OTIMIZAÇÃO DE PROCESSO BIOTECNOLÓGICO UTILIZANDO RESÍDUO DA INDÚSTRIA CERVEJEIRA NA PRODUÇÃO DA ENZIMA TANASE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v26i52.2471

Palavras-chave:

Bioprocessos, fermentação sólida, otimização de bioprocessos, tanase.

Resumo

Os resíduos agroindustriais são produzidos em grandes quantidades a partir do beneficiamento e industrialização de alimentos. O descarte desses resíduos no meio ambiente pode resultar em uma série de transtornos para o ecossistema, devido à sua rica composição em matéria orgânica. Diante desse cenário, o reaproveitamento dos resíduos industriais é uma alternativa viável para a diminuição dos impactos ambientais causados pelo descarte inadequado e atendimento das exigências legais referentes à destinação final dos resíduos produzidos. Neste contexto, destaca-se a indústria cervejeira, cuja produção inclui etapas de processamento e fermentação de matéria-prima vegetal, gerando resíduos caracterizados por composições que apresentam significativo potencial para aplicação em tecnologias de bioprocessos através de rotas biotecnológicas sustentáveis. Dentre vários metabólitos de interesse industrial, a enzima tanase vem se destacando no cenário nacional devido a sua capacidade de produzir antioxidantes utilizados na indústria química, farmacêutica e alimentícia. O trabalho objetiva a otimização do meio de fermentação sólida para produção desta enzima utilizando resíduos da indústria cervejeira. Para isso, os resíduos foram padronizados e submetidos ao processo fermentativo, onde foram estudadas diversas variáveis da rota de produção do composto. Assim, como principal resultado, destaca-se o aumento da atividade enzimática, que passou de 0,04 U/mL para 0,19 U/mL após os ajustes do agente extrator, umidade do meio fermentativo, tempo de incubação e pH, concentração do agente indutor e temperatura e pH do meio reacional. Portanto, foram estabelecidos os melhores padrões para otimização do processo, reafirmando o resíduo da indústria cervejeira como um ótimo substrato para produção de biomoléculas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ester Helena Alves, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo - Campus São José dos Campos

Possui curso técnico em Administração de Empresas, pelo Colégio Técnico Opção (2016). Atualmente é graduanda em Licenciatura em Química, pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP) - Câmpus São José dos Campos

Suelene FS Bispo dos Santos, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo - Campus São José dos Campos

Licenciada em Ciências Biológicas (Universidade Cidade de São Paulo - 2018). Atualmente, atua como Técnica em Química no Instituto Federal de São Paulo, campus São José dos Campos, desde agosto de 2018 por Colaboração Técnica (PCCTAE) com a UFRJ no projeto intitulado "Auxilio e Desenvolvimento de atividades de pesquisa/extensão/ensino e organização/manutenção dos laboratórios de Química do IFSP campus São José dos Campos".

Priscila Hoffmann Carvalho, UNICAMP, Lab. de Engenharia metabólica e de bioprocessos (LEMeB)

Possui graduação em Engenharia de Alimentos pela Universidade Estadual de Campinas (2007) e doutorado em Ciência de Alimentos pela Universidade Estadual de Campinas (2013). Atualmente é engenheira de alimentos da Universidade Estadual de Campinas. Tem experiência na área de Ciência e Tecnologia de Alimentos, com ênfase em Ciência e Tecnologia de Alimentos, atuando principalmente nos seguintes temas: imobilização, isomaltulose, glicosiltransferase, processamento mínimo, conservação, temperatura e amido.

Vania Battestin Wiendl, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo - Campus São José dos Campos

Doutorado direto em Ciência de Alimentos/Bioquímica de Alimentos pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP (2007) com período de Doutorado Sanduíche na Universidade do PORTO-Portugal/Departamento de Química (2006-2007), Pós Doutorado bolsa CNPq (2008) e Pós Doutorado bolsa CAPES oriunda do prêmio CAPES (2010) na Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. Graduada em Engenharia de Alimentos pela URI-Campus de Erechim-RS (2002). Tem experiência na área de Ciência de Alimentos, atuando principalmente nos seguintes temas: processos fermentativos, produção, purificação, caracterização de biomoléculas para uso industrial. Atualmente é professora do IFSP - Campus São José dos Campos.

Referências

AGUILAR, C. et al. A comparison of methods to determine Tannin Acyl Hydrolase Activity. Braz. Arch. Biol. Techonol., v. 42, n. 3, p. 355-361, 1999.

BANERJEE, D.; MONDAL, K. C.; PATI, B. R. Production and characterization of extracellular and intracelular tannase from newly isolated Aspergillus aculeatus DBF 9. J. Basic Microbiol., v.41, n.6, p.313-318, 2001.

BATTESTIN, V; MATSUDA, L. K.; MACEDO, G. A. Fonte e aplicações de taninos e tanases em alimentos. Alimentos e Nutrição, Araraquara, v. 25, n. 1, p. 63-72, 2004.

BATTESTIN, V. Produção, purificação e aplicação de tanase de Paecilomyces variotii. 2007. 99f. Tese (Doutorado em Ciências de alimentos) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2007.

BORGES, M. S.; SOUZA NETO, S. P. Meio ambiente x Indústria de cerveja: um estudo de caso sobre práticas ambientais responsáveis. In: CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO, 5., 2009. Niterói. Anais..., Niterói: Universidade Federal Fluminense, 2009.

CABRAL FILHO, S. L. S. Avaliação do resíduo de cervejaria em dietas de ruminantes através de técnicas nucleares e correlativas. 1999. 82 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade de São Paulo, Piracicaba, 1999.

CAVALCANTI, R. M. F.; GUIMARÃES, L. H. S. Produção e Caracterização Parcial de Tanase Pelo Fungo Endofítico Aspergillus Niger Ang 18 em Fermentação em Estado Sólido. Revista Saúde & Ciência Online, v. 7, n. 2, p.426-440, ago. 2018.

COELHO, M. A. Z. et al. Aproveitamento de resíduos agroindustriais: produção de enzimas a partir da casca de coco verde. B. CEPPA, Curitiba, v. 19, n. 1, p. 33-42, 2001.

EL-FOULY, M. Z. et al. Biosynthesis and Characterization of Aspergillus niger AUMC 4301 Tannase. Journal of American Science, v. 6, n. 12, p. 709-721, 2010.

FERREIRA, L. R. Estudo da especificidade da tanase de Paecilomyces variotii e sua aplicação na biotransformação dos polifenóis do suco de laranja. 2011. 156f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2011.

INSTITUTO ADOLFO LUTZ. Métodos físico-químicos para análise de alimentos. 4. ed. São Paulo: Instituto Adolfo Lutz, 2008.

KIELING, D. D. Enzimas: Aspectos Gerais. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2002.

KRONBAUER, E. A. W. et al. Produção de xilanase por Aspergillus casielus com diferentes fontes de carbono. B. CEPPA, Curitiba, v. 25, n. 2, p. 207-216, 2007.

LAGEMAAT, J. V.; PYLE. D. L. Slid-state fermentation and bioremediation: development of a continuous process for the production of fungal tannase. Chem. Eng. J., v. 84, p. 15-123, 2001.

LAL, D. et al. Production of Tannin Acyl Hydrolase (E.C. 3.1.1.20) from Aspergillus niger isolated from bark of Acacia nilotica. Journal of Microbiology and Biotechnology Research, v. 2, n. 4, p.566-572, 2012.

LEKHA, P. K.; LONSANE, B. K. Comparative titres, location and properties of Tannin Acyl Hydrolase produced by Aspergillus niger PKL 104 in solid-state, liquid surface and submerged fermentations. Process Biochem. v. 29, p. 497-503, 1994.

MARCO, M. et al. A Novel Tannase from the Xerophilic Fungus Aspergillus niger GH1. Journal of Microbiology and Biotechnology, set. 2009.

MATHIAS, T. R. S.; MELLO, P. P. M.; SERVULO, E. F. C. Caracterização de resíduos cervejeiros. COBEQ. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA QUÍMICA, 20. 2014. São Paulo. Anais..., Sãp Paulo: Blucher, 2014. p. 3805-3812.

MONDAL, K.C. BANERJEE, D.; JANA, M.; PATI, B.R. Colorimetric Assay Method for determination of the Tannin Acyl Hidrolase activity. Analytical Biochemistry, n. 295, p. 168-171. 2001.

PANDEY, A. et al. Production of organic acids by solid-state fermentation. In: PANDEY A.; SOCCOL C.R.; LARROCHE C. (eds) Current Developments in Solid-state Fermentation. New Delhi: Asiatech Publishers, 2001. p. 113-126.

PELIZER, L. H.; PONTIERI, M. H.; MORAES, I. O. Utilização de resíduos agro-industriais em processos biotecnológicos como perspectiva de redução do impacto ambiental. Journal Of Technology Management & Innovation, v. 2, n. 1, 2007.

PERLINGEIRO, C. A. G. Engenharia de Processos: análise, simulação, otimização e síntese de processos químicos. São Paulo: Blucher, 2005.

RECH, K. P. M.; ZORZAN, V. Aproveitamento de resíduos da indústria cervejeira na elaboração de cupcake. 2017. 44 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Tecnologia de Alimentos) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Francisco Beltrão, 2017.

ROCHA, C. P. Otimização da produção de enzimas por Aspergillus niger em fermentação em estado sólido. Dissertação (Mestrado em Engenharias) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2010.

SCHONS, P. F.; RIES, F. E.; MACEDO, G. A. Fermentation and enzyme treatment on sorghum. Brazilian Journal of Microbiology, v. 1, p. 89-97, 2012.

SILVA, E. P. et al. Seleção de fungos do gênero Aspergillus produtores de tanase para inclusão em ração animal. Medicina Veterinária e Zootecnia, v. 12, n. 2, p.1-7, fev. 2018.

SRIVASTAVA, A.; KAR, R. Characterization and Application of Tannase Produced by Aspergillus niger ITCC 6514.07 On Pomegranate Rind. Brazilian Journal of Microbiology, n. 40, p.782-789, out. 2009.

TEIXEIRA, M. C. V.; VAZ, L.; BATTESTIN, V. Uso da biotecnologia na produção de enzimas. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E DESENVOLVIMENTO, 6., 2017, Taubaté. Anais..., Taubaté, 2017.

VALERA, L. S. Produção e Caracterização das Tanases do Fungo Filamentoso Aspergillus carbonarius. 2014. 89 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2014.

Downloads

Publicado

2020-12-18

Como Citar

Alves, E. H., Santos, S. F. B. dos, Carvalho, P. H., & Wiendl, V. B. (2020). OTIMIZAÇÃO DE PROCESSO BIOTECNOLÓGICO UTILIZANDO RESÍDUO DA INDÚSTRIA CERVEJEIRA NA PRODUÇÃO DA ENZIMA TANASE. Revista Univap, 26(52), 1–15. https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v26i52.2471