A INFLUÊNCIA DO PENSAMENTO RELIGIOSO CONSERVADOR NA VIOLÊNCIA IDEOLÓGICA SOFRIDA PELA MULHER

Leonardo Klaus Oliveira, Maurício Martins Alves, Daniel Lipparelli Fernandez, Carlos Adrade de Aquino

Resumo


Vivencia-se, ainda hoje, uma diuturna violência contra a mulher, que por vezes não é percebida pela própria vítima devido ao seu intenso processo de naturalização. Este mecanismo de inferiorização pode ser percebido no pensamento teológico de Agostinho de Hipona, que insinua que o valor da vida da mulher só passa a ser efetivo quando ela é casta. No Brasil atual, este processo que intensifica e busca tornar, aos olhos das pessoas, comum tal violência pode ser analisado a partir da concepção de Heleieth Saffioti, em função da estrutura patrimonial e patriarcal sobre a qual foi construído e estabelecido o pensamento vigente na sociedade ocidental de uma maneira geral, pois, segundo esta autora, a exploração, diferentemente da dominação, localiza-se diretamente no terreno econômico. Este trabalho, a partir de pesquisa bibliográfica e estatística, objetiva mostrar que tal processo de naturalização, apontado por Saffioti, é reforçado pelo pensamento religioso.


Palavras-chave


Violência contra a mulher; sociedade patriarcal; exploração; família; pensamento religioso

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.1557

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista Univap

 

 Universidade do Vale do Paraíba – UNIVAP

Pró-reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa

Profa. Dra. Sandra Maria Fonseca da Costa

Av. Shishima Hifumi, 2911 – Urbanova
12244-000 - São José dos Campos – SP

revista.univap.br-revista@univap.br
Telefone: (12) 3947-1237

 

Licença Creative Commons

Esse trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.