USO DA ABNT NBR 15088/2011 PARA AVALIAÇÃO DA TOXICIDADE DA ÁGUA DO RIO DOCE E DO POTENCIAL DE ACUMULAÇÃO DE METAIS EM PEIXEIS

Autores

  • Échily Sartori Universidade Federal do Espírito Santo - UFES
  • Lucas Henrique Viana Costa Universidade Federal do Espírito Santo - UFES
  • Diego Lacerda de Souza Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro - UENF
  • Thiago Pessanha Rangel Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro - UENF
  • Diogo Quitete Ribeiro de Almeida Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro - UENF
  • Carlos Eduardo de Rezende Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro - UENF
  • Cristiane dos Santos Vergilio Universidade Federal do Espírito Santo - UFES

DOI:

https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.1343

Palavras-chave:

ABNT NBR 15088/2011, Danio rerio, Ensaios Ecotoxicológicos, Metais, Rio Doce.

Resumo

A necessidade de estudos toxicológicos do rio Doce aumenta em função do rompimento da barragem do Fundão, devido ao lançamento e às características tóxicas dos rejeitos de minério de ferro que alcançaram seu leito. Com isso, no presente estudo foram realizados ensaios de toxicidade aguda (ABNT NBR 15088:2011) utilizando a espécie indicadora Danio rerio exposta a amostras de água de três pontos amostrais do rio Doce (Regência - ES, Colatina- ES e Ipatinga - MG) por 96 horas. De acordo a normativa, o efeito tóxico é avaliado através da mortalidade dos organismos expostos. Nesse sentido, as amostras de água do Rio Doce das regiões de Regência, Colatina e Ipatinga não apresentaram toxicidade, uma vez que não foi observada mortalidade dos organismos no presente estudo. Ao final do ensaio, os peixes foram necropsiados para retirada do tecido muscular para análise de metais. Apesar da ausência de mortalidade foi observada a acumulação de metais, principalmente de Al e Fe nos exemplares de Regência - ES. Esses resultados despertam preocupações quanto a biota do rio Doce, em função do potencial tóxicos desses metais e sua incorporação na cadeia trófica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Échily Sartori, Universidade Federal do Espírito Santo - UFES

Departamendo de Biologia/Área: Ecologia e Farmacologia

Lucas Henrique Viana Costa, Universidade Federal do Espírito Santo - UFES

Departamendo de Biologia/Área: Ecologia e Farmacologia

Diego Lacerda de Souza, Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro - UENF

Centro de Biociências e Biotecnologia/Laboratório de Ciências Ambientais/Área: Ecologia e Farmacologia

Thiago Pessanha Rangel, Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro - UENF

Centro de Biociências e Biotecnologia/Laboratório de Ciências Ambientais/Área: Ecologia e Farmacologia

Diogo Quitete Ribeiro de Almeida, Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro - UENF

Centro de Biociências e Biotecnologia/Laboratório de Ciências Ambientais/Área: Ecologia e Farmacologia

Carlos Eduardo de Rezende, Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro - UENF

Centro de Biociências e Biotecnologia/Laboratório de Ciências Ambientais/Área: Ecologia e Farmacologia

Cristiane dos Santos Vergilio, Universidade Federal do Espírito Santo - UFES

Departamendo de Biologia/Área: Ecologia e Farmacologia

Downloads

Publicado

2017-03-17

Como Citar

Sartori, Échily, Henrique Viana Costa, L., Lacerda de Souza, D., Pessanha Rangel, T., Quitete Ribeiro de Almeida, D., de Rezende, C. E., & dos Santos Vergilio, C. (2017). USO DA ABNT NBR 15088/2011 PARA AVALIAÇÃO DA TOXICIDADE DA ÁGUA DO RIO DOCE E DO POTENCIAL DE ACUMULAÇÃO DE METAIS EM PEIXEIS. Revista Univap, 22(40), 645. https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.1343