DISCURSOS EM TORNO DA CIDADE DE CAMPOS DO JORDÃO COMO ESTÂNCIA: O ALTAR DA MEMÓRIA COLETIVA

Autores

  • Maiara Sanches Leite Universidade do Vale do Paraíba
  • Valéria Regina Zanetti Universidade do Vale do Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.764

Palavras-chave:

, História, Memória, discurso, hegemonia, Campos do Jordão

Resumo

Este estudo visa apresentar o discurso produzido sobre a cidade de Campos do Jordão quando o município era uma importante estância climática de tratamento da tuberculose no estado de São Paulo (1924), sobretudo entender a estância, espaço altamente contagioso, como um local em que as relações sociais e de convivência, permitiram aos moradores e doentes fazerem do espaço um lugar de memória. Visa-se, principalmente, entender como se estruturou, a partir de fontes orais, o discurso homogeneizador do município como “altar da solidariedade humana”. Busca-se apreender como os discursos sobre o município de Campos do Jordão são produzidos e moldados, a ponto desconstruir representações uniformes em torno da cidade. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maiara Sanches Leite, Universidade do Vale do Paraíba

História

Ciencias Humanas 

Downloads

Publicado

2017-01-16

Como Citar

Leite, M. S., & Zanetti, V. R. (2017). DISCURSOS EM TORNO DA CIDADE DE CAMPOS DO JORDÃO COMO ESTÂNCIA: O ALTAR DA MEMÓRIA COLETIVA. Revista Univap, 22(40), 301. https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.764

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.