EFEITO ALELOPÁTICO DE EUGENIA ASTRINGENS C. NO CRESCIMENTO INICIAL DE PICÃO-PRETO E ALFACE

Autores

  • Bruna Carminate Universidade Federal do Espírito Santo
  • Winicius Botelho de Souza Universidade Federal do Espírito Santo
  • Bianca Ferreira Santos Universidade Federal do Espírito Santo
  • Marcelo Barreto da Silva Universidade Federal do Espírito Santo

DOI:

https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.1074

Palavras-chave:

Eugenia, Herbicida, Plantas medicinais, potencial alelopático.

Resumo

A alelopatia é um fenômeno que ocorre largamente em comunidades de plantas, sendo um mecanismo pelo qual determinadas plantas interferem no desenvolvimento de outras. O objetivo deste trabalho foi avaliar a atividade alelopática do extrato aquoso das folhas de Eugenia astringens (C.) em relação ao efeito inibitório no crescimento inicial de Bidens pilosa L. (picão-preto) e Lactuca sativa L. (alface). Foi avaliada a atividade fitotóxica do extrato aquoso nas concentrações de 100%, 75%, 50%, 25% e 0% de extrato. Os parâmetros analisados foram comprimento das radículas e plântulas de picão-preto e alface. Os resultados indicaram que o extrato de E. astringens é capaz de inibidor o crescimento de plântulas e radículas, conferindo um potencial efeito alelopático contra o picão-preto e alface utilizadas como plantas alvo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruna Carminate, Universidade Federal do Espírito Santo

Departamento de ciência Agrarias e biologicas. Área ciencias agrarias.

Downloads

Publicado

2017-02-07

Como Citar

Carminate, B., de Souza, W. B., Santos, B. F., & da Silva, M. B. (2017). EFEITO ALELOPÁTICO DE EUGENIA ASTRINGENS C. NO CRESCIMENTO INICIAL DE PICÃO-PRETO E ALFACE. Revista Univap, 22(40), 484. https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.1074