OS PONTOS DE PRETO-VELHO NA UMBANDA: RETRATOS DA ESCRAVIDÃO

Autores

  • Carollina Roberto Moraes Universidade do Vale do Paraíba
  • Paulo Roxo Barja LabCom/FCSAC/UNIVAP

DOI:

https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.759

Palavras-chave:

Umbanda, escravidão, pontos cantados, preto velho

Resumo

A umbanda, uma religião genuinamente brasileira, carrega em sua formação o sincretismo entre as crenças católica, espírita kardecista, indígena e matrizes negras (macumba e candomblé). Com diferentes linhas de trabalho, os pontos cantados durantes as sessões religiosas da linha dos pretos-velhos chamam a atenção por mencionar barbáries sofridas pelos negros na época da escravidão. Para evidenciar a produção e interpretar o sentido dos cantos, o presente trabalho foi desenvolvido principalmente através da pesquisa de campo dentro dos terreiros de umbanda, buscando indicar a ligação entre os pontos cantados e os fatos ocorridos nos tempos de escravidão no Brasil. A pesquisa evidencia que os pontos cantados da umbanda apresentam as marcas da barbárie e podem ser vistos como retratos da escravidão sob o registro da cultura popular.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carollina Roberto Moraes, Universidade do Vale do Paraíba

Estudante de Jornalismo

Downloads

Publicado

2017-01-12

Como Citar

Moraes, C. R., & Barja, P. R. (2017). OS PONTOS DE PRETO-VELHO NA UMBANDA: RETRATOS DA ESCRAVIDÃO. Revista Univap, 22(40), 298. https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.759