METODOLOGIAS DE ENSINO-APRENDIZAGEM EM INSTITUIÇÃO HOSPITALAR: AVALIAÇÃO E PROPOSTAS EM CENÁRIO DE PANDEMIA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v27i55.2586

Palavras-chave:

COVID19, desenvolvimento humano, educação permanente, metodologias de ensino-aprendizagem.

Resumo

No contexto hospitalar, profissionais necessitam de atualização e capacitação contínuas. No entanto, nem sempre se consegue alta adesão dos funcionários às atividades de aprimoramento. A situação agrava-se num contexto de pandemia como o vivido em 2020 no Brasil (e no mundo) com a COVID19, pois crescem as demandas dos profissionais, submetidos a estresse adicional com o aumento significativo de internações e óbitos. Além disso, para evitar aglomeração, atividades de capacitação passam a exigir ambientes com menor concentração de pessoas, em vez das tradicionais palestras em auditórios lotados. Partindo de pesquisa e observações associadas ao uso de metodologias ativas no campo da Saúde, este trabalho busca apresentar propostas para aplicação destas metodologias no cenário da pandemia, planejando uma estrutura de capacitação diversificada e adequada aos diferentes setores de um hospital de referência do Vale do Paraíba (SP) para melhorar comunicação, conhecimento, interação e habilidade das equipes. No contexto da pandemia, evidenciam-se as vantagens das metodologias ativas, destacando-se o maior envolvimento dos profissionais nas capacitações, com interação sistêmica ampliando o engajamento dos profissionais. Essa interação mais efetiva entre as áreas e a ampliação da formação dos profissionais potencializa a melhora da qualidade da assistência. O envolvimento dos profissionais também tende a reduzir a rotatividade e os custos com pessoal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Milena Fernandes Lima, Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP)

Graduação de Enfermagem pela Universidade de Taubaté (2016), Pós graduação de Docência no Ensino em Saúde pelo Albert Einstein(2018), Pós graduação de administração Hospitalar pela Universidade do vale do Paraíba (2020), Pós graduação de Educação Permanente pela FIOCRUZ ( 2020). Atuei como Enfermeira Assistencial no Banco de Leite Humano (2018), Docente na Instituição Educacional de Taubaté (IET) - Unidade II Campos do Jordão (2017-2018), Docente no colégio Tableau - Unidade de São José dos Campos (2019-2020), Enfermeira do setor de Educação Permanente Junior do Hospital Pio XII ( 2018-2020). Atualmente como Enfermeira assistencial no Hospital PIO XII com atendimento de Cardiologia e Oncologia com tarefas de planejamento assistencial e ferramentas gerenciais de enfermagem.

Estela Mara Moraes Teixeira, Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP)

Graduada em Enfermagem e Obstetrícia, pela Escola de Enfermagem Anna Nery, Universidade Federal do Rio de Janeiro (EEAN/UFRJ), em 2007. Especialização em Atendimento de Enfermagem nas Emergências Intra e Pré-hospitalares, pela Universidade de Taubaté, e 2013 e Especialização em Educação Permanente, pela Fiocruz, em 2020.
Atuação na área de Atendimento de Urgência e Emergência, Educação Permanente e Docência em Saúde.

Paulo Roxo Barja, Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP)

Paulo Roxo Barja é físico (UNICAMP) e músico (Lavignac); fez pós-doutorado na ESALq/USP (2000/2001), é doutor em Ciências pela UNICAMP (2000) e mestre em Física (UNICAMP, 1996). Desde fev/2002 é Professor da UNIVAP, onde coordena o Laboratório de Estatística Aplicada. Participou de mais de 120 eventos científicos no Brasil, Europa, EUA, Egito e América Latina. Orientou cerca de 70 trabalhos entre dissertações de mestrado (32), especialização e trabalhos de conclusão de curso, principalmente nas áreas de Engenharia Biomédica e Educação. Até o momento, publicou mais de 250 trabalhos em anais de evento, 67 artigos em periódicos acadêmicos e 9 capítulos de livro. Desde 2002, é avaliador do Encontro Latino-Americano de Iniciação Científica e Pós-Graduação anualmente promovido pela UNIVAP. De 2009 a 2012, coordenou o Programa de Mestrado Profissional em Bioengenharia da UNIVAP. É revisor de diversos periódicos, incluindo a Revista UNIVAP. Possui 15 livros publicados, incluindo "Música e Sociedade" (Appris, 2017), além de mais de 90 folhetos de cordel sobre temas variados (meio ambiente, história, política e saúde, entre outros). Tem organizado produções literárias coletivas (principalmente cordéis) a partir de oficinas que ministra em colégios, universidades e outros espaços. Suas principais linhas de pesquisa estão relacionadas a Estatística Aplicada e Comunicação. Em seu currículo Lattes, as palavras-chave mais frequentes são: Comunicação, Educação, Literatura e Música.

Referências

BERBEL, N. A. N. Metodologia da problematização: fundamentos e aplicações. Londrina: EdUEL, 1999.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Política Nacional de Educação Permanente (PNEPS), 2017. Disponível em: https://antigo.saude.gov.br/trabalho-educacao-e-qualificacao/gestao-da-educacao/qualificacao-profissional/40695-politica-nacional-de-educacao-permanente-pneps. Acesso em: 02 jun. 2021.

CYRINO, E. G, TORALLES-PEREIRA, M. L. Trabalhando com estratégias de ensino-aprendizado por descoberta na área da saúde: a problematização e a aprendizagem baseada em problemas. Cadernos de saúde pública, v. 20, n. 3, p.780-8, 2004.

CUNHA, L. B.; VALÉRIO, S. T. Treinamento admissional. Einstein: educação continuada em saúde, v. 7, n. 1, p. 49-51, 2009.

FIGUEIRÊDO, A. A. F.; QUEIROZ, T. N. A utilização de rodas de conversa como metodologia que possibilita o diálogo. 2012. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL FAZENDA GÊNERO, 10., 2012, Florianópolis. Anais Eletrônicos [...]. Florianópolis: UFSC, 2012. Disponível em: http://www.fg2013.wwc2017.eventos.dype.com.br/resources/anais/20. Acesso em: 10. abr. 2021.

GUBERTI, E.; PRADO, M. L. Desafios na prática pedagógica na educação profissional em enfermagem. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 13, n. 2, p.285-295, jun. 2011. Doi: https://doi.org/10.5216/ree.v13i2.9036. Disponível em: http://www.fen.ufg.br/revista/v13/n2/v13n2a15.htm. Acesso em: 10 abr. 2021.

JESUS, R. G. et al. Percepção de políticas de gestão de pessoas e comprometimento organizacional: o papel mediador da percepção de justiça organizacional. Tourism & Management Studies, v. 11, n. 2, p. 211-218, 2011.

MANCIA, J. R.; CABRAL, L. C.; KOERICH, M. S. Educação permanente no contexto da enfermagem e na saúde. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 57, n. 5, p. 605-610, 2004.

MARIN, M. J. S. et al. Aspectos das fortalezas e fragilidades no uso das metodologias ativas de aprendizagem. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 34, n. 1, p. 13-20, 2010.

MITRE, S. M. et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na formação profissional em saúde: debates atuais. Ciência & Saúde Coletiva, v. 13, p. 2133-2144, 2008.

PAIVA, M. R. F. et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem: revisão integrativa. SANARE: Revista de Políticas Públicas, v. 15, n. 2, p. 145-153, 2016.

RIBEIRO, L. R. C. Aprendizagem baseada em problemas (PBL): uma experiência no ensino superior. São Carlos: EdUFSCar, 2008. Disponível em: http://books.scielo.org/id/w57z2. Acesso em: 17 abr. 2021.

SEBOLD, L. F. et al. Metodologias ativas: uma inovação na disciplina de fundamentos para o cuidado profissional de enfermagem. Cogitare Enfermagem, v. 15, n. 4, p. 753-756, 2010.

TAKAHASHI, R. T.; FERNANDES, M. F. P. Plano de Aula: Conceito e Metodologia. Acta Paulista de Enfermagem, v. 17, n. 1, p.114-118, nov. 2017.

TOZZI, P. M. B. et al. A Sala de Aula On-Line: O Ambiente Virtual de Aprendizagem e a Cultura Docente. In: CONGRESSO SOBRE TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO, (Ctrl+ E 2017), 2., 2017, Mamanguape, Pb. Anais Eletrônico [...]. Mamanguape: Universidade Federal da Paraíba, 2017. Disponível em: http://ceur-ws.org/Vol-1877/CtrlE2017_AR_06_48.pdf. Acesso em: 15 abr. 2021.

WEBER, L. C. Metodologias ativas no processo de ensino da Enfermagem: revisão integrativa.2018. Dissertação (Mestrado em Ensino) Universidade do Vale do Taquari, Lajeado, 2018.

Downloads

Publicado

2021-10-26

Como Citar

Lima, M. F., Moraes Teixeira, E. M., & Barja, P. R. (2021). METODOLOGIAS DE ENSINO-APRENDIZAGEM EM INSTITUIÇÃO HOSPITALAR: AVALIAÇÃO E PROPOSTAS EM CENÁRIO DE PANDEMIA. Revista Univap, 27(55). https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v27i55.2586