CONTRIBUIÇÃO DA INICIAÇÃO CIENTÍFICA JÚNIOR NA FORMAÇÃO DOS BOLSISTAS ICJ: REFLEXÕES DE QUESTÕES ÉTNICO-RACIAIS

Mateus Augusto Almeida Martins, Victor Silva Salaroli do Nascimento, Mellina de Fátima Neres de Sousa Curty

Resumo


Pretendemos por meio deste artigo analisar a contribuição das pesquisas do Programa de Iniciação Científica Júnior (ICJ) para a formação dos alunos de Ensino Fundamental (8º e 9º ano) da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio “Aristeu Aguiar”. A partir das aulas teóricas, que tem como objetivo inseri-los melhor na temática abordada pelo projeto, buscou-se trabalhar a história e cultura afro-brasileira a partir de pesquisas bibliográficas, como foco de pesquisa a utilização do jornal O Cachoeirano para caracterizar o escravo por volta do século XIX. Posteriormente, analisaremos como os autores contemporâneos dialogam com a pesquisa histórica sobre a população negra para, assim, discutir com os alunos as divergências e convergências, levando em consideração os dados recolhidos no jornal e as ideias dos autores. Por fim, compararemos a compreensão do conteúdo, anterior ao início da pesquisa e posterior, considerando o conteúdo visto pelos alunos na instituição de ensino ao qual eles pertencem. Pôde-se perceber que as metodologias utilizadas, tanto nas aulas teóricas como nas pesquisas, foram suficientes para o aprendizado dos alunos acerca do tema proposto e abordado no projeto.

Palavras-chave


Iniciação Científica Júnior; História e cultura afro-brasileira; O Cachoeirano.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18066/revistaunivap.v22i40.1037

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista Univap

 

 Universidade do Vale do Paraíba – UNIVAP

Pró-reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa

Profa. Dra. Sandra Maria Fonseca da Costa

Av. Shishima Hifumi, 2911 – Urbanova
12244-000 - São José dos Campos – SP

revista.univap.br-revista@univap.br
Telefone: (12) 3947-1237

 

Licença Creative Commons

Esse trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.