AVALIAÇÃO MORFOLÓGICA DE ACESSOS DE MANDIOCA DA REGIÃO NORTE DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

Autores

  • Rafael Costa de Sant'Ana Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural - Incaper http://orcid.org/0000-0002-2101-3041
  • Stanley Bravo Buffon Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural - INCAPER
  • Lucas Calazans Santos Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural - INCAPER
  • Ismail Ramalho Hadadde Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Espírito Santo - IFES, campus Santa Teresa
  • Dayane Littig Barker Universidade Federal do Espírito Santo – UFES, Centro Universitário Norte do Espírito Santo - CEUNES
  • Fernanda Favarato Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural - INCAPER
  • Jasmini Fonseca da Silva Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural - INCAPER
  • Marcos Moreira Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural - INCAPER
  • Marcela Tonini Venturini Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural - INCAPER
  • Sara Dousseau Arantes Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural - INCAPER

DOI:

https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.1423

Palavras-chave:

Manihot esculenta Crantz, morfologia, desenvolvimento

Resumo

Com o objetivo de avaliar características morfológicas de acessos de mandioca instalou-se um experimento no município de Sooretama, Estado do Espírito Santo. O experimento foi instalado no mês de Maio de 2016, sendo coletados os dados aos 30, 45 e 60 dias após a brotação (DAB). O delineamento experimental utilizado foi em blocos casualizados (DBC), três repetições, com avaliação de 30 acessos de mandioca. As variáveis avaliadas foram: altura de plantas, diâmetro do caule e número de folhas. Houve interação significativa entre os acessos e o tempo de avaliação. O acesso 48 apresentou os maiores valores aos 60 DAB em todas as variáveis analisadas em relação aos demais acessos, que, em contraste, os acessos 62 e 71 obtiveram os menores valores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-10-27

Como Citar

Sant’Ana, R. C. de, Buffon, S. B., Santos, L. C., Hadadde, I. R., Barker, D. L., Favarato, F., Silva, J. F. da, Moreira, M., Venturini, M. T., & Arantes, S. D. (2016). AVALIAÇÃO MORFOLÓGICA DE ACESSOS DE MANDIOCA DA REGIÃO NORTE DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. Revista Univap, 22(40), 50. https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.1423