TABAGISMO NO BRASIL: AFERINDO O SUCESSO DAS POLÍTICAS PUBLICAS DE CONTROLE ENTRE 2006 A 2012

Kim Theodoro da Silva Rolim Cabral, Anna Victoria Souza Silva, Aglaupe de Oliveira Seda, Gislaine Priscila de Andrade, Vitor Alexandre da Silva

Resumo


O tabagismo é o ato de consumir cigarros ou outros derivados de tabaco, cujo principal princípio ativo é a nicotina. O tabagismo é considerado uma doença crônica e a sua prevalência é considerada uma pandemia. Os usuários de tabaco são diariamente expostos a mais de 4 mil substâncias tóxicas sendo muitas dessas cancerígenas. Objetivo: Demonstrar índices de tabagismo durante os anos de 2006 a 2012 para avaliar a eficiência das ações governamentais contra o tabagismo. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa quantitativa de caráter interpretativo e conclusivo. Resultados: o Ministério da Saúde tem valorizado a ação das equipes multidisciplinares que agem desde a prevenção contra o tabagismo até o processo de recuperação e tratamento da pessoa que deseja e tenta parar de fumar. Conclusão: Com a análise e interpretação destes dados pode-se afirmar que as políticas públicas antitabagismo têm apresentado contribuições reais para a diminuição do tabagismo no Brasil, nesta estratégia o Ministério da Saúde tem valorizado a ação das equipes multidisciplinares que agem desde a prevenção contra o tabagismo até o processo de recuperação e tratamento da pessoa que deseja e tenta parar de fumar.


Palavras-chave


Tabagismo; mídia; publicidade; saúde.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.463

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista Univap

 

 Universidade do Vale do Paraíba – UNIVAP

Pró-reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa

Profa. Dra. Sandra Maria Fonseca da Costa

Av. Shishima Hifumi, 2911 – Urbanova
12244-000 - São José dos Campos – SP

revista.univap.br-revista@univap.br
Telefone: (12) 3947-1237

 

Licença Creative Commons

Esse trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.