BAIRRO DE SANTANA: PERMANÊNCIAS E RUPTURAS NA APROPRIAÇÃO E PERCEPÇÃO DO ESPAÇO EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS DE 1980 A 2010

Maria das Graças Sandi Magalhães, Charles de Lima

Resumo


Este artigo investiga as relações entre espaço e memória em São José dos Campos, mais especificamente, o bairro de Santana. Diferenciando-se dos demais, o bairro não passou pelo processo de verticalização que afetou boa parte da cidade. O congelamento do seu núcleo poderia ser o responsável pela permanência de sociabilidades e usos do espaço que se distanciam do modelo de cidade mundial proposto como uma das representações para a São José dos Campos do século XX.

 


Palavras-chave


Bairro de Santana; Percepção do Espaço; Memória joseense; Urbanismo; Ego história

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.1697

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista Univap

 

 Universidade do Vale do Paraíba – UNIVAP

Pró-reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa

Profa. Dra. Sandra Maria Fonseca da Costa

Av. Shishima Hifumi, 2911 – Urbanova
12244-000 - São José dos Campos – SP

revista.univap.br-revista@univap.br
Telefone: (12) 3947-1237

 

Licença Creative Commons

Esse trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.