USO DA ABNT NBR 15088/2011 PARA AVALIAÇÃO DA TOXICIDADE DA ÁGUA DO RIO DOCE E DO POTENCIAL DE ACUMULAÇÃO DE METAIS EM PEIXEIS

Échily Sartori, Lucas Henrique Viana Costa, Diego Lacerda de Souza, Thiago Pessanha Rangel, Diogo Quitete Ribeiro de Almeida, Carlos Eduardo de Rezende, Cristiane dos Santos Vergilio

Resumo


A necessidade de estudos toxicológicos do rio Doce aumenta em função do rompimento da barragem do Fundão, devido ao lançamento e às características tóxicas dos rejeitos de minério de ferro que alcançaram seu leito. Com isso, no presente estudo foram realizados ensaios de toxicidade aguda (ABNT NBR 15088:2011) utilizando a espécie indicadora Danio rerio exposta a amostras de água de três pontos amostrais do rio Doce (Regência - ES, Colatina- ES e Ipatinga - MG) por 96 horas. De acordo a normativa, o efeito tóxico é avaliado através da mortalidade dos organismos expostos. Nesse sentido, as amostras de água do Rio Doce das regiões de Regência, Colatina e Ipatinga não apresentaram toxicidade, uma vez que não foi observada mortalidade dos organismos no presente estudo. Ao final do ensaio, os peixes foram necropsiados para retirada do tecido muscular para análise de metais. Apesar da ausência de mortalidade foi observada a acumulação de metais, principalmente de Al e Fe nos exemplares de Regência - ES. Esses resultados despertam preocupações quanto a biota do rio Doce, em função do potencial tóxicos desses metais e sua incorporação na cadeia trófica.

Palavras-chave


ABNT NBR 15088/2011; Danio rerio; Ensaios Ecotoxicológicos; Metais; Rio Doce.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.1343

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista Univap

A Revista Univap informa que:

- Recebe submissões de artigos em fluxo contínuo;

- Não aceita trabalhos de revisões de literatura;

- Não há limite de autores. Em 2021 irá limitar a 5 autores por trabalhos;

- Consulte as Normas Gerais de Publicação <https://revista.univap.br/index.php/revistaunivap/about/editorialPolicies#custom-2> e o Template <http://www1.univap.br/revista/20200812_Template_Revista_Univap.doc> para formatação do trabalhos;

- Os autores deverão seguir rigorosamente as orientações do Template/Modelo e inserir o número de Orcid nos Metadados da submissão;

- Os autores deverão enviar uma Declaração de Conflito de Interesses que deve ser preenchida, assinada e enviada através do passo 4 do processo de submissão. Portanto, nenhum artigo será publicado na Revista Univap sem o preenchimento desses requisitos. <http://www1.univap.br/revista/Declara_Rev_Univap.docx>

- Recomendamos que inclua um documento suplementar indicando três avaliadores com experiência na área (nome, email, Lattes);

- O prazo médio de avaliação é de 6 meses.


Revista UniVap, e-ISSN 2237-1753, é uma publicação eletrônica (a partir da edição nº 29 passa a ser on-line) editada pela Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP), que tem o intuito de promover a divulgação de pesquisas e estudos, cumprindo a tríplice missão da universidade, de proporcionar ensino, pesquisa e extensão de modo indissociável. Esta publicação incentiva as pesquisas e procura o envolvimento de seus professores e alunos em pesquisas e cogitações de interesse social, educacional, científico ou tecnológico. Aceita artigos originais, não publicados anteriormente, de seus docentes, discentes, bem como de autores da comunidade científica nacional e internacional. Publica artigos, notas científicas, relatos de pesquisa, estudos teóricos, relatos de experiência profissional e resenhas.

- ACESSO ÀS NORMAS GERAIS PARA PUBLICAÇÃO DE TRABALHOS NA REVISTA UNIVAP

- FLUXOGRAMA DO PROCESSO EDITORIAL


O endereço da revista é http://revista.univap.br/index.php/revistaunivap

 

Atualmente, a Revista UNIVAP possui 7 indexadores e 1 diretório:

O Índice de Citações da Revista UNIVAP está disponível por intermédio do Google Acadêmico <https://scholar.google.com.br/citations?user=tmYYoVwAAAAJ&hl=pt-BR>.