ARRANJO PRODUTIVO LOCAL AEROESPACIAL

REVISANDO CONCEITOS E OBSERVAÇÕES SOBRE O CASO CONCRETO DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS/SP

Autores

  • Dimas Lucas Lara da Silva Universidade de Taubaté (UNITAU) https://orcid.org/0000-0001-8068-8113
  • Edson Aparecida de Araujo Querido Oliveira Mestrado em Economia do Trabalho e da Tecnologia - PUC/São PauloDoutorado em Organização Industrial – ITAPós-Doutorado em Gestão Inovação Tecnológica – ITA https://orcid.org/0000-0001-9336-4249
  • Andréia Fogaça Rodrigues Maricato Doutora (2014) e Mestre (2009) em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo;Especialista em Direito Tributário pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - COGEAE (2005); https://orcid.org/0000-0002-4213-7502

DOI:

https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v28i57.2622

Palavras-chave:

Parque Tecnológico, Arranjos Produtivos Locais, Indústria Aeronáutica.

Resumo

O objetivo do presente trabalho é avaliar a relevância do Arranjo Produtivo Local Aeroespacial na região do município de São José dos Campos/SP, bem como seus desdobramentos tendo em vista que sua criação se deu em virtude da indústria aeroespacial regional, com reflexos nacionais. O presente trabalho tem enfoque na reflexão dos temas conceituais pertinentes ao assunto e na análise dos dados obtidos junto ao Parque Tecnológico de São José dos Campos, com o intuito de destacar a importância dessa indústria. Este artigo baseia-se na revisão bibliográfica, bem como na análise de dados quantitativos e qualitativos, obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação e, de dados públicos, finalizando com a aplicação desses conceitos com os dados apresentados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dimas Lucas Lara da Silva, Universidade de Taubaté (UNITAU)

Mestrando em Gestão e Desenvolvimento Regional pela Unitau

http://lattes.cnpq.br/3950420270439749

Edson Aparecida de Araujo Querido Oliveira, Mestrado em Economia do Trabalho e da Tecnologia - PUC/São PauloDoutorado em Organização Industrial – ITAPós-Doutorado em Gestão Inovação Tecnológica – ITA

Coordenador Geral do Programa de Pós-Graduação em Administração-PPGA
Universidade de Taubaté - UNITAU

 

http://lattes.cnpq.br/4598083077175084

Andréia Fogaça Rodrigues Maricato, Doutora (2014) e Mestre (2009) em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo;Especialista em Direito Tributário pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - COGEAE (2005);

Coordenadora do Curso de Especialização do Instituto Brasileiro de Estudos Tributários (IBET) em São José dos Campos dede 2013;

Orientadora do mestrado profissional em Gestão e Desenvolvimento Regional (MGDR) da Universidade de Taubaté (UNITAU);

Orientadora do Mestrado Acadêmico de Planejamento e Desenvolvimento Regional (MPDR) da Universidade de Taubaté (UNITAU);

Professora e Advogada, com ênfase em Direito Tributário.

http://lattes.cnpq.br/2102922733336793

Referências

Aero. (2020). Cluster Aero, o que é. http://www.pqtec.org.br/cluster-aero/o-que-e

Anprotec. (2020). Parques Tecnológicos: Estudo, Análise e Proposições. https://anprotec.org.br/site/wp-content/uploads/2020/06/estudo-parques_pdf_16.pdf

Avibras. (2021) Nossa História. https://www.avibras.com.br/site/institucional/nossa-historia.htm

BAC. (2020). Quem somos. http://www.aerospacebrazil.com.br/pt/ aerospace-cluster

Brandão, C. (2007). Território e desenvolvimento: as múltiplas escalas entre o local e o global. Editora da Unicamp.

Buarque, C.S. (2006). Construindo o desenvolvimento local sustentável. Garamond.

Castro, L. H. (2009). Arranjo produtivo local. Sebrae.

Cavex. Comando de Aviação do Exército. 2021. Disponível em: http://www.cavex.eb.mil.br/. Acesso em:02 ago.2021.

Dallabrida, V. R. (2014). Desenvolvimento territorial: políticas públicas brasileiras, experiências internacionais e a indicação geográfica como referência. LiberArs.

Dallabrida, V. R. (2013). Território, identidade territorial e desenvolvimento regional. Reflexões sobre indicação geográfica e novas possibilidades de desenvolvimento com base em ativos com especificidade territorial. LiberArs.

Empresa Brasileira de Aeronáutica. (2020). História da Embraer. https://historicalcenter.embraer. com/br/pt/historia

Helibras. (2020). História. https://www.helibras.com.br/website /po/ref/Hist%C3%B3ria_90.html

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2020). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Produto Interno dos Municípios. https://www.ibge.gov.br/estatisticas/economicas/contas-nacionais /9088-produto-interno-bruto-dos-municipios.html?t=pib-por-municipio&c=3549904

Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil. (2020). Índice de Desenvolvimento Humano de 2010. http://www.atlasbrasil.org.br

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. (2021). História. http://www.inpe.br/institucional/sobre_inpe/historia.php

Lastres, H. M. M. (2004). Políticas para promoção de arranjos produtivos e inovativos locais de micro e pequenas empresas: vantagens e restrições do conceito e equívocos usuais. Relatório de Atividades de Divulgação do Referencial Conceitual, Analítico e Propositivo. Sebrae; UFRJ.

Organização das Nações Unidas. (2020). A ONU e o meio ambiente. https://brasil.un.org/pt-br/91223-onu-e-o-meio-ambiente.

Simonetti, E. R. S. & Kamimura, Q. P. (2017). As políticas públicas direcionadas ao desenvolvimento de arranjos produtivos locais. In C. W. A. Oliveira. (Org.), Arranjos produtivos locais e desenvolvimento (pp. 21–35). Ipea.

Santos, M. (2006). A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção (4. ed.) Edusp.

Santos, M. & Silveira, M. L. (2006). O Brasil: Território e sociedade no início do século XXI. Record.

Zouain, D. M. & Plonski, G. A. (2006). Parques tecnológicos: planejamento e gestão. Anprotec; Sebrae.

Downloads

Publicado

2022-04-19

Como Citar

da Silva, D. L. L., Oliveira, E. A. de A. Q., & Maricato, A. F. R. (2022). ARRANJO PRODUTIVO LOCAL AEROESPACIAL: REVISANDO CONCEITOS E OBSERVAÇÕES SOBRE O CASO CONCRETO DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS/SP. Revista Univap, 28(57). https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v28i57.2622

Edição

Seção

Ciências Sociais Aplicadas