AÇÃO ANTIFÚNGICA DE UM JATO DE PLASMA NÃO-TERMICO DE HÉLIO/AR COMPRIMIDO SOBRE BIOFILMES DE CANDIDA ALBICANS

Autores

  • Fernanda Ramos Figueira Universidade do Vale do Paraíba http://orcid.org/0000-0002-8685-9048
  • Guilherme Redi Torello Graduando em Biomedicina, Engenharia Elétrica e Engenharia Aeronáutica/Universidade do Vale do Paraíba
  • André Luiz S. Oliveira Graduando em Biomedicina, Engenharia Elétrica e Engenharia Aeronáutica/Universidade do Vale do Paraíba
  • Jhonatan S. Brandão de Lima
  • José Augusto Nunes Figueira Doutorando em Engenharia Aeronáutica/Instituto Tecnológico de Aeronáutica - Divisão de Engenharia Mecânica
  • Homero Santiago Maciel Docente da Univap e Doutor em Electrical Discharges And Plasmas/ University of Oxford - Inglaterra
  • Rodrigo Sávio Pessoa Docente da Univap e Doutor em Ciências na Física de Plasmas/ Instituto Tecnológico de Aeronáutica
  • Anelise Cristina Osóro Cesar Doria Doutoranda em Engenharia Biomédica/ Universidade do Vale do Paraíba
  • Sônia Khouri Docente e Doutora em Microbiologia - Universidade do Vale do Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.813

Palavras-chave:

Candida albicans, biofilme, plasma atmosférico, modo contínuo, modo pulsado.

Resumo

Os biofilmes fúngicos são uma predominante causa de infecções crônicas associadas à utilização de cateteres e próteses, conferindo resistência aos antibióticos e fatores imunológicos do hospedeiro, sendo as leveduras, do gênero Candida spp, as mais frequentemente isoladas. O plasma não-térmico, operado à pressão atmosférica, vem ganhando destaque como uma nova estratégia antimicrobiana, inclusive para erradicação de biofilmes. Este trabalho teve como objetivo avaliar a eficácia da inativação de biofilmes de Candida albicans ATCC sobre substrato de poliuretano, utilizando jatos de plasma atmosférico de 6L/min de hélio e 4L/min de ar comprimido, alternando entre sistema contínuo e pulsado, com frequência de 60Hz e distâncias de 10 a 30mm entre o bocal e substrato. Após tratamento, realizou-se a contagem das unidades formadoras de colônia e a análise morfológica da superfície do biofilme por Microscopia Eletrônica de Varredura. O melhor grupo foi o plasma de modo pulsado com distância de 30mm com redução de 92% das unidades formadoras de colônia, demonstrando ser uma tecnologia promissora para o controle de biofilmes de C. albicans.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Ramos Figueira, Universidade do Vale do Paraíba

Graduanda em Biomedicina pela Universidade do Vale do Paraíba - UNIVAP

Bolsista CNPq de Iniciação Científica no Laboratório de Biotecnologia e Plasmas Elétricos - IP&D - UNIVAP

Homero Santiago Maciel, Docente da Univap e Doutor em Electrical Discharges And Plasmas/ University of Oxford - Inglaterra


Downloads

Publicado

2017-01-17

Como Citar

Figueira, F. R., Torello, G. R., Oliveira, A. L. S., Lima, J. S. B. de, Figueira, J. A. N., Maciel, H. S., Pessoa, R. S., Doria, A. C. O. C., & Khouri, S. (2017). AÇÃO ANTIFÚNGICA DE UM JATO DE PLASMA NÃO-TERMICO DE HÉLIO/AR COMPRIMIDO SOBRE BIOFILMES DE CANDIDA ALBICANS. Revista Univap, 22(40), 328. https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.813