OS IMPACTOS DO PROGRAMA “MINHA CASA MINHA VIDA” NA CIDADE PONTA DE PEDRAS-PARÁ

Autores

  • Tatiana da Silva Prado UNIVAP-Universidade do Vale do Paraíba
  • Sandra Maria Fonseca da Costa Universidade do Vale do Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.498

Palavras-chave:

Programa Minha Casa Minha Vida, habitação, Amazônia, segregação socioespacial.

Resumo

 O Programa Minha Casa Minha Vida tem despertado o interesse, desde o início de sua implantação, para o risco da segregação socioespacial. Alguns pesquisadores apontam impactos da produção desses empreendimentos, principalmente em função da localização, pois o direito à cidade não é garantido, em função do acesso à infraestrutura e aos serviços, os quais são, muitas vezes, inexistente ou precário. Desde a criação do Banco Nacional de Habitação (BNH), a questão habitacional no Brasil sempre foi tratada pelo olhar quantitativo, resumindo-se a números. Nesse sentido, esse artigo tem o objetivo de analisar o processo de pós-ocupação do PMCMV I, localizado na cidade de Ponta de Pedras, Ilha do Marajó, Pará. Para esta análise foram aplicados formulários aos moradores dos Loteamentos do PMCMV I.

Palavras-chave:

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tatiana da Silva Prado, UNIVAP-Universidade do Vale do Paraíba

GRADUAÇÃO - GEOGRAFIA

Downloads

Publicado

2016-11-22

Como Citar

Prado, T. da S., & Costa, S. M. F. da. (2016). OS IMPACTOS DO PROGRAMA “MINHA CASA MINHA VIDA” NA CIDADE PONTA DE PEDRAS-PARÁ. Revista Univap, 22(40), 152. https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.498