NÍVEL DE ATIVIDADE FÍSICA E FATORES ASSOCIADOS EM DOCENTES DA FACULDADE DE MEDICINA DE UMA UNIVERSIDADE DO SUDOESTE GOIANO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v27i53.2420

Palavras-chave:

Atividade física, obesidade, circunferência abdominal, índice de massa corpórea.

Resumo

O ritmo de trabalho e o estilo de vida moderna influenciam em baixos níveis de atividade física, o que pode ser observado nos professores universitários. Essa situação pode comprometer a saúde desses indivíduos, aumentando o risco para inúmeras doenças. Desse modo, objetivou-se com esse estudo avaliar o nível de atividade física e fatores associados em docentes da Faculdade de Medicina da Universidade de Rio Verde. A pesquisa foi realizada através dos seguintes instrumentos: Questionário Internacional de Atividade Física (versão curta), questionário para coleta do índice de massa corpórea autorreferido e de informações sociodemográficas, profissionais e de saúde e aferição da circunferência abdominal com fita métrica. Com isso, os resultados foram positivos para a correlação entre sexo e nível de atividade física, sendo que mulheres apresentam menores níveis do que os homens. Já as outras variáveis não mostraram significância estatística nessa amostra. Também, foram detectados que mais de 50% dos docentes possuem níveis insuficientes de atividade física, medidas elevadas de circunferência abdominal e índice de massa corpórea concernente com excesso de peso. Portanto, conclui-se que grande parte dos docentes apresentou um nível de atividade física insuficiente e dentre os fatores analisados, o sexo foi o único que demonstrou correlação significativa com a inatividade física.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Beatriz Nascimento Vieira, Universidade de Rio Verde - UniRV

Graduanda de Medicina da Universidade de Rio Verde - UniRV

Sâmara Huang Bastos, Universidade de Rio Verde - UniRV

Graduanda de Medicina da Universidade de Rio Verde - UniRV

Amanda Ferreira França, Universidade de Rio Verde - UniRV

Graduanda de Medicina da Universidade de Rio Verde - UniRV

João Carvalho do Nascimento, Universidade de Rio Verde - UniRV

Mestre em Ciências da Saúde pela UnB - Universidade de Brasília, Bacharelado em Direito (1994) e Licenciatura e Bacharelado em Educação Física pela UniRV - Universidade de Rio Verde (2002), Especialização em Treinamento Desportivo e Condicionamento Físico pela Academia Estatal de Cultura Física da Rússia EAECFR/SP. Especializado em Administração para Profissionais do Esporte pela EASP/FGV-SP. Coordenador do serviço de informações do Futsal nos Jogos Pan Americanos de 2017 no Rio de Janeiro. Estudou alemão na Klubschule Migros e BWK Schule em Zürich/Suíça. Coordenador técnico e de programas esportivos e psicomotores para crianças especiais na Challenge Camps Verein em Zürich. Trabalhou como Senior Coach e posteriormente como coordenador técnico na Fundação Idee Sport - Uster/Suiça. Professor de Futebol de Campo para crianças na SPORTAMT (Sec Estadual de Esportes) do estado de Zürich. Trabalhou no programa Kids Camp de Futebol do FC Zürich no período de 2011 até 2015. Técnico de Futsal de Universidade de Bern de 2010 até 2012. Técnico de Futsal da FC Dornbin - Áustria - temporada 2012. Atuou como professor e coordenador de esportes da Universidade de Rio Verde (2000-2008 / 2017-2018), Coordenador do programa de psicomotricidade e de futsal do clube Campestre de Rio verde-GO (1994-2008 / 2017-2018) . Atualmente Coordenador Administrativo do Campus de Formosa da Universidade de Rio Verde.

Carlabianca Cabral de Jesus Canevari, Universidade de Rio Verde - UniRV

Possui graduação em Direito pela Universidade de Rio Verde (2013), Pós-graduação em Direito Processual Civil pela Universidade Anhanguera - Uniderp (2017), graduação em Matemática pela Universidade de Rio Verde (2003) e Pós-graduação em Matemática e Estatística pela Universidade de Rio Verde (2005). Tem experiência na área de Matemática e Estatística em Direito Civil, Direito Processual Civil, Direito Tributário, Coordenadora de Cursos de Pós-Graduação e na área de Gerência Comercial.

Renato Canevari Dutra da Silva, Universidade de Rio Verde - UniRV

Possui graduação em Fisioterapia pelas Faculdades Integradas de Santa Fé do Sul (2002), Especialização em Fisioterapia Cardiovascular e Respiratória pelo Centro Universitário do Triângulo (2004), em Terapia Intensiva pela AVM Faculdade Integrada (2016) e em Anatomia Funcional pela Faculdade Unyleya (2017), Mestrado em Ciências da Saúde pela Universidade de Brasília (2007), Doutorando em Saúde Coletiva pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Atualmente é Fisioterapeuta do Hospital Municipal Universitário de Rio Verde, professor das disciplinas Anatomia e Neuroanatomia Humana da UniRV - Universidade de Rio Verde. 

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA PARA O ESTUDO DA OBESIDADE E DA SÍNDROME METABÓLICA - ABESO. Diretrizes brasileiras de obesidade. São Paulo, 2016. Disponível em: https://abeso.org.br/wp-content/uploads/2019/12/Diretrizes-Download-Diretrizes-Brasileiras-de-Obesidade-2016.pdf. Acesso em: 23 mar. 2020

BRASIL, Ministério da Saúde. Inquérito domiciliar sobre comportamentos de risco e morbidade referida de doenças e agravos não transmissíveis: Brasil, 15 capitais e Distrito Federal, 2002-2003. Rio de Janeiro, 2004. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/inquerito_domiciliar_comportamentos_risco_doencas_transmissiveis.pdf. Acesso em: 23 mar. 2020.

BRASIL, Ministério da Saúde. Resolução nº466, de 12 de Dezembro de 2012. Diário

Oficial da União, n 12, seção 1, p. 59, 2013. Disponível em: http://conselho.saude.

gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf. Acesso em: 30 mar. 2021.

DEVECHIO, A. P. et al. Fatores que influenciam a hipertensão arterial sistêmica e qualidade de vida em professores universitários. Revista Archives of Health Investigation, Araçatuba, v. 6, n. 8, p. 352-358, 2017. Disponível em: http://archhealthinvestigation.com.br/ArcHI/article/view/2217/pdf. Acesso em 23 mar. 2020.

DIAS, J. et al. Prática de atividade física em docentes do ensino superior: foco na qualidade de vida. Escola Anna Nery, Rio de Janeiro, v. 21, n. 4, e20170110, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-81452017000400233&lng=en&nrm=iso. Acesso em 23 mar. 2020.

DIAS, P. C. et al. Obesidade e políticas públicas: concepções e estratégias adotadas pelo governo brasileiro. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 33, n. 7, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2017000705001&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 23 mar. 2020.

FAO; IFAD; UNICEF; WFP; WHO. The State of Food Security and Nutrition in the World 2019. Safeguarding against economic slowdowns and downturns. Rome, FAO, 2019. Disponível em: http://www.fao.org/3/ca5162en/ca5162en.pdf. Acesso em: 23 mar. 2020.

FREIRE, R. S. et al. Prática regular de atividade física: estudo de base populacional no Norte de Minas Gerais, Brasil. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, São Paulo, v. 20, n. 5, p. 345-349, out. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922014000500345. Acesso em: 23 mar. 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Práticas de esporte e atividade física: 2015. Rio de Janeiro, 2017. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv100364.pdf. Acesso em: 23 mar. 2020.

MALTA, D. C. et al. Evolução anual da prevalência de excesso de peso e obesidade em adultos nas capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal entre 2006 e 2012. Rev. Bras. Epidemiol. São Paulo, v. 17, supl. 1, p. 267-276, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S141590X2014000500267&script=sci_arttext&tlng=pt. Acesso em: 23 mar. 2020.

MATSUDO, S. et al. Questionário internacional de atividade física (ipaq): estudo de validade e reprodutibilidade no Brasil. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde. Florianópolis, v. 6, n. 2, p. 5-18, 2001. Disponível em: http://rbafs.org.br/RBAFS/article/view/931/1222. Acesso em: 23 mar. 2020.

OLIVEIRA, R. A. R. et al. Prevalência de sobrepeso e obesidade em professores da Universidade Federal de Viçosa. Fisioterapia em Movimento, Curitiba, v. 24, n. 4, p. 603-612, dez. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502011000400003. Acesso em: 23 mar. 2020.

OLIVEIRA FILHO, A.; NETTO-OLIVEIRA, E. R.; OLIVEIRA A. A. B. Qualidade de vida e fatores de risco de professores universitários. Rev. Educ. Fís, Maringá, v. 23, n. 1, p. 57-67, mar. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1983-30832012000100006&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em 23 mar. 2020.

ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE - OPAS. Doenças crônico-degenerativas e obesidade: Estratégia mundial sobre alimentação saudável, atividade física e saúde. Brasília, 2003. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/doenca_cronico_degenerativas_obesidade_estrategia_mundial_alimentacao_atividade_fisica.pdf. Acesso em: 23 mar. 2020.

PALEY, C. A.; JOHNSON, M. I. Abdominal obesity and metabolic syndrome: exercise as medicine? BMC Sports Science, Medicine and Rehabilitation, v. 10, p.1-8, maio 2018.

SANTANA, J. O.; PEIXOTO, S. V. Inatividade física e comportamentos adversos para a saúde entre professores universitários. Rev Bras Med Esporte, São Paulo, v. 23, n. 2, p. 103-108, abr. 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1517-86922017000200103&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 23 mar. 2020

SA SILVA, S. P.; SANDRE-PEREIRA, G.; SALLES-COSTA, R. Fatores sociodemográficos e atividade física de lazer entre homens e mulheres de Duque de Caxias/RJ. Ciênc. Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 6, n. 11, p. 4491-4501, nov. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141381232011001200022&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 23 mar. 2020.

WORLD HEALTH ORGANIZATION – WHO. Obesity: preventing and managing the global epidemic: report of a WHO consultation. Genebra: WHO, 2000. Disponível em: https://apps.who.int/iris/handle/10665/42330. Acesso em: 23 mar. 2020.

Downloads

Publicado

2021-04-19

Como Citar

Vieira, B. N., Bastos, S. H., França, A. F., Nascimento, J. C. do, Canevari, C. C. de J., & Silva, R. C. D. da. (2021). NÍVEL DE ATIVIDADE FÍSICA E FATORES ASSOCIADOS EM DOCENTES DA FACULDADE DE MEDICINA DE UMA UNIVERSIDADE DO SUDOESTE GOIANO. Revista Univap, 27(53). https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v27i53.2420