PERFORMANCE DE FERTILIZANTES FOLIARES E CORRELAÇÕES LINEARES EM COMPONENTES DO RENDIMENTO DA SOJA

Autores

  • Vinícius Jardel Szareski Universidade Federal de Pelotas/Departamento de Ciências e Tecnologia de Sementes
  • Mauricio Ferrari Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel/Centro de Genômica e Fitomelhoramento
  • Maicon Nardino Universidade Federal de Pelotas/Departamento de Física e Matemática
  • Ivan Ricardo Carvalho Universidade Federal de Pelotas/Departamento de Fitotecnia
  • Alan Junior de Pelegrin Universidade Federal de Pelotas/Departamento de Fitotecnia
  • Gustavo Henrique Demari Universidade Federal de Pelotas/Departamento de Ciências e Tecnologia de Sementes
  • Diego Nicolau Follmann Universidade Federal de Santa Maria/Departamento de Fitotecnia
  • Daniela Meira Universidade Federal de Santa Maria, campus de Frederico Westphalen/Departamento de Ciências Agronômicas e Ambientais
  • Carine Meier Universidade Federal de Santa Maria, campus de Frederico Westphalen/Departamento de Ciências Agronômicas e Ambientais
  • Velci Queiróz de Souza Universidade Federal do Pampa, campus de Dom Pedrito

DOI:

https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.1016

Palavras-chave:

Associações, Bioestimulantes, Glycine max L., Micronutrientes.

Resumo

O objetivo foi avaliar a resposta de diferentes fertilizantes foliares aplicados na cultura da soja e as associações lineares entre os componentes do rendimento de grãos, nas condições edafoclimáticas da Região do Alto Uruguai, RS. O experimento foi conduzido em delineamento de blocos casualizados, com três repetições. Os tratamentos testados foram: T1: sem aplicação de bioestimulantes; T2: aplicação de NITAMIN®; T3: aplicação de BIOZIME®; T4: aplicação de Bioamino Extra®; T5: Aplicação de NIPHOKAN®, onde avaliou-se os componentes do rendimento de grãos da soja. A aplicação de micronutrientes e bioestimulantes via foliar não acarreta em aumento no rendimento de grãos da soja, para as condições edafoclimáticas da Região do Alto Uruguai. O rendimento de grãos apresenta correlação positiva com o número de ramificações, número de legumes nas ramificações, número total de legumes, número de grãos por planta e massa de mil grãos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-01-30

Como Citar

Szareski, V. J., Ferrari, M., Nardino, M., Carvalho, I. R., Pelegrin, A. J. de, Demari, G. H., Follmann, D. N., Meira, D., Meier, C., & Souza, V. Q. de. (2017). PERFORMANCE DE FERTILIZANTES FOLIARES E CORRELAÇÕES LINEARES EM COMPONENTES DO RENDIMENTO DA SOJA. Revista Univap, 22(40), 443. https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.1016

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.