AGENTES FÍSICOS EM UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE: POTENCIALIDADE DE RISCOS OCUPACIONAIS

Natália Pereira Marinelli, Maria Belén Salazar Posso, Tarciso Marinelli Filho

Resumo


Os ambientes de trabalho em que atuam os profissionais de saúde, como as Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSF), concentram, por sua natureza, uma série de riscos que podem trazer diversos agravos à saúde e acometem, em especial, trabalhadores de Enfermagem. Este estudo teve o objetivo de identificar e descrever as potencialidades dos agentes físicos, como riscos ocupacionais nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). Trata-se de uma revisão de literatura integrativa, por meio de pesquisa em artigos científicos publicados em periódicos nacionais e internacionais nos últimos 10 anos, encontrados nas bases de dados LILACS, IBECS, Biblioteca Cochrane, SciELO e MEDLINE pelo PUBMED. Como resultado, constatou-se que, dos 156 riscos ocupacionais físicos citados, apenas sete eram específicos para UBS: a temperatura, o ruído, vibrações, pressões anormais, radiações, iluminação, ventilação e umidade. Outros fatores que podem ser incluídos são o espaço físico inadequado, a disposição da mobiliário, além da ausência de adaptação dos espaços internos e externos da UBS para pessoas com necessidades especiais. 


Palavras-chave


riscos ocupacionais; centros de Saúde; Saúde da Família; enfermagem.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revunivap.v20i36.225

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Revista Univap

 

 Universidade do Vale do Paraíba – UNIVAP

Pró-reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa

Profa. Dra. Sandra Maria Fonseca da Costa

Av. Shishima Hifumi, 2911 – Urbanova
12244-000 - São José dos Campos – SP

revista.univap.br-revista@univap.br
Telefone: (12) 3947-1237

 

Licença Creative Commons

Esse trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.