HABITAÇÃO E SAÚDE: ABORDAGENS NAS PUBLICAÇÕES ACADÊMICAS NACIONAIS E DA LÍNGUA INGLESA

Beatriz Ferreira de Carvalho, Natália Barboza Helbusto, Paula Vilhena Carnevale Vianna

Resumo


O conceito ampliado de saúde, estabelecido pela Organização Mundial de Saúde, considera o meio de vida, incluindo a qualidade da habitação. No Brasil, o déficit habitacional é significativo e as políticas públicas, na forma de programas habitacionais, vêm favorecendo a implantação de condomínios residenciais para as classes menos favorecidas. Este estudo investigou de que forma a produção acadêmica nacional e de países de língua inglesa abordam a relação saúde/habitação para as populações mais pobres. Trata-se de estudo de revisão bibliográfica de artigos científicos que apresentassem como palavras chave os termos “housing” e “health” e “saúde” e “habitação”. Observou-se diferenças na produção, com maior número de publicações críticas em relação às políticas habitacionais e seus efeitos deletérios para a saúde das populações na língua inglesa. Este é um campo pouco explorado na área da saúde no Brasil e necessário para a efetivação da saúde em seu sentido ampliado, como previsto na Constituição Brasileira.

Palavras-chave


habitação, área de risco, saúde, qualidade de vida.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.978

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista Univap

 

 Universidade do Vale do Paraíba – UNIVAP

Pró-reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa

Profa. Dra. Sandra Maria Fonseca da Costa

Av. Shishima Hifumi, 2911 – Urbanova
12244-000 - São José dos Campos – SP

revista.univap.br-revista@univap.br
Telefone: (12) 3947-1237

 

Licença Creative Commons

Esse trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.