ANALISE SENSORIAL DA BEBIDA DO CAFÉ CONILON DE CLONES DE MATURAÇÃO PRECOCE

Antônio Pereira Drumond Neto, Gustavo Soares Souza, Sergio Henriques Saraiva, Samuel Assis Silva, Julião Soares de Souza Lima

Resumo


Este trabalho foi desenvolvido com os cinco clones de maturação precoce do conilon Vitoria, em uma área comercial, em altitude de 520 m. Em três talhões coletou-se café cereja para cada clone e processou-se amostra em fruto natural (coco) e desmucilado. As amostras foram secas inicialmente em terreiro suspenso por 24 h e depois em estufa a 45 graus até obter teor de água de 12% bu. A análise sensorial, da prova de xicara, foi realizada por três degustadores. Os valores obtidos foram analisados pela ANOVA e quando significativos utilizou-se o teste de Tukey para o contraste entre as médias da característica bebida (p<0,05). A bebida apresentou diferença significativa com relação ao processamento das amostras com média de 82,77 para desmucilado e 80,93 para o natural. O processamento dos frutos e os clones não apresentam interação. O clone que apresentou maior valor médio da bebida foi o número 4, com valor de 84,58 pontos.

Palavras-chave


Café de qualidade; Altitude, Café desmucilado.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.1489

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista Univap

 

 Universidade do Vale do Paraíba – UNIVAP

Pró-reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa

Profa. Dra. Sandra Maria Fonseca da Costa

Av. Shishima Hifumi, 2911 – Urbanova
12244-000 - São José dos Campos – SP

revista.univap.br-revista@univap.br
Telefone: (12) 3947-1237

 

Licença Creative Commons

Esse trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.