiciliar da criança nascida prematura. Revista Mineira de Enfermagem. Out/dez, v. 19, n. 4, p. 830-835, 2015.

COUTO, F. F.; PRAÇA, N. S. Recém-nascido prematuro: suporte materno domiciliar para o cuidado. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 65, n. 1, p. 19-26, 2012.

FONSECA, E. L.; MARCON, S. S. Percepção de mães sobre o cuidado domiciliar prestado ao bebê nascido com baixo peso. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 64, n. 1, p. 11-17, 2011.

FROTA, M. A. et al. Alta hospitalar e o cuidado do recém-nascido prematuro no domicílio: vivência materna. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, v. 17, n. 2, p. 277-283, 2013.

HENRIQUE, S. N.; MARTINS, R.M. L. Aleitamento materno: o porquê do abandono. Millenium, v. 40, p. 39‐51, 2011.

LEITE, A. G. et al. Práticas de educação em saúde na Estratégia Saúde da Família: revisão integrativa da literatura. Revista de Enfermagem UFPE, Recife, v. 9, Supl. 10, p. 1572-1579, dez. 2015.

MELO, R. C. J.; SOUZA, I. E. O.; PAULA, C. C. O sentido do ser-mãe-que-tem-a-possibilidade-de-tocar-o-filho-prematuro na unidade intensiva: contribuições para a Enfermagem neonatal. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, v. 16, n. 2, p. 219-226, 2012.

OLIVEIRA, P. M. P.; PAGLIUCA, L. M. F. Avaliação de tecnologia educativa na modalidade literatura de cordel sobre amamentação. Revista da Escola de Enfermagem USP, v. 47, n. 1, p. 205-212, 2013.

RAPOPORT, A.; PICCININI, C. A. Maternidade e situações estressantes no primeiro ano de vida do bebê. Psico-USF, Itatiba, v. 16, n. 2, p. 215-225, ago. 2011.

SANTOS, L. M. et al. Vivências paternas durante a hospitalização do recém-nascido prematuro na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 65, n. 5, p. 788-794, out. 2012.

SCHIMIDT, K. T.; HIGARASHI, I. H. Experiência materna no cuidado domiciliar do recém-nascido prematuro. Revista Mineira de Enfermagem, v. 16, n. 3, p. 391-399, 2012.

SIQUEIRA, M. B. C.; DIAS, M. A. B. A percepção materna sobre vivência e aprendizado de cuidado de um bebê prematuro. Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasília, v. 20, n. 1, p. 27-36, mar. 2011.

VERONEZ, M.; et al. Vivência de mães de bebês prematuros do nascimento a alta: notas de diários de campo. Rev. Gaúcha Enferm., Porto Alegre, v. 38, n. 2, e60911, 2017.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Declaração da OMS sobre taxas de cesáreas. Brasília: Organização Mundial de Saúde, 2015. Disponível em: http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/161442/3/WHO_RHR_15.02_por.pdf. Acesso em: 14 mar. 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revistaunivap.v25i49.1968

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Univap

Revista UniVap é uma publicação eletrônica (a partir da edição nº 29 passa a ser on-line) editada pela Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP), que tem o intuito de promover a divulgação de pesquisas e estudos, cumprindo a tríplice missão da universidade, de proporcionar ensino, pesquisa e extensão de modo indissociável. Esta publicação incentiva as pesquisas e procura o envolvimento de seus professores e alunos em pesquisas e cogitações de interesse social, educacional, científico ou tecnológico. Aceita artigos originais, não publicados anteriormente, de seus docentes, discentes, bem como de autores da comunidade científica nacional e internacional. Publica artigos, notas científicas, relatos de pesquisa, estudos teóricos, relatos de experiência profissional e resenhas.

- ACESSO ÀS NORMAS GERAIS PARA PUBLICAÇÃO DE TRABALHOS NA REVISTA UNIVAP

- FLUXOGRAMA DO PROCESSO EDITORIAL


O endereço da revista é http://revista.univap.br/index.php/revistaunivap

 

Atualmente, a Revista UNIVAP possui 9 indexadores:

O Índice de Citações da Revista UNIVAP está disponível por intermédio do Google Acadêmico <https://scholar.google.com.br/citations?user=tmYYoVwAAAAJ&hl=pt-BR>.