ANÁLISE MICROBIOLÓGICA DE POLPAS DE FRUTAS INDUSTRIALIZADAS COMERCIALIZADAS EM SUPERMERCADO EM BELÉM DO PARÁ

Thalita Bandeira Dantas e Silva, Vanusa de Souza Martins, Juliana Matos Cativo Pereira, Luciane do Socorro Nunes dos Santos Brasil, Suely Maria Ribeiro Da Silva

Resumo


As frutas são alimentos de elevado teor nutritivo, compondo uma dieta saudável e equilibrada, possuem ainda um importante papel no desenvolvimento econômico da região Amazônica, que é um bioma com grande diversidade frutífera. Porém, devido as suas características intrínsecas como elevada atividade de água, as frutas tornam-se alimentos altamente perecíveis e com um curto período de comercialização, associado a diversos problemas higiênico-sanitários que envolvem todas as etapas do processamento incluindo a colheita, transporte, armazenamento, beneficiamento e disponibilização para venda. Assim, é fundamental a adoção de adequadas práticas para elaboração das polpas de frutas industrializadas, que se destacam como uma importante alternativa para o aproveitamento dos frutos durante a safra. Visando a segurança microbiológica dos alimentos e saúde de seus consumidores o presente estudo objetivou realizar análises microbiológicas de Coliformes a 45ºC e Salmonella spp. de 30 amostras de polpas de frutas comercializados em supermercados de Belém do Pará, com padrão estabelecido pela RDC nº12 de 02 de janeiro de 2001. Os resultados obtidos mostraram que 93,34% das amostras encontravam-se em conformidade em relação a legislação vigente para Coliformes a 45ºC , além de ausência de Salmonella spp. em 25g, em 100% das amostras analisadas.

Palavras-chave


Polpa de frutas; análises microbiológicas; coliformes a 45ºC; Salmonella spp.

Texto completo:

PDF

Referências


AQUINO, R.C.; PHILIPPI, S.T. Consumo infantil de alimentos industrializados e renda familiar na cidade de São Paulo. Rev Saúde Pública, v. 36, n. 6, p. 655-60, 2002.

BALBANI, A.P.S.; BUTUGAN, O. Contaminação biológica de alimentos. Revista de Pediatria, v. 23, n. 4., p. 320, 2001.

BATISTA, A.G.; OLIVEIRA, B.D.; OLIVEIRA, M.A.; GUEDES, T.J.; SILVA, D.F.; PINTO, N.A.V.D. Parâmetros de qualidade de polpas de frutas congeladas: uma abordagem para produção do agronegócio familiar no Alto Vale do Jequitinhonha. Tecnologia e Ciência Agropecuária, João Pessoa, v.7, n. 4, p. 49-54, 2013.

BRASIL. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA DO ABASTECIMENTO. Instrução Normativa nº 01/00, de 07/01/00. Regulamento técnico geral para fixação dos padrões de identidade e qualidade para polpa de fruta. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 10 jan. 2000.

BRASIL. Ministério da Saúde. Análise Epidemiológica dos Surtos de Doenças Transmitidas por Alimentos no Brasil. Brasília, DF, 08/08/2008. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/surtos_dta.pdf. Acesso em: 03 abr 2014.

BRASIL. RDC n°12 de 02 de janeiro de 2001. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/documents/33880/2568070/RDC_12_2001.pdf/15ffddf6-3767-4527-bfac-740a0400829b. Acesso em: 03 set 2017.

CRUZ, F. T.; SCHNEIDER, S. Qualidade dos alimentos, escalas de produção e valorização de produtos tradicionais. Revista Brasileira de Agroecologia, v. 5, n. 2, p. 22-38, 2010.

DANTAS, R. L.; ROCHA, A.P.T.; ARAÚJO, A.S.; RODRIGUES, M.S.A.; MARANHÃO, T.K.L. Qualidade microbiológica de polpa de frutas comercializadas na cidade de Campina Grande, PB. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v. 14, n. 2, p. 125-130, 2012.

DIAS, M.T., SANTOS, P.C.R.F., OLIVEIRA, L.A.T., MARIN, V.A. Avaliação da sensibilidade de cepas de Escherichia coli isoladas de mexilhões (Perna perna linnaeus, 1758) à antimicrobianos. Ciênc. Tecnol. Aliment., v. 30, n. 2, 2010.

EMBRAPA. Polpa de fruta congelada. Agroindústria familiar. Brasília, DF. 2005.

FARIA, M.; OLIVEIRA, L.B.D.; COSTA, F.E.C. Determinação da qualidade microbiológica de polpas de açaí congeladas comercializadas na cidade de Pouso Alegre – MG. Alim Nutr., v. 23, n. 2, 2012.

FEITOSA, T.; OLIVEIRA, M.E.B.; BASTOS, M.S.R.; MUNIZ, C.R.; OLIVEIRA, S.C.A. Perfil microbiológico de polpa de frutas produzidas e comercializadas nos estados do Ceará e Rio Grande do Norte. B. CEPPA, v. 15, n. 1, p. 65-74,1997.

FREIRE. M.T.A.; PETRUS, R.R.; FREIRE, C.M.A.; OLIVEIRA, C.A.F.; FELIPE, A.M.P.F.; GATTI, J.B. Caracterização físico-química, microbiológica e sensorial de polpa de cupuaçu congelada (Theobroma grandiflorum Schum). Braz. J. Food Technol., v. 12, n. 1, p. 09-16, 2009.

HARVEY, M.; MCMEEKIN, A.; WARDE, A. Qualities of food. New York: Palgrave, 2004.

MESQUITA, M.O.; DANIEL, A.P.; SACCOL, A.F.; MILANI, L.I.G.; FRIES, L.L.M. Qualidade microbiológica no processamento do frango assado em unidade de alimentação e nutrição. Ciência Tecnologia de Alimentos, v. 26, n. 1, p.198-203, 2006.

PARIZ, K.L. Avaliação da qualidade microbiológica de polpas de frutas. Trabalho de Conclusão de Curso- Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, Bento Gonçalves, 2011.

PORTO, M.A.L.; OLIVEIRA, A.M.; CAVALCANTE, A.E.; STAMFORD, T.L.M. Coliformes em água de abastecimento de lojas fast-food da Região Metropolitana de Recife (PE, Brasil). Ciênc. saúde coletiva, v.16, n.5, 2011.

SANTOS, M.; TONDO, E.C. Determinação de perigos e pontos críticos de controle para implantação de sistema de análise de perigos e pontos críticos de controle em lactário. Revista Nutrição, v.13, n. 3, p.211-222, 2000.

SILVA, N. da; JUNQUEIRA, V. C. A.; SILVEIRA, N. F. de A. Manual de Métodos de Análise Microbiológica de Alimentos. 2. ed. São Paulo: Varela, 2001.

SIQUEIRA. L. P; SHINOHARA. N. K. S; LIMA, R. M. T; PAIVA. J. E; FILHO. J. L. L; CARVALHO. I. T. Avaliação microbiológica da água de consumo empregada em unidades de alimentação. Ciênc. saúde coletiva, v.15, n.1, p. 63-66, 2010.

SHINOHARA, N.K.S.; DE BARROS, V.B.; JIMENEZ, S.M.C.; MACHADO, E.C.L; DUTRA, R.A.F.; FILHO, J.L.L. Salmonella spp., importante agente patogênico veiculado em alimentos. Ciênc. saúde coletiva, v.13, n.5, 2008.

SOUZA, G.C.; CARNEIRO, J.G.; GONSALVES, H.R.O. Qualidade microbiológica de polpas de frutas congeladas produzidas no município de Russas – CE. ACSA - Agropecuária Científica no Semi-Árido, v. 7, n. 3, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revistaunivap.v26i50.1957

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Univap

Revista UniVap, e-ISSN 2237-1753, é uma publicação eletrônica (a partir da edição nº 29 passa a ser on-line) editada pela Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP), que tem o intuito de promover a divulgação de pesquisas e estudos, cumprindo a tríplice missão da universidade, de proporcionar ensino, pesquisa e extensão de modo indissociável. Esta publicação incentiva as pesquisas e procura o envolvimento de seus professores e alunos em pesquisas e cogitações de interesse social, educacional, científico ou tecnológico. Aceita artigos originais, não publicados anteriormente, de seus docentes, discentes, bem como de autores da comunidade científica nacional e internacional. Publica artigos, notas científicas, relatos de pesquisa, estudos teóricos, relatos de experiência profissional e resenhas.

- ACESSO ÀS NORMAS GERAIS PARA PUBLICAÇÃO DE TRABALHOS NA REVISTA UNIVAP

- FLUXOGRAMA DO PROCESSO EDITORIAL


O endereço da revista é http://revista.univap.br/index.php/revistaunivap

 

Atualmente, a Revista UNIVAP possui 7 indexadores e 1 diretório:

O Índice de Citações da Revista UNIVAP está disponível por intermédio do Google Acadêmico <https://scholar.google.com.br/citations?user=tmYYoVwAAAAJ&hl=pt-BR>.