DESEMPENHO AGRONÔMICO DO REPOLHO SOB EFEITO RESIDUAL DO CULTIVO CONSORCIADO DE TARO E CROTALARIAS

Autores

  • Rafael Costa de Sant'Ana Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural - Incaper http://orcid.org/0000-0002-2101-3041
  • Francisco Bráz Daleprane
  • Stanley Bravo Buffon Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural - Incaper
  • Alessandra do Nascimento Pedro Instituto Federal de Educação, Ciencia e Tecnologia do Espírito Santo - IFES
  • Dayane Littig Barker Universidade Federal do Espírito Santo – UFES, Centro Universitário Norte do Espírito Santo - CEUNES
  • Sara Dousseau Arantes Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural - Incaper
  • Rafael Zucateli da Vitoria Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural - Incaper
  • Felipe de Tássio Gonçalves de Oliveira Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural - Incaper
  • Felipe Pereira Dal'Col Instituto Federal de Educação, Ciencia e Tecnologia do Espírito Santo - IFES
  • João Nacir Colombo Instituto Federal de Educação, Ciencia e Tecnologia do Espírito Santo - IFES

DOI:

https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.1418

Palavras-chave:

Produtividade, Crotalaria juncea, Crotalaria spectabilis, Colocasia esculenta.

Resumo

Avaliou-se o efeito residual do consórcio taro (Colocasia esculenta (L.) Schott) e crotalarias sob duas posições de plantio no desempenho agronômico do repolho (Brassica oleracea var. capitata). O experimento foi conduzido no Instituto Federal do Espírito Santo – campus Santa Teresa no período de agosto a novembro de 2015. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos casualizados, em esquema fatorial com dois fatores para posição (distribuição espacial nos sentidos norte-sul e leste-oeste) e três fatores para a cultura (efeito residual do consórcio taro com a Crotalaria juncea, Crotalaria spectabilis, mais o taro solteiro) correspondendo a 6 tratamentos com 4 repetições. Pressupõe-se que os nutrientes disponibilizados pela decomposição da massa de crotalarias que não foram aproveitados pela cultura do taro, proporcionaram um efeito residual para o desenvolvimento da cultura do repolho, cultivado em sucessão. Apesar de não atingir cabeças de padrão comercial, os tratamentos com efeito residual das leguminosas proporcionaram maior peso de cabeças e produtividade quando comparado ao tratamento de efeito residual do taro solteiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Bráz Daleprane

Instituto Federal de Educação, Ciencia e Tecnologia do Espírito Santo - IFES

DESEMPENHO AGRONÔMICO DO REPOLHO SOB EFEITO RESIDUAL DO CULTIVO CONSORCIADO DE TARO E CROTALARIAS 

Downloads

Publicado

2016-10-27

Como Citar

Sant’Ana, R. C. de, Daleprane, F. B., Buffon, S. B., Pedro, A. do N., Barker, D. L., Arantes, S. D., Vitoria, R. Z. da, Oliveira, F. de T. G. de, Dal’Col, F. P., & Colombo, J. N. (2016). DESEMPENHO AGRONÔMICO DO REPOLHO SOB EFEITO RESIDUAL DO CULTIVO CONSORCIADO DE TARO E CROTALARIAS. Revista Univap, 22(40), 49. https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.1418