MÉTODOS DIRETOS E INDIRETOS PARA O REGISTRO DE MAMÍFEROS NO FRAGMENTO DE MATA ATLÂNTICA - UNIVAP, CAMPUS URBANOVA

Autores

  • Caio Ferreira Univap - Universidade do Vale do Paraíba
  • Douglas Pereira Lima Gomes Universidade do Vale do Paraíba
  • Karla Andressa Ruiz Lopes Universidade do Vale do Paraíba
  • Nádia Maria Rodrigues de Campos Velho Universidade do Vale do Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.1695

Palavras-chave:

Rastros, Vestígios, Mastofauna, Floresta Atlântica, Transecto Linear

Resumo

A Mata Atlântica é um dos biomas mais ameaçados do Brasil e o estabelecimento de áreas protegidas é uma das formas para se conservar este bioma. Para legalizar uma unidade de conservação, é preciso conhecer a fauna e flora local. O trabalho objetiva inventariar a mastofauna terrestre em um fragmento de Mata Atlântica, localizado na divisa entre os municípios de Jacareí e São José dos Campos, SP. Foram utilizados dois métodos distintos: método direto (transecto linear) e método indireto (parcela de areia). Como resultados foram registrados oito táxons distribuídos em quatro ordens: Cingulata, Carnivora, Didelphimorphia e Rodentia. Os dois métodos foram eficientes para o registro da mastofauna presente na área de estudo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caio Ferreira, Univap - Universidade do Vale do Paraíba

Graduando em Ciências Biológicas.

Douglas Pereira Lima Gomes, Universidade do Vale do Paraíba

Graduando em Ciências Biológicas

Downloads

Publicado

2017-05-11

Como Citar

Ferreira, C., Gomes, D. P. L., Lopes, K. A. R., & de Campos Velho, N. M. R. (2017). MÉTODOS DIRETOS E INDIRETOS PARA O REGISTRO DE MAMÍFEROS NO FRAGMENTO DE MATA ATLÂNTICA - UNIVAP, CAMPUS URBANOVA. Revista Univap, 22(40), 904. https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.1695