VARIÁVEIS MORFOFISIOLÓGICAS E QUALIDADE DE CAFÉ CONILON SOMBREADO COM INGÁ (Inga edulis)

Vinicius Agnolette Capelini, Samira Luns Hatum de Almeida, Jorge Tadeu Fim Rosas, Gabriel Dias de Oliveira, Gustavo Soares de Souza, Julião Soares de Souza Lima, Samuel de Assis Silva

Resumo


Objetivou-se analisar a influência do sombreamento sobre o teor foliar de clorofila, área foliar específica e sobre o índice de sólidos solúveis de plantas de café conilon cultivadas em consorcio com Ingá. As medições de teor foliar de clorofila e área foliar específica foram realizadas mensalmente enquanto o grau brix foi medido semanalmente no início da fase fenológica de maturação. A diferença entre épocas de medição foi determinada pelo teste Tukey a 5% de probabilidade. Regressões múltiplas foram realizadas para analisar o efeito do sistema arborizado sobre as variáveis mensuradas. O teor foliar de clorofila apresentou variabilidade temporal, o que não foi encontrado para a área foliar específica. O sombreamento não influenciou a maturação dos frutos, não havendo diferença estatística entre as diferentes épocas de medição. À medida que o valor da área foliar específica aumenta, o teor de sólidos solúveis também aumenta, desde que o valor do teor foliar de clorofila seja intermediário.


Palavras-chave


Coffea canephora, Cafeicultura, Qualidade da bebida.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.1388

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista Univap

 

 Universidade do Vale do Paraíba – UNIVAP

Pró-reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa

Profa. Dra. Sandra Maria Fonseca da Costa

Av. Shishima Hifumi, 2911 – Urbanova
12244-000 - São José dos Campos – SP

revista.univap.br-revista@univap.br
Telefone: (12) 3947-1237

 

Licença Creative Commons

Esse trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.