AVALIAÇÃO DA ILUMINÂNCIA NA IMPLANTAÇÃO E MANUTENÇÃO FLORESTAL NAS MICRORREGIÕES CAPARAÓ E CENTRO SUL DO ESPÍRITO SANTO

Filipe de Moraes, Rômulo Maziero, Elizabeth Neire da Silva Oliveira de Paula, Nilton Cesar Fiedler, Flávio Cipriano de Assis do Carmo

Resumo


Como importante segmento, o setor florestal depende diretamente de mão de obra para execução das atividades, sendo que, esse fator necessita de atenção no âmbito de melhores condições de trabalho. Este estudo teve o objetivo de avaliar a iluminância durante a execução de atividades florestais realizadas nas microrregiões Caparaó e centro sul do estado do Espírito Santo. A pesquisa foi realizada em áreas florestais de produção de eucalipto, nos municípios de Alegre, Jerônimo Monteiro e Guaçuí, no período de outubro de 2012 a maio de 2013. Inicialmente foram levantadas as atividades do ciclo de trabalho e determinou-se o número mínimo de amostras necessárias em cada fase da pesquisa. Foram avaliadas as atividades de adubação, capina química, coroamento, coveamento, desrama manual, desrama semi-mecanizada e roçada semi-mecanizada, e os resultados a legislação. Observou-se que em todas as atividades os níveis de iluminância foram aceitáveis, sendo superior ao mínimo de acordo com a NBR 5413 (1992). Mas há necessidade de proteção especial para a visão, principalmente nos horários de maior irradiação solar.

Palavras-chave


Ambiente de trabalho; Condições ambientais; Trabalhadores florestais.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.649

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista Univap

 

 Universidade do Vale do Paraíba – UNIVAP

Pró-reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa

Profa. Dra. Sandra Maria Fonseca da Costa

Av. Shishima Hifumi, 2911 – Urbanova
12244-000 - São José dos Campos – SP

revista.univap.br-revista@univap.br
Telefone: (12) 3947-1237

 

Licença Creative Commons

Esse trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.