REAÇÕES ADVERSAS A ALIMENTOS E ACEITABILIDADE DO CARDÁPIO ESCOLAR POR CRIANÇAS ASSISTIDAS PELO PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR– PNAE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v27i55.2511

Palavras-chave:

Crianças, reações adversas, alimentação.

Resumo

Objetivo: verificar as principais reações adversas a alimento, a aceitabilidade do cardápio escolar por crianças assistidas pelo PNAE.  Casuística e métodos: Foram avaliadas crianças com alergia alimentar de escolas públicas municipais. Foi aplicado o Teste de Aceitabilidade da Escala Hedônica e um questionário semi-estruturado que abordava sobre os lanches levados de casa, além de um questionário adaptado com questões socioeconômicas aos responsáveis das crianças. Foi aplicada a análise de frequência absoluta. Resultados: 77 crianças compuseram a amostra, A maioria das crianças apresentaram múltiplas reações adversas alimentares. Dessas reações adversas, destacar-se a intolerância à lactose, seguida da alergia a proteína do leite, alergia a ovo e intolerância ao açúcar simples. Com relação ao teste de aceitabilidade do cardápio, houve um alto índice de aceitação. A maioria dos avaliados relataram não levar lanches para a escola, e os que levam, na sua maior parte, levam todos os dias. Houve uma maior prevalência dos alimentos energéticos e processados, como bolachas frutas, bolo e biscoitos nas lancheiras. A justificativa mais apontada pelas mães ou responsáveis, para que seus filhos levem lanche para a escola, foi por não considerarem o lanche ofertado pela escola, não compatível com a restrição alimentar do filho. Conclusão: Um grande percentual de múltipla reação adversa alimentar foi relatado, isso chama a atenção para a implementação de abordagens nutricionais envolvendo as crianças, famílias e a escola a fim de proporcionar maior segurança aos pais em relação aos alimentos ofertados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruna Ferreira Ramos, Faculdade de Saúde Ibituruna e Humanidades Ibituruna - FASI

Graduanda em Nutrição pela Faculdade de Saúde Ibituruna e Humanidades Ibituruna - FASI. Montes Claros - MG, Brasil. 

Bruna Amaral Felício Silva, Faculdade de Saúde Ibituruna e Humanidades Ibituruna - FASI

Graduação em Nutrição pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - Campus JK e Mestrado em Agroecologia pelo Instituto de Ciências Agrárias - Universidade Federal de Minas Gerais (2012).

Mariana Mendes Pereira, Secretaria Municipal de Educação de Montes Claros

Mestranda em Cuidados Primários em Saúde - Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES. Graduada em Nutrição pela Faculdade de Saúde Ibituruna - FASI. Pós-graduada em Nutrição Clínica: metabolismo, prática e terapia nutricional - ESTÁCIO DE SÁ.

Danielle Aguiar Vita, Secretaria Municipal de Educação de Montes Claros

Especialização em Saúde da Família pelo Centro Universitário São Camilo, CUSC, Brasil.

Geralda Kelen Fonseca, Secretaria Municipal de Educação de Montes Claros

Especialização em Especialização em Nutrição Clínica pelo Centro Educacional São Camilo - MG, Brasil.

Wellington Danilo Soares, Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes e Faculdades Unidas do Norte de Minas - Funorte

Doutor em Ciências da Saúde pela Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes. Montes Claros - MG, Brasil.

Referências

ABESHU, M. A.; LELISA, A.; GELETA, B. Complementary Feeding: Review of Recommendations, Feeding Practices, and Adequacy of Homemade Complementary Food Preparations in Developing Countries – Lessons from Ethiopia. Frontiers in Nutrition, v. 3, n. 41, p. 1-9, 2016.

ALVISI, P. et al. Recommendations on complementary feeding for healthy, full-term infants. Italian Journal of Pediatrics, v. 41, n. 1, p. 1-9, 2015.

ANDRADE E SOUSA; P. E.; ASSIS, J. R. Aceitabilidade da alimentação escolar entre alunos de uma rede municipal de ensino do Alto Sertão Paraibano. Revista Científica Intelletto, v. 3, n. 2, p. 48-58, 2018.

BAKKERS, M. B. et al. Hen's egg, not cow's milk, sensitization in infancy is associated with asthma: 10-year follow-up of the PIAMA birth cohort. Journal of Allergy and Clinical Immunology, v. 132, n. 6, p. 1427-1428, 2015. Doi: 10.1016/j.jaci.2013.07.053

BASAGLIA, P.; MARQUES, A. S.; BENATTI, L. Aceitação da merenda escolar entre alunos da rede estadual de ensino da cidade de Amparo-SP. Saúde em Foco, v. 17, p. 126-138, 2015.

BATISTA, M. D. S. A.; MONDINI, L.; JAIME, P. C. Ações do Programa Saúde na Escola e da alimentação escolar na prevenção do excesso de peso infantil: experiência no município de Itapevi, São Paulo, Brasil, 2014. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 26, n. 3, p. 569-578, 2017.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira. Brasília, DF: Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica, 2014.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Resolução nº 38, de 16 de julho de 2009. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no Programa Nacional de Alimentação Escolar - PNAE 2009. Brasília, DF: FNDE, 2009. Disponível em: https://www.fnde.gov.br/index.php/acesso-a-informacao/institucional/legislacao/item/3341-resolu%C3%A7%C3%A3o-cd-fnde-n%C2%BA-38-de-16-de-julho-de-2009. Acesso em: 28 set. 2021.

CABRERA-CHÁVEZ, F.et al. Food Allergy Prevalence in Salvadoran Schoolchildren Estimated by Parent-Report. International Journal of Environmental Research and Public Health, v. 15, n. 11, p. 1-8, 2018.

COSTA, C. D. N. et al. Disponibilidade de alimentos na alimentação escolar de estudantes do ensino fundamental no âmbito do PNAE, na cidade de Codó, Maranhão. Cadernos Saúde Coletiva, v. 25, p. 348-354, 2017.

FIATES, G.M.R. et al. Alimentos industrializados consumidos no lanche: composição nutricional e adequação às recomendações do PNAE e ANVISA. Higiene Alimentar. v. 26, n.206/207, p. 90-195, mar. -abr. 2012.

FERNANDES, A. G. de S.; FONSECA, A. B. C. da; SILVA, A. A. Alimentação escolar como espaço para educação em saúde: percepção das merendeiras do município do Rio de Janeiro, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 19, n. 1, p. 39-48, 2014.

FERREIRA, H. D. S. et al. Nutrição e saúde das crianças das comunidades remanescentes dos quilombos no Estado de Alagoas, Brasil. Revista Panamericana de Salud Publica, v. 30, n. 1, p. 51-58, 2011.

FISBERG, M. et al. Hábito alimentar nos lanches intermediários de crianças pré-escolares brasileiras: estudo em amostra nacional representativa. International Journal of Nutrology, v. 8, n. 4, p. 58-71, 2015.

FNDE - FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO. Caderno de referência sobre alimentação escolar para estudantes com necessidades alimentares especiais: Programa Nacional de Alimentação Escolar. Brasília: FNDE, 2016. 65 p.

GRAY, C. L. et al. Epidemiology of IgE-mediated food allergy. South African medical journal, v. 105, n.1, p. 68-69, 2015.

INOUE, D. Y. et al. Consumo alimentar de crianças de 12 a 30 meses que frequentam Centros Municipais de Educação Infantil no município de Colombo, Sul do Brasil. Revista de Nutrição, v. 28, n. 5, p. 523-532, 2015.

JORGE, A. et al. Prevalence and clinical features of adverse food reactions in Portuguese children. Allergy, Asthma & Clinical Immunology, v. 13, n. 40, p. 1-10, 2017.

KOLETZKO, B. et al. Nutrition during pregnancy, lactation and early childhood and its implications for maternal and long-term child health: the early nutrition project recommendations. Annals of Nutrition and Metabolism, v. 74, n. 2, p. 93-106, 2019.

LEE, S. IgE-mediated food allergies in children: prevalence, triggers, and management. Korean Journal of Pediatrics, v. 60, n. 4, p. 99-105, 2017.

LOCATELLI, N.T.; CANELLA, D.S.; BANDONI, D.H. Fatores associados ao consumo da alimentação escolar por adolescentes no Brasil: resultados da PeNSE 2012. Caderno de Saúde Pública, v. 33, n. 3, p. 1-10, 2017.

LOH, W.; TANG, M. L. K. The Epidemiology of Food Allergy in the Global Context. International Journal of Environmental Research and Public Health, v. 15, n. 9, p. 1-8, 2018.

MATUK, T. T. et al. Composição de lancheiras de alunos de escolas particulares de São Paulo. Revista Paulista de Pediatria, v. 29, p. 157-163, 2011.

MELLO, A. V.; MORIMOTO, J. M.; PATERNEZ, A. C. A. C. Valor nutritivo de lanches consumidos por escolares de uma escola particular. Ciência e Saúde, v. 9, n. 2, p. 70-75, 2016. Doi: 10.15448/1983-652X.2016.2.21844

MENDONÇA, M. A. et al. Excesso de peso e sua associação com a alimentação escolar entre crianças de uma escola municipal de Minas Gerais. Anais V SIMPAC, v. 5, n. 1, p. 393-398, 2013.

MOLINA, M. D. C. B. et al. Preditores socioeconômicos da qualidade da alimentação de crianças. Revista de Saúde Pública, v. 44, p. 785-732, 2010.

MONTEIRO, C. A. Nutrition and Health. The Issue Is Not Food, Nor Nutrients, So Much as Processing. Public Health Nutrition, v. 12, n. 5, 2009.

MOSISSA, F.; KEFALA, B.; ABESHU, Y. Potential of oats (avena sativa) for food grain production with its special feature of soil acidity tolerance and nutritional quality in central highlands of ethiopia. Advances in Crop Science and Technology, v. 6, n. 4, p. 1-5, 2018. Doi: 10.4172/2329-8863.1000376

MUSTAFA, S. S. et al. Parent perspectives on school food allergy policy. BMC Pediatrics, v. 18, n. 164, p. 1-11, 2018.

ORNELAS, C. F. et al. Multiple food allergy: unexpected culprits. Asia Pacific Allergy, v. 8, n. 3, p. e30, 2018. Doi: 10.5415/apallergy.2018.8.e30

PATEL, N.; HERBERT, L.; GREEN, T. D. The emotional, social, and financial burden of food allergies on children and their families. Allergy and asthma proceedings, v. 38, n. 2, p. 88-91, Mar. 2017.

RADLOVIC, N. et al. Food allergy in children. Jornal of the Serbian Medical Society, v. 144, n. 1-2, p. 99-103, 2016.

RAPHAELLI, C. et al. Adesão e aceitabilidade de cardápios da alimentação escolar do ensino fundamental de escolas de zuna rural. Brazilian Journal of Food Technology, v. 20, p. e2016112, 2017.

SCARPARO, A. L. S.; BRATKOWSKI, G. R. (org.). Manual para aplicação dos testes de aceitabilidade no Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Revisão e atualização CECANE UFRGS. 2. ed. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2017.

SILVA, G. A. P.; COSTA, K. A. O.; GIUGLIANI, E. R. J. Alimentação infantil: além dos aspectos nutricionais. Jornal de Pediatria, v. 92, n. 3, supl. 1, p. 2-7, 2016.

SOLÉ, D. et al. Consenso Brasileiro sobre Alergia Alimentar: 2018 - Parte 2. Diagnóstico, tratamento e prevenção. Documento conjunto elaborado pela Sociedade Brasileira de Pediatria e Associação Brasileira de Alergia e Imunologia. Arquivos de Asma, Alergia e Imunologia, v. 2, n. 1, p. 39-82, 2018. Doi: 10.5935/2526-5393.20180005

SOUZA, A. L. D. C.; MAMEDE, M. E. O. Estudo sensorial e nutricional da merenda escolar de uma escola da cidade de Lauro de Freitas-BA. Revista do Instituto Adolfo Lutz, v. 69, p. 255-260, 2010.

WANG, J. Management of the Patient with Multiple Food Allergies. Current allergy and asthma reports, v. 10, n. 4, p. 271-277, 2010. Doi: 10.1007/s11882-010-0116-0.

Downloads

Publicado

2021-10-26

Como Citar

Ramos, B. F., Silva, B. A. F., Pereira, M. M., Vita, D. A., Fonseca, G. K., & Soares, W. D. (2021). REAÇÕES ADVERSAS A ALIMENTOS E ACEITABILIDADE DO CARDÁPIO ESCOLAR POR CRIANÇAS ASSISTIDAS PELO PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR– PNAE. Revista Univap, 27(55). https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v27i55.2511